Etnociência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Etnociência pode ser considerado um campo mulidisciplinar da antropologia (cultural) e etnologia. O termo surgiu na década de 1950 e 1960 sem concretizar o conceito. O conceito da etnociência, ainda conhecida como antropologia cognitiva (do inglês: cognitive anthropology), abrange no sentido mais amplo aspectos da etnobiologia, etnolinguística, etnobotânica e outros campos relacionados.[1]

Tentativa de resumo[editar | editar código-fonte]

Entre os enfoques que mais tem contribuído para o estudo do conhecimento tradicional está a etnociência, que estuda o conhecimento das populações humanas sobre os processos naturais, tentando descobrir o conhecimento humano acerca do mundo natural, as taxonomias e classificações populares. As relações de conhecimento e ação entre populações humanas e seu ambiente resultam em correlações entre diversidade biológica e cultural e estas têm sido consideradas em temas interdisciplinares, principalmente em ciência ambiental, ecologia humana, economia ecológica, ecologia política, sociologia ambiental e outras. Entre as etnociências, está a etnobiologia, que trata das percepções, usos e classificação dos homens em relação ao meio ambiente. Isso inclui o estudo dos tipos e usos dos recursos e a lógica que está por trás da classificação destes homens.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hildo Honório do Couto: Ecolinguística: estudo das relações entre língua e meio ambiente, Brasília: Thesaurus editora, 2007