Eudy Simelane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Eudy Simelane (197728 de abril de 2008) foi uma futebolista sul-africana que jogava pela Seleção Feminina de Futebol da África do Sul e uma ativista dos direitos LGBT. Ela foi estuprada e assassinada na cidade de KwaThema, Springs, Gauteng.[1]

Futebol[editar | editar código-fonte]

Simelane jogava como meio-campo pelo Springs Home Sweepers F.C.[2] e para a Seleção feminina de Futebol da Àfrica do Sul. Ela também era treinadora de quatro times e estudava para ser juíza.[3]

O corpo parcialmente vestido foi encontrado em KwaThema. Ela foi estuprada por uma gangue, agredida com violência e esfaqueada 25 vezes no rosto, peito e pernas. Ela foi uma das primeiras pessoas a viver a de forma aberta a sua opção sexual em KwaThema.[1] Um relatório da ONG internacional ActionAid, apoiado pela Comissão de Direitos Humanos da África do Sul, sugeriu que o assassinato foi um crime de ódio (''hate crime) cometido contra ela por causa da orientação sexual.[1]

Segundo a organização local de direitos de homossexuais, "Triangle", as práticas de "estupro corretivo" é amplamente praticada na África do Sul, pelo qual um homem estupra uma lésbica para supostamente curá-la.[1]

O julgamento dos quatro suspeitos começou em 11 de Fevereiro de 2009 em Delmas, Mpumalanga.[4] Um dos acusados foi sentenciado a 32 anos de cadeia.[1] Em setembro de 2009 um outro foi condenado a prisão perpétua mais 35 anos, enquanto os outros dois foram absolvidos.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Kelly, Annie. "Raped and killed for being a lesbian: South Africa ignores 'corrective' attacks", The Guardian, 12 March 2009. Página visitada em 2009-03-14.
  2. Tribute To The Late Former Banyana Banyana Player, Eudy Simelane Tribute SAFA (1 May 2008). Visitado em 2009-07-29.
  3. Joburg Pride Wall of Rememberance Gay & Lesbian Pride News GMax.co.za (3 October 2008). Visitado em 2009-07-29.
  4. Nath, Dipika. "Stop the Violence - Live Updates from South Africa", Human Rights Watch, 11 February 2009. Página visitada em 2009-03-14.
  5. "Life for killing lesbian activist", SAPA, 23 September 2009. Página visitada em 7 October 2009.