Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Држава Словенаца, Хрвата и Срба
Država Slovencev, Hrvatov in Srbov

Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios
Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg
1918 Flag of the Kingdom of Yugoslavia.svg
 
Flag of Italy (1861-1946).svg

Bandeira de Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios

Bandeira

Continente Europa
Capital Zagreb
Língua oficial Servo-croata e esloveno
Governo Estado não reconhecido
Presidente do Conselho Nacional
 • 1918 Anton Korošec
História
 • 29 de outubro de 1918 de 1918 Primeira Guerra Mundial
 • 1 de dezembro de 1918 de 1918 Se juntou ao Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos
Nota: Não confundir com Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos

O Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios foi um estado de curta existência, criado na região dos Bálcãs, Europa, na região sul do Império Austro-húngaro após sua dissolução, ao término da Primeira Guerra Mundial. Sua população era formada por eslovenos, croatas e sérvios. Sua capital era Zagreb, também capital da atual Croácia.

Nome[editar | editar código-fonte]

O Estado foi criado já com o nome de Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios (em servo-croata: Država Slovenaca, Hrvata i Srb; em esloveno: Država Slovencev, Hrvatov in Srbov).

Os sérvios, aos quais o nome se refere, são aqueles que viviam na Bósnia e Herzegovina, Eslavônia e Dalmácia e não à população do Reino da Sérvia (que incluía o território atual da Macedônia) e os sérvios do Reino de Montenegro e da região da Voivodina, já que estes territórios não faziam parte do Estado.

História[editar | editar código-fonte]

O estado foi formado oficialmente em 29 de outubro de 1918. Era governado pelo Conselho Nacional (Narodno vijeće), composto por políticos influentes da época. O presidente era um esloveno, Anton Korošec. Os dois vice-presidentes eram o sérvio Svetozar Pribićević, e o croata Ante Pavelić.

As aspirações do novo estado eram de incluir todos os territórios da extinta Áustria-Hungria que fossem habitados por eslovenos, croatas e sérvios. No entanto, os sérvios residentes na Voivodina se opuseram, criando sua administração própria junto ao Conselho Nacional Sérvio em Novi Sad. Voivodina se juntou ao Reino da Sérvia em 25 de novembro de 1918, um dia depois da Sírmia, que chegou a fazer parte do Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios.

A fim de evitar que sua marinha fosse tomada pela Tríplice Entente, o Imperador Austríaco entregou toda a frota austro-húngara, de batalha e mercante, incluindo todos os portos, arsenais e fortes da costa, ao Conselho Nacional do Estado. O Conselho enviou notas diplomáticas aos governos da França, Reino Unido, Itália, Estados Unidos e Rússia, a fim de notificá-los que não estava em guerra contra eles e que estavam sob o controle de toda a frota austro-húngara. No entanto, a frota logo foi atacada e desmembrada pela marinha italiana.

O Estado não chegou a receber reconhecimento diplomático internacional, já que deixou de existir brevemente. Em 1º de dezembro de 1918, o Conselho Nacional se juntou ao Reino da Sérvia – que havia acabado de tomar o Reino de Montenegro, para criar o Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos. A região da Ístria foi anexada ao Reino de Itália.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Vladimir Ćorović, Ilustrovana istorija Srba, knjiga šesta, Belgrade, 2006.
  • Drago Njegovan, Prisajedinjenje Vojvodine Srbiji, Novi Sad, 2004.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]