Estrias glaciais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Estriagens glaciais no Parque Nacional do Monte Rainier.
Sucos glaciais decorrentes da glaciação Wisconsin na Ilha Kelleys, Ohio.

As estriagens glaciais ou sulcos glaciais são riscos ou ranhuras cortadas em leito rochoso pelo processo de abrasão glacial. Estriagens glaciais usualmente ocorrem como retas múltiplas, sulcos paralelos representando o movimento da base carregada de sedimento da geleira. Grandes quantidades de cascalho áspero e pedregulhos carregados juntos debaixo da geleira proveem a força abrasiva para lapidar as ranhuras e sedimentos mais finos também na base da geleira que se move adiante e esfrega e pole o leito rochoso.

A maioria das estriagens glaciais foram expostas pelo recuo de geleiras desde o Último máximo glacial ou a mais recente Pequena Idade do Gelo. Tão bem quanto indicar a direção do fluxo do gelo glacial, a profundidade e a extensão das condições climáticas das ranhuras pode ser usado para calcular a duração da exposição pós-geleira da rocha.

Um exemplo extremo de estriagens glaciais pode ser encontrado nos Sulcos Glaciais na Ilha Kelleys, Ohio (um Ponto de Referência Natural Nacional), a mais impressionante das quais tem 120 m (400 ft) de comprimento, 11 m (35 ft) de largura e até 3,0 m (19 ft) de profundidade. Estes sulcos cortam o Calcário Columbus.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre glaciologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre geomorfologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.