Evágrio de Antioquia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Evágrio de Antioquia foi um dos postulantes à Sé de Antioquia durante o período de 388 até 392. Ele sucedeu Paulino de Antioquia e tinha o apoio do partido eustatiano - aderente fiel ao credo de Niceia - e era rival de Flaviano I de Antioquia durante o chamado "cisma meleciano".[1]

História[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Paulino em 388 d.C., os eustatianos ainda ressentiam Flaviano por sua relação com o Melécio de Antioquia, considerado semi-ariano e acusado de ter sido consagrado por arianos. Por isso, os bispos elegeram Evágrio como concorrente.[2] Ainda de acordo com Sozomeno, o seu bispado não foi longo.

De acordo com Teodoreto, a consagração de Evágrio por Paulino era ilegal e não atendia os critérios da lei canônica, pois ele o fez sozinho, à beira da morte, sem consultar os pares. Ainda assim, ele foi aceito pelo imperador e o cisma continuou existindo, com Flaviano e Evágrio reinando em paralelo.[3]

Legado[editar | editar código-fonte]

Paulino e Evágrio, do partido eustatiano, foram reconhecidos no ocidente como verdadeiros bispos, enquanto que no oriente, os bispos melecianos, incluindo Flaviano, são considerados como legítimos.[1]

Segundo Jerônimo (De Viris Illustribus, 125[4] ), ele traduziu a bela obra de Atanásio de Alexandria sobre Santo Antão do Deserto, "A vida do abençoado Antão", do grego para o latim.

Referências

Precedido por:
Paulino
Patriarca de Antioquia
388–392
com Flaviano I (381–404)
Sucedido por:
Teódoto de Antioquia