Cristo Redentor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Estátua do Cristo Redentor)
Ir para: navegação, pesquisa
Cristo Redentor
Monumento ao Cristo Redentor no Rio de Janeiro.
Localização Cume do Morro do Corcovado
Dados
Criação 12 de outubro de 1931 (83 anos)
Visitantes 1 947 962 (em 2009)
Gestão Arquidiocese do Rio de Janeiro
Coordenadas 22° 57' 6.26" S 43° 12' 37.66" O

O Cristo Redentor é uma estátua art déco que retrata Jesus Cristo, localizada no bairro do Santa Teresa[1] , na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Em 2007 foi eleito uma das novas sete maravilhas do mundo.

O monumento foi criado pelo escultor francês Paul Landowski e construído pelo engenheiro Heitor da Silva Costa, em colaboração com o engenheiro francês Albert Caquot, entre 1922 e 1931. Foi inaugurada no dia 12 de outubro de 1931, dia de Nossa Senhora Aparecida.

A estátua situa-se no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, no Parque Nacional da Tijuca, com vista para a cidade. Um símbolo do cristianismo brasileiro, a estátua se tornou um ícone do Rio de Janeiro e do Brasil.[2] Em uma pesquisa realizada pela revista América Economia, no ano de 2011, o Cristo Redentor foi considerado por 23,5% dos entrevistados como o maior símbolo da América Latina. A pesquisa foi feita pela internet e reuniu a opinião de 1 734 executivos de todos os países da região.[3]

O Cristo Redentor é feito de concreto armado e pedra-sabão.[4] [5] [6] Tem 30 metros de altura, sem contar os 8 metros do pedestal, e seus braços se esticam por 28 metros de largura.[7] A estátua pesa 635 toneladas e está localizada no pico de 700 metros (2.300 pés) Corcovado, no Parque Nacional da Floresta da Tijuca com vista para a cidade. É a segunda maior escultura de Cristo no mundo, atrás apenas da Estátua de Cristo Rei, na Polônia.[8] [9] [10]

História[editar | editar código-fonte]

Propostas[editar | editar código-fonte]

O morro do Corcovado antes da construção do Cristo Redentor, século XIX.
O Chapéu de Sol do Corcovado (que existia onde se ergue hoje a estátua do Cristo Redentor) ca. 1908.

A ideia de construir uma grande estátua no alto do Corcovado foi sugerida pela primeira vez em meados da década de 1850, quando Vicentina padre Pedro Maria Boss sugeriu a colocação de um monumento cristão no Monte do Corcovado para homenagear a Princesa Isabel, regente do Brasil e filha do Imperador Pedro II; a princesa Isabel não atendeu este pedido. Em 1889, o país se tornou uma república e, com a oficialização da separação entre Igreja e Estado, a proposta foi descartada.[7]

A segunda proposta de uma estátua no topo da montanha foi feita em 1920, pelo Círculo Católico do Rio de Janeiro.[11] O grupo organizou um evento chamado "Semana do Monumento" para atrair doações e recolher assinaturas para apoiar a construção da estátua. As doações vieram principalmente de católicos brasileiros.[4] Os projetos considerados para a "Estátua do Cristo" incluíam uma representação da cruz cristã, uma estátua de Jesus com um globo nas mãos e um pedestal que simbolizaria o mundo.[12] A estátua do Cristo Redentor de braços abertos, um símbolo de paz, foi a escolhida. O engenheiro local Heitor da Silva Costa projetou a estátua, que foi esculpida por Paul Landowski, um escultor franco-polonês.[13]

Construção e inauguração[editar | editar código-fonte]

O rosto da estátua foi criada pelo escultor romeno Gheorghe Leonida, que nasceu em Galati, na Romênia, em 1893. Ele estudou escultura no Conservatório Belas Artes de Bucareste, em seguida, após estudos de mais três anos na Itália, ele ganhou um prêmio de escultura Reveil ("Despertar"). Depois ele se mudou para Paris, onde sua obra Le Diable ("O Diabo") foi premiada com o Grand Prix. Tornando-se famoso na França como retratista, ele foi incluído por Paul Landowski na equipe que começou a trabalhar no Cristo Redentor em 1922. Gheorghe Leonida contribuiu retratando o rosto de Jesus Cristo na estátua, fato que o tornou famoso.[14]

Um grupo de engenheiros e técnicos estudou as apresentações de Landowski e tomou a decisão de construir a estrutura em concreto armado (projetado por Albert Caquot) em vez de aço, mais adequado para uma estátua em forma de cruz. As camadas exteriores são feitas de pedra-sabão, escolhida por suas qualidades duradouras e facilidade de uso. A construção durou nove anos (entre 1922 e 1931) e custou o equivalente a 250 mil dólares (ou 3,3 milhões de dólares em valores de 2014). O monumento foi inaugurado em 12 de outubro de 1931.[5] [6] Durante a cerimônia de inauguração, a estátua foi iluminada por uma bateria de holofotes que acionada remotamente pelo pioneiro da rádio de ondas curtas, Guglielmo Marconi, que estava a 9.200 quilômetros de distância, em Roma, na Itália.[11]

Lula promove o Cristo como uma das novas sete maravilhas do mundo.

Em outubro de 2006, no 75 º aniversário da conclusão da estátua, o Arcebispo do Rio de Janeiro, o cardeal Eusébio Oscar Scheid, consagrou uma capela, em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, sob a estátua. Isso permite que os católicos possam realizar batismos e casamentos no local.[6]

No dia 7 de julho de 2007, em uma festa realizada em Portugal, o Cristo Redentor foi incluído entre as novas sete maravilhas do mundo. A decisão, após um concurso informal, foi baseada em votos populares (internet e telefone), votação que ultrapassou a casa dos cem milhões de votos.[15] Todavia, o concurso não possui o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que apontou a falta de critérios científicos para a escolha das maravilhas.[16]

Danos e restaurações[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica do Cristo Redentor. É possível observar o Pão de Açúcar, a Baía de Guanabara, com a Enseada de Botafogo ao centro, e as cidades de Niterói e Maricá ao fundo.

Em 1990, um trabalho de restauração foi realizada por meio de um acordo entre várias organizações, incluindo a Arquidiocese do Rio de Janeiro, empresa de mídia Rede Globo, a companhia petrolífera Shell do Brasil, o regulador ambiental Ibama, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e o governo do município do Rio de Janeiro.

Em 2003, mais transformações na estátua e em seus arredores foram realizadas, quando um conjunto de escadas rolantes, passarelas e elevadores foram instalados para facilitar o acesso à plataforma em torno da estátua. Em 2010, uma restauração maciça da estátua foi realizada. O monumento foi lavado, a argamassa e pedra-sabão que cobrem a estátua foram substituídos, a estrutura interna de ferro foi restaurada e a estátua tornou-se à prova d'água. Um incidente ocorreu durante a restauração quando picharam um dos braços em um ato de vandalismo. O prefeito Eduardo Paes chamou o ato "um crime contra a nação". Os culpados mais tarde pediram desculpas e se apresentaram à polícia.[17] [18] [19]

Comparação da altura do Cristo e das estátuas Buda do Templo da Primavera; Estátua da Liberdade; Mãe Pátria; e David.

A restauração de 2010 envolveu cem pessoas e usou mais de 60 mil pedaços de pedra retirados da mesma pedreira que a estátua original. Durante a inauguração da restauração, a estátua foi iluminada em verde-e-amarelo em apoio a Seleção Brasileira de Futebol, que estava jogando na Copa do Mundo FIFA de 2010.[20]

A estátua foi atingida por um raio durante uma violenta tempestade em 10 de fevereiro de 2008 e sofreu alguns danos nos dedos, cabeça e sobrancelhas. Um esforço de restauração foi posto em prática pelo governo do estado do Rio de Janeiro para substituir algumas das camadas de pedra-sabão exteriores e reparar os pára-raios instalados na estátua. O monumento foi danificado novamente por um raio em 17 janeiro de 2014, quando um dedo na mão direita foi destruído.[21] [22] [23] [24]

Além dos relâmpagos, a estátua está exposta a fortes ventos e a erosão, por isso os trabalhos de manutenção do monumento devem ser realizados periodicamente.[25] A pedra original pálida não está mais disponível em quantidades suficientes e pedras de substitutas são cada vez de tons mais escuros.[26]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Acesso[editar | editar código-fonte]

Cristo à noite visto da Floresta da Tijuca.

O Cristo Redentor pode ser acessado por carros autorizados, ou pela linha férrea do Cosme Velho (Trem do Corcovado). Até pouco tempo atrás, para se chegar ao mirante da estátua precisava-se caminhar muito, o que se tornou uma barreira para deficientes físicos. A partir do ano de 2002, a Prefeitura do Rio de Janeiro instalou três elevadores panorâmicos e quatro escadas rolantes como parte do projeto de renovação do Cristo.

Pela rodovia, o início é no Cosme Velho, seguindo em direção as Paineiras (área fechada ao trânsito, nos fins de semana) até o estacionamento. A partir daí, segue-se até o monumento, através de van credenciada.

A partir de 2013 foi criado pelo Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, um sistema de Vans credenciadas a partir do Largo do Machado, que efetua a ligação direta até o topo do Corcovado, com valores que variam entre os períodos de baixa e alta temporada. Outros pontos de embarque são: Copacabana e Paineiras. Os ingressos podem ser comprados na hora ou pela internet.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Vista aérea da estátua.

Reação adversa à construção[editar | editar código-fonte]

Apesar de, atualmente, protestantes de todo o mundo visitarem o Cristo, inicialmente os líderes da Igreja Batista eram contrários à construção dele, chegando a propor que o dinheiro arrecadado fosse usado na construção de uma obra beneficente.

Em 23 de março de 1923, seguidores da Igreja Batista declararam, em nota publicada em O Jornal Batista', órgão oficial da Convenção Batista Brasileira, seu desgosto quanto à construção do Cristo Redentor. A nota afirmava que a construção "será, a um tempo, um atestado eloquente de idolatria da Igreja de Roma".

Entretanto, a Igreja Católica sempre se manteve firme em sua posição, argumentando jamais ter adotado a idolatria em sua doutrina, esclarecendo continuamente que as imagens de santos em suas igrejas são vistas por seus fiéis como exemplos de fé a serem seguidos.

Direitos de imagem[editar | editar código-fonte]

Vista da cidade à noite, com o Cristo Redentor à direita, ao fundo.
Vista aérea do Cristo Redentor em junho de 2014.

Desde 1980 que os direitos de uso comercial da imagem de Cristo no Corcovado pertencem à Arquidiocese do Rio de Janeiro. No entanto, a questão ainda é centro de uma disputa entre dois grupos, além da Arquidiocese, que proclamam-se os donos da imagem do Cristo Redentor: a família do escultor Paul Maximilian Landowski e a prefeitura do município do Rio de Janeiro. A família de Landowski move ações em diversos tribunais, querendo receber direitos autorias sobre qualquer uso da imagem do Cristo, incluindo publicidade, postais, pôsteres, livros e outros souvenires.[27] Enquanto a prefeitura do Rio de Janeiro e a arquidiocese disputam o direito de administrar a estátua. A arquidiocese tem o argumento que recebeu a estátua de presente da União, em 1934, enquanto a prefeitura acredita tratar-se de um símbolo da cidade, sendo patrimônio histórico do Rio de Janeiro. O monumento está em área cedida pela União à Arquidiocese do Rio na década de 1930, mas o acesso à estátua é realizado através do Parque Nacional da Tijuca, administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).[28]

Em 2014, a Arquidiocese do Rio vetou a veiculação de uma cena do filme Inútil Paisagem, de José Padilha, em que o Cristo aparece por considerá-la desrespeitosa. Dias depois, por conta da repercussão negativa, a Igreja voltou atrás e liberou o uso da imagem do monumento.[29] A questão geral polêmica e surgiram boatos de que o governo federal estaria cogitando a hipótese de assumir os direitos de imagem da estátua, o que foi negado pelo Ministério da Cultura.[30]

Santuário católico[editar | editar código-fonte]

Em 12 de outubro de 2006 a estátua foi transformada num santuário católico nas comemorações de seus 75 anos. Há também, na base do monumento, uma capela católica devotada a Nossa Senhora Aparecida, onde há celebrações católicas como casamentos e batizados.

Em 21 de novembro de 2007, o superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Rogério Rocco, afirmou que, a partir daquela data, os católicos poderiam entrar gratuitamente no Cristo Redentor, mas apenas em datas agendadas pela Arquidiocese do Rio de Janeiro.[31] [32] A decisão causou desgosto nos admiradores da imagem que seguem outras religiões e naqueles que advocam pelo secularismo do estado.

Réplicas[editar | editar código-fonte]

Portugal possui uma escultura similar junto à foz do Rio Tejo, na sua margem sul, na cidade de Almada. Existe também uma imagem do Cristo Rei anterior à do Rio de Janeiro que se encontra no Caniço, na Ilha da Madeira, inaugurada em 1927. O monumento, virado para Lisboa, foi inaugurado a 17 de maio de 1959 e constitui o melhor miradouro da capital portuguesa. Designado por Cristo-Rei, é uma das mais altas construções de Portugal, com 110 metros de altura, incluído o pedestal, sendo que a estátua possui 28 metros. Várias cidades do Brasil também possuem réplicas do Cristo.

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

A estátua à noite.
Detalhe do rosto do monumento.
O Cristo com a Enseada de Botafogo ao fundo.

Músicas[editar | editar código-fonte]

O monumento aparece em diversas canções, como tema ou citada:

  • Vietnã do Brasil, de Pavilhão 9 (Cidade bela vislumbrada pelo mundo inteiro/Quem não conhece o famoso Rio de Janeiro/Bonde, Corcovado, Cristo Redentor/Praia de Copacabana e Circo Voador...)
  • Alagados, dos Paralamas do Sucesso ("E a cidade que tem braços abertos/No cartão-postal")
  • Bananas, dos Titãs ("… O arco de Oxóssi nas mãos do Cristo Redentor…")
  • Corcovado, de Tom Jobim ("Da janela vê-se o Corcovado/O Redentor, que lindo")
  • É Fim de Mês, de Raul Seixas ("Que eu comprei pra domingar com o meu amor/Lá no cristo redentor, ela gostou (oh!) e mergulhou (oh!)") [33]
  • Sou carioca, sou do Rio de Janeiro, de Gabriel o Pensador ("Cristo Redentor/Braços abertos.../Jesus Cristo é carioca xará") [34]
  • Expresso 2222, de Gilberto Gil ("O Cristo é como quem foi visto subindo ao céu")
  • Las Muchachas de Copacabana, de Chico Buarque ("Corcovado em Mar del Plata/Tem")
  • Os Passistas, de Caetano Veloso ("O Corcovado e o Redentor daqui")
  • Paralelas, de Belchior ("No Corcovado/Quem abre os braços sou eu")
  • Percorrendo o meu País, de Teixeirinha ("Lá na Guanabara fiquei encantado/Fui no Corcovado, Cristo Redentor")
  • Samba do Avião, de Tom Jobim ("Cristo Redentor/Braços abertos sobre a Guanabara")
  • Samba do Grande Amor, de Chico Buarque ("Fiz promessa até/Pra Oxumaré/De subir a pé o Redentor")
  • Subúrbio, de Chico Buarque ("Lá tem Jesus/E está de costas")
  • Um Trem para as Estrelas, de Cazuza ("São sete horas da manhã/Vejo Cristo da janela [...] Estranho o teu Cristo, Rio/Que olha tão longe, além/Com os braços sempre abertos/Mas sem proteger ninguém")
  • O País do Futuro, Camisa de Vênus ("…mas muita fé em Jesus Cristo/Quem sabe ele se zanga, desce lá do Corcovado/Passa o cajado nessa corja, Deus também fica retado")
  • Realidade Virtual, Engenheiros do Hawaii ("A neblina encobre o Cristo e a Lagoa se ilumina")
  • Redentor, Zélia Duncan ("Você sabia, meu amor, que da minha janela/ eu vejo o Cristo Redentor, ele tá sempre lá em cima")
  • Braços cruzados, Zélia Duncan ("Cristo Redentor, eu vi seus braços cruzados")
  • Rio de Janeiro, Diante do Trono ("Rio de Janeiro, que o Cristo vivo e verdadeiro estenda os braços sobre nós")
  • A Missão, Fruto Sagrado ("... O Redentor está de braços abertos te esperando, Rio de Janeiro muda a direção")
  • O Cristo Redentor, Capital Inicial (..."Vendeu o Cristo Redentor")
  • Álbum "With Hearts As One", a foto do Cristo Redentor aparece no centro da capa do álbum da banda cristã Hillsong United.
  • No álbum debutante do rapper e ator norte-americano - Ja Rule, Venni Vetti Vecci. O título do álbum é uma alusão a frase em latin "Veni, vidi, vici", que significa "vim, vi, venci." Há imagem do Cristo em segundo plano.

Cinema[editar | editar código-fonte]

O Cristo Redentor também é referência em obras cinematográficas. A mais recente é o pôster do filme 2012. A cidade e o monumento carioca são os únicos a aparecerem nos cartazes fora dos Estados Unidos (as cidades estadunidenses representadas são Washington e Los Angeles).[35] Na série de tevê Life After People, o episódio Wrath of God mostra o Cristo Redentor, após 250 anos sem pessoas para fazerem sua manutenção, desabando sobre o Corcovado. Em 2009 o artista luminógrafo Gaspare Di Caro o Cristo Redentor, dando pela primeira vez uma face ao monumento.

Vista panorâmica a partir do topo do Corcovado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://archive.is/20120927201933/http://www.armazemdedados.rio.rj.gov.br/arquivos/1721_breve%20relato%20sobre%20a%20forma%C3%A7%C3%A3o%20das%20divis%C3%B5es%20administrativas%20na%20cidade%20do%20rio%20de%20janeiro.PDF
  2. The New Seven Wonders of the World Hindustan Times (8 de julho de 2007). Visitado em 11 de julho de 2007.
  3. Título ainda não informado (favor adicionar).
  4. a b "Christ the Redeemer", TIME, 26 de outubro de 1931. Página visitada em 11 de julho de 2007.
  5. a b Brazil: Crocovado mountain – Statue of Christ Travel Channel. Visitado em 7 de julho de 2007.
  6. a b c "Sanctuary Status for Rio landmark", BBC, 13 de outubro de 2006. Página visitada em 7 de julho de 2007.
  7. a b Christ the Redeemer. Visitado em 11 de julho de 2014.
  8. Padre polonês constrói maior estátua de Cristo no mundo. Estadão. 5-11-2010.
  9. Polônia conclui construção da maior estátua de Cristo do mundo. R7. 6-11-2010.
  10. Jesus Christ statue in smalltown Poland bids to rival Rio's Redeemer. Guardian. 28-10-2010.
  11. a b Cristo Redentor – Histórico da Construção (em portuguese).
  12. Victor, Duilo. "Redentor, carioca até a alma", Jornal do Brasil. Página visitada em 17 de julho de 2008. (em Portuguese)
  13. Phil, Damon. "Vote now for Phoneheng", The Sun, 29 de junho de 1983.
  14. Dima, Alina. Gheorghe Leonida – Romanian contribution to "Cristo Redentor".
  15. Jornal diário português Público, na sua versão on-line Público.pt em 07.07.2007 às 23h07.
  16. Título ainda não informado (favor adicionar).
  17. "Vandals cover Rio's Christ statue with graffiti", 16 de abril de 2010.
  18. Tabak, Bernardo. "Estátua do Cristo Redentor é alvo de pichação", Globo.
  19. Infosur hoy: Christ the Redeemer to get new outfit
  20. "Brazil's Christ statue returns after renovation", BBC News, 1 de julho de 2010. Página visitada em 1 de julho de 2010.
  21. "Cristo Redentor vai passar por restauração até junho ("Christ the Redeemer under restoration 'til June")", Estadão.
  22. Moratelli, Valmir. "Cristo Redentor, castigado por raios, passa por ampla reforma (Christ the Redeemer, punished by lightnings, go by ample refit)", Último Segundo.
  23. Cristo Redentor renovado para 2010 (pdf) Governo do Rio de Janeiro (Dezembro de 2010).
  24. Lightning breaks finger off Rio's Christ The Age (Janeiro de 2014).
  25. "Reforma no cartão-postal", Veja Rio, 18 de maio de 2010. Página visitada em 18 de maio de 2010.
  26. Donna Bowater; Stephen Mulvey and Tanvi Misra (9 de março de 2014). Arms wide open BBC. Visitado em 10 de março de 2014.
  27. ConJur: Direitos sobre o Cristo são da Arquidiocese do Rio (2 de abril de 2012). Visitado em 7 de julho de 2014.
  28. Corcovado-Rio: Curiosidades sobre o Corcovado e o Cristo Redentor. Visitado em 7 de outubro de 2014.
  29. O GloboDecisão da Arquidiocese de proibir uso da imagem do Cristo em filme causa indignação (8 de julho de 2014). Visitado em 7 de outubro de 2014.
  30. Revista ExameGoverno nega que pretende tirar Cristo Redentor da Igreja (4 de agosto de 2014). Visitado em 7 de outubro de 2014.
  31. Título ainda não informado (favor adicionar).
  32. Título ainda não informado (favor adicionar).
  33. Raul Seixas
  34. Gabriel o Pensador
  35. Cristo Redentor destruído no pôster do filme 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cristo Redentor