Estação Roma Termini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde maio de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A estação ferroviária Roma Termini (desde 23 de dezembro de 2006 dedicada a João Paulo II) é a estação ferroviária mais importante de Roma e uma das maiores da Europa. Seu nome vem do distrito homônimo, que por sua vez foi batizado a partir das antigas Termas de Diocleciano (em latim, thermae), que se encontram em frente à entrada principal da estação.[1]

Edificada em 1867, projectada por Salvatore Bianchi, situa-se no sopé do monte Esquilino; está localizada no local de um quarteirão de Roma bastante populoso no século II, posteriormente abandonado, que compreendia terras rurais das famílias patrícias.

Restruturada em ocasião do Jubileu de 2000, tornou-se um importante ponto de referência para os turistas e cidadãos romanos, sobretudo graças à presença de numerosos serviços no Fórum Termini, um grande centro comercial situado nos planos subterrâneos da estação.

Esta estação tem ligação com as linhas A e B do metropolitano de Roma e com numerosas linhas de autocarros expressos e urbanos e também com eléctricos e tróleis.


Recentemente, o sindaco (presidente) de Roma, Walter Veltroni, manifestou a intenção de dedicar o nome da estação ao Papa João Paulo II, embora tenha sofrido alguma oposição por parte da administração comunal e partidos políticos.

Referências

  1. Guida d'Italia. Roma. Milão: Touring Club Italiano, 1999. p. 162.: "il toponimo deriva dalle terme di Diocleziano".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Estação Roma Termini