Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver
 Brasil
1967 • P&B/cor • 95 min 
Direção José Mojica Marins
Produção Augusto Pereira de Cervantes (Ibéria Filmes)
Coprodução José Mojica Marins
Antonio Fracari
Roteiro José Mojica Marins
Elenco José Mojica Marins
Tina Wohlers
José Lobo
Gênero Terror
Idioma Português
Música Herminio Giménez
Direção de arte José Vedovato
Cinematografia Giorgio Attili
Edição Luis Elias
Lançamento 13 de marco de 1967 (São Paulo)
Cronologia
Último
Último
À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1963)
Encarnação do Demônio (2008)
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Esta noite encarnarei no teu cadáver é um filme brasileiro de terror de 1967, protagonizado e dirigido por José Mojica Marins, que encarna seu famoso personagem Zé do Caixão. O filme é uma continuação de À Meia-Noite Levarei Sua Alma de 1963.[1] [2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Zé do Caixão tenta encontrar, num povoado onde é agente funerário, a donzela que lhe dará o filho perfeito, convencido de que a única forma de imortalidade é a do sangue. Com a ajuda do fiel criado Bruno, rapta seis moças do lugarejo, e, enquanto a polícia as procura e o clero tenta apaziguar o povo enfurecido, ele faz o teste do medo: só uma donzela não se aterroriza ante o ataque de tarântulas no meio da noite. Será esta a escolhida? As outras serão entregues à volúpia do criado hediondo de Zé, ou colocadas num poço cheio de cascavéis. Uma das vítimas jura que encarnará no cadáver do sádico. Este põe sua favorita em liberdade e sai em busca de outra donzela. Atrai a seu antro de horrores uma recém-chegada e a mantém sob domínio místico. Com ela terá o seu filho. Durante a noite, Zé tem um pesadelo: a Morte leva-o a um cemitério, onde cadáveres saem das tumbas e o puxam para o inferno. Corredores de gelo, onde homens e mulheres ensanguentados são permanentemente torturados por carrascos do rei das trevas, de quem Zé do Caixão identifica sua própria fisionomia. As suas vítimas aparecem, ameaçadoramente, e Zé acorda. Sua mulher não suportará o parto e sucumbe. Sua esperança de perpetuar seu ser se desvanece, e Zé do Caixão profere blasfêmias contra os homens e suas divindades, no momento em que o povo, revoltado, sai em seu encalço. Depois de escapar de um atentado, Zé penetra num pântano e morre diante do povo e das autoridades, quando os esqueletos de suas vítimas boiam à superfície. Estava cumprido o juramento da donzela que ele sacrificara.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • José Mojica Marins.... Zé do Caixão
  • Tina Wohlers.... Laura
  • Nádia Freitas.... Márcia
  • Nelson Stasionis(as).... Cadavérico
  • Antônio Fracari.... Truncador
  • Osvaldo de Souza
  • Tânia Mendonça
  • Mina Monte
  • Esmeralda Ruschel
  • Roque Rodrigues.... Coronel
  • William Morgan
  • Arlete Brazolin
  • Graveto
  • José Carvalho
  • Paula Ramos
  • José Lobo
  • Geraldo Bueno
  • José Vedovato
  • Nádia Tell
  • Nivaldo de Lima
  • Laércio Laurelli.... dublador da voz de José Mojica Marins

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O filme foi censurado na época, pois no filme Zé do Caixão levava vários tiros e, antes de morrer, confirmava sua descrença em Deus dizendo: "Eu não creio. Não creio", enquanto afundava nas águas sujas de um lago. Para o filme ser liberado foi exigida uma mudança no roteiro, e Zé do Caixão passou a dizer o texto imposto pelos censores "Deus… Sim… Deus é a verdade! Eu creio em tua força. Salvai-me! A cruz, cruz, padre…!"

No final da gravações e atriz Nádia Freitas.... Márcia, acabou adoecendo e teve que ser substituída pela continuísta Maria Edite conhecida também com Jô. Hoje a Maria Edite vive no Bairro da Freguesia do Ó, tem dois filhos e duas netas.

Referências

  1. Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967) (em inglês) IMDb. Página visitada em 8 julho 2011.
  2. Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver UOL.com. Página visitada em 8 julho 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]