Estrutura biomolecular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma estrutura biomolecular é uma estrutura de biomoléculas, fundamentalmente proteínas e os ácidos nucleicos ADN e ARN. A estrutura destas moléculas é normalmente repartida em estrutura primária, secundária, terceária e quaternária. O suporte desta estrutura é fornecido por elementos estruturais secundários dentro da própria molécula, as ligações de hidrogénio. Isto leva a que haja vários "domínios" observáveis de estruturas proteicas e estruturas nucleicas, incluindo estruturas secundárias como hairpin loops, protuberâncias, e laços internos para os ácidos nucleicos, e alfa-hélices e folhas-beta para as proteínas. Os termos das estruturas primária, secundária, terceária e quaternária foram sugeridos por Linderstrøm-Lang na Universidade de Stanford em 1951.

Estrutura primária[editar | editar código-fonte]

Em bioquímica, a estrutura primária de uma molécula biológica é a especificação exacta da sua composição atómica e dos laços químicos que ligam os átomos entre si. Para um biopolímero típico, sem ramificações ou ligações cruzadas (como uma molécula de ADN ou ARN), a estrutura primária é equivalente a especificar a sequência das suas sub-unidades monométricas, isto é, a sua sequência nucleótida ou péptida.

Estrutura secundária[editar | editar código-fonte]

Estruturas secundárias e terceárias do tARN exibindo emparelhamento coaxial.

Em bioquímica e em biologia estrutural, a estrutura secundária é a forma tridimensional de segmentos locais de biopolímeros como as proteínas e os ácidos nucleicos (ADN a ARN). Contudo, não descreve posições atómicas específicas no espaço tridimensional, que são consideradas como fazendo parte da estrutura terceária. A estrutura secundária define-se formalmente pelos laços de hidrogénio dos biopolímeros, tal como observado numa estrutura a nível atómico. Nas proteínas, a estrutura secundária é definida por padrões de laços de hidrogénio ente a estrutura de amido e os grupos carboxyl.

Estrutura terciária[editar | editar código-fonte]

Em bioquímica e em biologia estrutural, a estrutura terciária de uma proteína ou qualquer outra macromolécula é a sua estrutura tridimensional, tal como definida pelas coordenadas atómicas.[1] As proteínas e os ácidos nucleicos são capazes de exercer diversas funções, desde o reconhecimento molecular até à catalização. Estas funções necessitam de uma estrutura terciária tridimensional. Ao mesmo tempo que estas estruturas são complexas e bastante diversificadas, são compostas por elementos recorrentes e facilmente identificáveis que actuam como blocos de construção.

Estrutura quaternária[editar | editar código-fonte]

Em bioquímica, a estrutura quaternária é a disposição de múltiplas proteínas enoveladas ou moléculas de proteínas num complexo de múltiplas subunidades. O termo é menos frequente para ácidos nucleicos, mas pode-se referir à mais alta organização de ADN na cromatina,[2] incluindo as suas interacções com as histonas, ou com as interacções entre unidades separadas de ARN no ribossoma ou no spliceossoma.[3] [4]

Referências

  1. União Internacional de Química Pura e Aplicada. "{{{título}}}". Compêndio de Terminologia Química Edição da internet.
  2. (1977) "Probing DNA quaternary ordering with circular dichroism spectroscopy: Studies of equine sperm chromosomal fibers". Biopolymers 16 (3): 573–82 pp.. DOI:10.1002/bip.1977.360160308. PMID 843604.
  3. (1984) "Structure of Ribosomal RNA". Annual Review of Biochemistry 53: 119–62 pp.. DOI:10.1146/annurev.bi.53.070184.001003. PMID 6206780.
  4. (2001) "RNA tertiary interactions in the large ribosomal subunit: The A-minor motif". Proceedings of the National Academy of Sciences 98 (9): 4899–903 pp.. DOI:10.1073/pnas.081082398. PMID 11296253.
Ícone de esboço Este artigo sobre Bioquímica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.