Estêvão Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O pranteado artista Estêvão Silva, por Pereira Neto.
Natureza-morta (1891). Pintura de Estêvão Silva no Museu Afro Brasil, São Paulo.

Estêvão Roberto da Silva (Rio de Janeiro, c. 1844 - Rio de Janeiro, 9 de novembro de 1891) foi um importante pintor, desenhista e professor brasileiro da segunda metade do século XIX. Primeiro pintor negro de destaque formado pela Academia Imperial de Belas Artes, notabilizou-se por suas naturezas-mortas, sendo considerado um dos maiores expoentes da arte brasileira no gênero.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Iniciou seus estudos na Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde foi contemporâneo dos pintores Almeida Júnior, Rodolfo Amoedo, Belmiro de Almeida, Antônio Firmino Monteiro e do escultor Rodolfo Bernardelli. Foi muito influenciado por Agostinho José da Mota, destacado pintor de naturezas-mortas, com quem teve aulas na Academia. Especializou-se na pintura de frutos e flores, que constitui parte substancial de sua obra.

Na década de 1880, liga-se ao Grupo Grimm, identificando-se com a proposta inovadora de seus membros à época: o estudo da natureza através da observação direta e a pintura ao ar livre. Não chegou, entretanto, a romper com os padrões estéticos da Academia. Além de naturezas-mortas, executou alguns retratos (como o do pintor Castagneto) e pinturas de temas históricos (A Lei de 28 de setembro), religiosos (São Pedro) e alegóricos (A Caridade), entre outros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estêvão Silva

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • DUQUE, Gonzaga. A arte brasileira. Campinas: Mercado de Letras, 1995. 219 pp.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.