Estudos latino-americanos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Estudos latino–americanos é o nome dado a cursos acadêmicos oferecidos em universidades que se dedicam à América Latina em todos seus fenômenos. O que em inglês é chamado comumente de Latin American Studies leva o nome de Latinoamericanística (do alemão Lateinamerikanistik) em países europeus, sobretudo os de cultura germânica. Os estudos latinoamericanos na Rússia têm uma vertente econômica.[1] O instituto hispanoamericano mais conhecido de “Estudos Latinoamericanos” é provavelmente aquele da Universidade Nacional Autónoma de México.[2] Os “Estudos latinoamericanos” nos Estados Unidos se organizam através da Latin American Studies Association (que se pensa como instituição global).[3] Uma das revistas mais conhecidas é o Journal of Latin American Studies.

História[editar | editar código-fonte]

A América Latina tem sido estudada de uma forma ou outra desde que Cristóvão Colombo “descobriu” o continente em 1492, e mesmo antes. Nos séculos XVIII e XIX, exploradores como o cientista Alexander von Humboldt publicaram extensivamente sobre a região. No final do século XIX e na virada do século XX, dentro da própria região, escritores como o cubano José Martí e José Enrique Rodó incentivaram a consciência da identidade regional. Mas o “latino-americanismo” enquanto conceito e disciplina acadêmica surge apenas no final do século XX, e principalmente na Europa e América do Norte.

Nos Estados Unidos, os Latin American Studies foi impulsionada pela lei 1958 que forneceu recursos financeiros para esse tipo de estudos.[4]

Instituições que oferecem “estudos latinoamericanos”[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Vladímir Davydov. “Trayectoria y perspectivas de la latinoamericanistica rusa
  2. http://latinoamericanos.posgrado.unam.mx/
  3. http://lasa.international.pitt.edu/
  4. http://www.ed.gov/about/offices/list/ope/iegps/history.html