Estêvão Vojislau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estêvão Vojislau
Príncipe da Dóclea
Славна победа Војислава над Грцима год. 1043..jpg
Vitória sobre os bizantinos em 1043 na Batalha de Bar
Governo
Reinado 10401043
Sucessor Miguel Vojislau
Dinastia Vojislavljević
Títulos Príncipe dos sérvios[1]
Vida
Nome completo Stefan Vojislav
Floruit 1018-1043
Morte 1043
Constantinopla
Sepultamento Igreja de Santo André em Prapratna
Filhos Gojislau
Predimir
Miguel Vojislau
Saganek
Radoslav

Estêvão Vojislau em sérvio: Стефан Војислав - Stefan Vojislav[a]) foi um príncipe da Dóclea de 1040 a 1043. Ele já era desde 1018 um "toparca" entre os bizantinos mas, em 1034, liderou uma revolta fracassada que resultou em sua prisão em Constantinopla. Ele conseguiu escapar e retornou para casa para liderar uma segunda revolta, desta vez vitoriosa, que conseguiu estabelecer a independência de seu pequeno estado, que ele reinaria como "príncipe do sérvios"[1] , um título que indicava que ele era o líder supremo dos sérvios.

Ele é o fundador epônimo da Dinastia Vojislavljević.

Origem e primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Os escritores contemporâneos relatam que ele era sérvio, mas não mencionam sua genealogia. Uma fonte posterior, mais duvidosa, afirma que ele era primo do monarca anterior, Jovan Vladimir (r. 990-1016)[b].

Tendo alcançando seu apogeu durante o longo reinado do imperador Basílio II, Império Bizantino entrou, logo após a sua morte em 1025, num consistente declínio, particularmente evidente nos Balcãs. Lá, a eliminação da ameaça constante do Império Búlgaro e a cobrança de impostos excessivos ajudaram a fomentar movimentos de libertação do domínio bizantino.

Vojislav tinha o título de arconte e toparca das fortalezas dálmatas de Zeta e Ston[2] [3] .

Na época, os assuntos dos dálmatas, croatas, sérvios e outros povos da região eram supervisionados por estrategos em Naísso, Escópia, Ragusa) e Dirráquio. Vojislau se encontrava frequentemente com Catalacon Clazomenita, o estratego de Ragusa e, numa dessas ocasiões, raptou-o juntamente com sua corte para que ele fosse o padrinho de batismo de seu filho[2] , o que mostra uma relação próxima entre os líderes nativos e os oficiais bizantinos na zona periférica do império nos Balcãs depois da reconquista de Basílio[3] .

Revoltas[editar | editar código-fonte]

...Estêvão Vojislau, arconte dos sérvios, que, não faz muito tempo, escapou de Constantinopla e tomou as terras dos sérvios, banindo Teófilo Erótico
 
Mapa da região no século XI.

Por volta de 1034 (de acordo com Escilitzes), os sérvios renunciaram ao jugo bizantino. Estêvão, possivelmente um primo do assassinado Jovan Vladimir, organizou uma revolta durante a confusão depois da morte de Romano III Argiro. Ele foi derrotado e preso na capital entre 1035 e 1036[4] e seu reino foi entregue para o estratego Teófilo Erótico. No final de 1037 ou início de 1038, ele conseguiu escapar da prisão e retornou para Dóclea, onde organizou uma nova revolta, desta vez contra os aliados sérvios do imperador nas regiões vizinhas[5] [6] .

Fazendo uso de táticas de guerrilha e criando distrações na forma de outras revoltas, ele conseguiu repelir diversas expedições enviadas para puni-lo e consolidou o controle sobre os principados de Travúnia e Zaclúmia. Assim, em 1040, seu estado já se estendia por toda a costa da Dalmácia, entre Ston, no norte, até sua capital, Skadar, na margem sul do lago de mesmo nome. Ele também mantinha cortes em Trebinje, Kotor e Bar[7] .

Guerras contra os bizantinos[editar | editar código-fonte]

O imperador bizantino Miguel IV, que estava em Tessalônica, esperava receber um carregamento de 10 kentenars de ouro (7 200 nomismas de ouro[8] ) vindos do sul da Itália em 1039. Contudo, o navio que trazia a carga encalhou na costa dóclea por causa de uma tempestade no inverno de 1039-1040 e a carga foi tomada por Vojislau, que se recusou a devolvê-la a Miguel[1] [7] Furioso, o imperador, que já havia retomado Dirráquio, enviou o general Jorge Probatas para atacar Vojislau, mas o exército bizantino não conhecia o território tão bem quanto o príncipe e acabou sendo emboscado nos cânions da região, sofrendo uma derrota total. Relata-se que o filho de Vojislau, Radoslau, matou o comandante bizantino em combate. Cecaumeno, um estratego enviado em seguida para combatê-lo acabou sendo preso e levado para Ston.

A Revolta de Pedro Delian em 1040-1042, que se auto-proclamou tsar Pedro II da Bulgária dificultou para os bizantinos o envio de uma nova expedição contra a Dóclea, ocupando-lhes as forças por um tempo.

Em 1042, o župan da Ráscia (um título subordinado e que demonstra a suserania bizantina[7] ), "Ban da Bósnia" e "príncipe de Hum" Ljutovid, recebeu uma grande quantidade de ouro e prata para apoiar os bizantinos na deposição de Vojislau[9] . Ljutovid marchou contra a Dóclea em 1043, mas também foi emboscado e derrotado por Vojilau na colina de Klobuk[10] , em Konavli (que era na época parte da Travúnia). Ele se aproveitou da vitória e anexou a maior parte da Zaclúmia e da Travúnia.

O novo imperador, Constantino IX, decidiu atacar a Dóclea com o exército do Tema de Dirráquio e dos temas vizinhos. Comandado por Miguel Anastácio, suas forças foram derrotadas e, assim, Vojislau assegurou a independência da Dóclea[11] .

Anos finais[editar | editar código-fonte]

Vojislau reinou em paz até a sua morte em 1043. Ele deixou a esposa e cinco filhos - Gojislau , Predimir, Miguel Vojislau, Saganek and Radoslav[12] -, e foi enterrado na Igreja de Santo André em Prapratna, uma cidade entre Bar e Ulcinj.

A Dóclea permaneceu como o centro do estado sérvio, que já havia substituído (em termos de liderança) a Ráscia, uma posição que ela manteve por poucos anos sob o governo de Miguel enquanto os demais principados sérvios se uniam com a Ráscia sob o comando de Vukan.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Estêvão Vojislau
Nascimento:  ? Morte: 1043
Títulos reais
Precedido por:
Teófilo Erótico
como Estratego da Sérvia
Príncipe da Dóclea
1040-1043
Sucedido por:
Miguel I
Vago
Último detentor do título:
Jovan Vladimir
Príncipe dos sérvios
1018-1043
Cargos políticos
Nova criação Toparca de Zeta e Ston
(vassalo bizantino)

1018-1034
Sucedido por:
Teófilo Erótico

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Seu nome é Vojislav (em grego: Βοϊσθλάβος). Ele adicionou o título criado por ele de Stefan, baseado na palavra grega Στέφανος (Stephanos), que significa "coroado". Kekaumenos também o chama de "Vojislau, o Diocleciano"[13] e "Tribounios, o Sérvio" (Τριβούνιος ό Σέρβος)[14] , um nome que se translitera para o latim como Stephanus Boisthlabus e em português como "Estêvão Vojislau". Na Crônica do Padre da Dóclea, o autor se refere a ele como Dobroslav.
[b] ^ João Escilitzes[1] João Zonaras,[15] Jorge Cedreno,[16] Miguel Glica,[17] e Cecaumeno[14] o chamam de "sérvio" (Σέρβος). De acordo com a Crônica do Padre da Dóclea (de confiabilidade duvidosa), Vojislau nasceu no mês de abril em Brusno, filho do tio de Jovan Vladimir, o knyaz Dragomir (r. 1016-1018), e uma filha do župan da Ráscia, Ljutomir (é possível que seja uma corruptela de Ljutovid[18] , um adversário de Vojislau) e foi criado na Bósnia por sua mãe[5] . Seu pai foi sucedido por Jovan em 1016 e reinou até ser morto pelos habitantes de Kotor em 1018[19] .

Referências

  1. a b c d Escilitzes, 408-9
  2. a b Kekaumenos, ed Litavrin, 170-2
  3. a b Paul Magdalino, Byzantium in the year 1000, p. 124
  4. Vizantološki institut SANU, „Vizantijski izvori za istoriju naroda Jugoslavije (III tom)“ (fototipsko izdanje originala iz 1967), Beograd 2007 ISBN 978-86-83883-09-7
  5. a b Fine, p. 203
  6. The Serbs, p. 25
  7. a b c The early medieval Balkans, p. 206
  8. Tibor Živković, „Portreti srpskih vladara (IX-XII)“, Beograd 2006 ISBN 86-17-13754-1
  9. The legend of Basil the Bulgar-slayer, p. 42-43
  10. Marko Vego, Naselja bosanske srednjevjekovne države, Svjetlost, 1957. Google Books
  11. Cedreno II, col. 275.
  12. The early medieval Balkans, p. 213
  13. Kekaumenos 108.11-12
  14. a b Kekaumenos 104.14
  15. Zonaras 17.20.7
  16. Cedrenus, ed. Bonn, II, p. 526
  17. Glica 594.3-7
  18. http://www.scribd.com/doc/18757181/Tibor-Zivkovic-Forging-Unity
  19. Fine, p. 202

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estêvão Vojislau