Estrogonofe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um prato de estrogonofe

Estrogonofe (do russo строганов, stroganov) é um prato originário da culinária da Rússia composto de cubos de carne bovina servidos num molho de creme de leite. Desde suas origens no século XIX, o prato popularizou-se em muitos países europeus, norte-americanos e no Brasil, sempre com variações consideráveis da receita original.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Elena Molokhovets, uma conhecida chef de cozinha russa, mostrou, em seu livro Um presente para jovens donas de casa (em russo Подарок молодым хозяйкам), a primeira receita conhecida para Govjadina po-strogonovski, s gorchitseju ("Estrogonofe de carne com mostarda") que consistia de cubos empanados de carne num molho de mostarda e um caldo de legumes (bouillon) finalizado com uma pequena porção de creme azedo (sour cream), sem cebolas ou cogumelos adicionados a receita.

Uma receita de 1912 adicionou cebolas, e extrato de tomate sendo servida também com batatas-palito, que são consideradas uma tradicional "decoração" para comida na Russia.[1] A versão dada em 1938 na Larousse Gastronomique incluia bife em tiras e cebolas, com mostarda ou extrato de tomate opcionais.

Após a queda do Império Russo, a receita se popularizou em hotéis e restaurantes da China antes do início da II Guerra Mundial. Imigrantes russos e chineses, assim como servidores estadunidenses que trabalhavam na China pré comunista, foram responsáveis em trazer diversas variações a receita tradicional, bem como por tonar a receita popular a partir dos anos 50.

Na França recebeu os Champignons e foi prato sofisticado do restaurante Maxim's, embora hoje tenha se popularizado, não tendo mais seu antigo grande prestígio junto à gastronomia.

Com a sua popularização, em alguns países é possível observar o preparo de panquecas ou batatas assadas (tipo inglesas) com Estrogonofe. As muitas variações da comida incluem: com vinho, com milhos, com palmito, com ketchup ao invés de extrato de tomate e etc.

No mundo[editar | editar código-fonte]

As Versões norte-americanas e Australiana da receita geralmente são preparadas com tiras de bife, também bacon, cogumelos cebolas e molho de sour cream servido com arroz (EUA e Austrália) ou macarrão (mas comum nos EUA). Era o prato preferido do presidente norte-americano Abraham Lincoln, e do famoso ator Charles Chaplin.[2] [3]

O estrogonofe é bastante popular no Brasil, onde tem muitas variações como o uso de carne de frango ou camarões. A principal característica do estrogonofe brasileiro é o uso de molho de tomate misturado com o creme de leite. Além disso, é quase sempre servido com uma porção de arroz (branco ou à grega) e batata-palha, enquanto que na Rússia era geralmente servido com batatas cozidas.

Estrogonofe também é popular na Suécia e Noruega. Na Suécia, uma variante comum, é o estrogonofe de linguiça, que usa a tradicional linguiça sueca chamada falukorv como substituta para a carne.

O nome[editar | editar código-fonte]

Existem várias explicações para o nome desse prato, presume-se que seja derivado do nome de algum membro da grande e importante família Stroganov, talvez Alexander Grigorievich Stroganoff de Odessa ou o Conde Pavel Stroganov[4] . Outra versão diz que o nome do prato viria de uma rica família de Veliky Novgorod, próxima a São Petersburgo, de amigos de Voltaire e influentes junto a Catarina, a Grande. A iguaria teria sido criada no século XIX por um cozinheiro francês que trabalhava para essa família.[5]


Uma competição de 1890 é algumas vezes mencionada por ter "batizado" o prato, mas tanto a receita quanto o nome existiam antes desse evento.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Joyce Toomre, ed., Classic Russian Cooking: Elena Molokhovets' A Gift to Young Housewives, 1992; a primeira edição de Molokhovets é de 1861; a receita de 1912 mencionada por Toomre está em Alekandrova-Ignat'eva.
  2. Livro:The curiosities of american actors. Editora:Smart Monkey.
  3. Livro:The Greatest Leaders of America. Editora:Columbia University Press.
  4. Oxford Companion to Food, s.v. "beef".
  5. "A rainha que virou pizza" -Autor: José Antônio Dias Lopes - Cia. Editora Nacional 2007

Ligações externas[editar | editar código-fonte]