Eta Antliae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
η Antliae
Dados observacionais (J2000)
Constelação Antlia
Asc. reta 09h 58m 52,3s[1]
Declinação -35° 53′ 27,5″[1]
Magnitude aparente 5,222[2]
Características
Tipo espectral F1 V[3]
Cor (U-B) +0,068[2]
Cor (B-V) +0,333[2]
Astrometria
Velocidade radial 30 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -89,65 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -17,23 mas/a[1]
Paralaxe 30,02 ± 0,24 mas[1]
Distância 108,6 ± 0,9 anos-luz
33,3 ± 0,3 pc
Magnitude absoluta 2,66
Detalhes
Massa 1,55[4] M
Gravidade superficial 3,94 (log g)[3]
Luminosidade 6,6[4] L
Temperatura 7 ,132[3] K
Metalicidade [Fe/H] –0,20[3]
Idade 900 milhões[4] de anos
Outras denominações
CD–35 6050, FK5 377, HD 86629, HIP 48926, HR 3947, SAO 200926.[1]
Eta Antliae
Antlia constellation map.png

Eta Antliae (η Ant, η Antliae) é uma estrela dupla na constelação de Antlia. A estrela mais brilhante tem uma magnitude aparente de 5,222,[2] sendo visível a olho nu em boas condições de visualização. Medições de paralaxe mostram que o sistema está a cerca de 108,6 anos-luz (33,3 parsecs) da Terra.[1]

O componente principal tem uma classificação estelar de F1 V,[3] o que indica que é uma estrela de classe F da sequência principal. Tem 55% mais massa que o Sol.[4] Brilha com uma luminosidade 6,6 vezes maior que a do Sol[4] a uma temperatura efetiva de 7 132 K.[3] Essa temperatura dá à estrela uma coloração branco-amarela típica de estrelas de classe F.[5] A 31 segundos de arco de distância está o segundo componente, com uma magnitude aparente de 11,3. O par provavelmente forma um sistema estelar binário.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h SIMBAD query result - eta Ant (em inglês) Simbad. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Página visitada em 20 de agosto de 2012.
  2. a b c d Gutierrez-Moreno, Adelina et al. (1966), A System of photometric standards, 1, Publicaciones Universidad de Chile, Department de Astronomy, pp. 1–17, Bibcode1966PDAUC...1....1G. 
  3. a b c d e f Gray, R. O. et al. (julho de 2006), "Contributions to the Nearby Stars (NStars) Project: spectroscopy of stars earlier than M0 within 40 pc-The Southern Sample", The Astronomical Journal 132 (1): 161–170, doi:10.1086/504637, Bibcode2006AJ....132..161G. 
  4. a b c d e Mallik, Sushma V.; Parthasarathy, M.; Pati, A. K. (outubro de 2003), "Lithium and rotation in F and G dwarfs and subgiants", Astronomy and Astrophysics 409: 251–261, doi:10.1051/0004-6361:20031084, Bibcode2003A&A...409..251M. 
  5. "The Colour of Stars", Australia Telescope, Outreach and Education (Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation), 21 de dezembro de 2004, http://outreach.atnf.csiro.au/education/senior/astrophysics/photometry_colour.html, visitado em 16 de janeiro de 2012. 
  6. Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A. (setembro de 2008), "A catalogue of multiplicity among bright stellar systems", Monthly Notices of the Royal Astronomical Society 389 (2): 869–879, doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x, Bibcode2008MNRAS.389..869E. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.