Estação de Genebra-Cornavin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estação de Genebra-Cornavin
Gare de Cornavin, entrée principale.jpg
Inauguração 1858
Linha(s) SBB-CFF-FFS. SNCF (TGV)
Coordenadas 46° 12′ N 6° 8′ E
Concelho Genebra Suíça
Serviços Ferroviarios Regional, Inter-regional e Internacional
Serviços Ligação a autocarros Serviço de táxis Informações - Gabinete de Apoio ao Cliente Bilheteira Estação sem barreiras arquitectónicas Guarda de bagagem Telefones públicos Caixas Multibanco Bar ou cafetaria Restaurante Sala de espera Lavabos Posto de perdidos e achados Acesso à Internet Parque de estacionamento

A Estação de Cornavin ou Estação de Genebra, nesta cidade da Suíça (Gare de Cornavin em Francês), cada vez mais é chamada de Estação de Genebra-Cornavin para a diferenciar da Estação de Genebra-Aeroporto

A Estação de Genebra ainda é a principal estação de caminho de ferro de Genebra e a quarta da Suíça, e vê passar anualmente mais 85 000 passageiros e 230 comboios diários. Com o prolongamento da linha até o aeroporto o numero de passageiros em Cornavin não baixou porque, em número global, aumentaram o numero de passageiros que toma este meio de transporte.

Destinos[editar | editar código-fonte]

Cornavin é o ponto de partida para a linha Genebra-Lausanne e para o resto da Suíça com os SBB-CFF-FFS, e é uma estação internacional na direcção da França, com a partida do TGV da SNCF para Paris ou do RER franco-valdo-genebrino para atravessar Genebra ou liga-se com a região Ródano-Alpes.

Está previsto para fins de 2017 a ligação com a CEVA, acrónimo de "Cornavin - Eaux-Vives - Annemasse", o projecto de uma ligação ferroviária entre o Estado de Genebra e a Alta-Sabóia (França).

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

As duas linhas dedicadas ao TGV

Como o sistema eléctrico utilizado nos comboios na Suiço e na França não são os mesmos, a alimentação para o TGV é fornecida pela frança pelo que há duas vias dedicada a essa serviço. Por outro lado essa separação facilitava o problema da passagem na fronteira tanto à saída como à entrada em cada país.

Á esquerda da entrada da estação encontra-se o Hotel Cornavin que tem à porta uma imagem de Tintin pois que no L'Affaire Tournesol o Professor Girassol "ocupou" o quarto 122, aliás a chave desaparece regularmente! [1]

Festividades[editar | editar código-fonte]

Construída em 1858, grandes manifestações tiveram lugar em 2008 para celebrar os 150 da estação [nota 1]

História[editar | editar código-fonte]

François Bartholoni de origem florentina, cuja família se havia refugiado e instalado em Genebra, já havia tido um papel importante na construção da linha de ferro Paris-Orléans, quando escolhe o local da futura estação para ligar Genebra a Lyon, linha e edifício que ele mesmo financia [2] . Muito dedicado a Genebra e grande melómano também é ele que manda construir o Conservatório de Música de Genebra em 1858 e que em 1863 sugere ao Conselho Federal a criação da "Société générale des chemins de fer suisses" na origem dos actuais Caminhos de Ferro Federais (SBB-CFF-FFS) [3] .

Em 1909 um incêndio só deixa de pé os muros, mas os CFF reconstroem o edifício. Depois da decisão da Sociedade das Nações de se virem instalar na cidade, Genebra lança-se em grandes obras e um deles é a reconstrução integral da estação, e cujos restos foram utilizados na outra margem do Lago Lemano como terraplanagem para criar a Praia de Genebra.

Entre 2010 e 2013 os CFF estão a efectuar enormes trabalhos no edifício e principalmente nas estruturas ferroviárias.

Notas

  1. Imagens de ontem e de hoje num blog. Suprima o espaço no URL http:// augrandpassage.blogspot.com/2008/11/150-ans-de-tronon-lausanne-genve.html

Referências

  1. Tintin Cornavin (em francês) - Abril 2012
  2. FAO 22.08.07 Geneve (em francês) - Abril 2012
  3. DHS (em francês) Visitado: Abril 2014