Everest Atlético Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Everest
Escudo do Everest AC.gif
Nome Everest Atlético Clube
Fundação 28 de abril de 1953 (61 anos)
Estádio Ademar Bebiano
Capacidade 1.000
Presidente Carlos José Marques (Mosquito)
Competição Campeonato Carioca - Série C
Kit left arm blueborder.png Kit body.png Kit right arm blueborder.png
Kit shorts white stripes.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm yellowborder.png Kit body.png Kit right arm yellowborder.png
Kit shorts white stripes.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Everest Atlético Clube é uma agremiação esportiva da cidade do Rio de Janeiro, capital do estado do Rio de Janeiro, fundada a 28 de abril de 1953. O clube não tem relação alguma com o antigo Sport Club Everest, fundado em 1915, apesar de ambos serem do mesmo bairro. Possivelmente, o atual foi inspirado no anterior.

Equipe profissional do Everest em 1999, vice-campeã da Terceira Divisão do Rio de Janeiro

.

História[editar | editar código-fonte]

Tradicional agremiação de Inhaúma, o Everest fez história nos campeonatos do extinto Departamento Autônomo, do qual sagrou-se tricampeão na década de 70.

Em 1973, venceu a série Alfredo de Almeida, na categoria Adultos, ao vencer na final o Ramos Atlético Clube. No Juvenil, também se sagrou vencedor ao bater o Carioca Football Club. Na fase final, na categoria Adultos, foi campeão ao vencer na decisão o Atlético Clube Nacional. No Juvenil também foi vencedor ao bater o mesmo adversário que era de Ricardo de Albuquerque.

Equipe de juniores do Everest em 2007. Foto de Paulo Roberto Rodrigues

Em 1974, é vice-campeão da Série B, na categoria Adultos, ao perder o título para o Esporte Clube Cocotá. Mas na fase final é o campeão ao bater o Atlético Clube Nacional. Vence ainda a Taça Disciplina do mesmo certame.

Em 1975, vence novamente a Série B do referido campeonato, categoria Adultos, ao bater o Carioca Football Club. Na final do campeonato, vence a chamada Taça Guanabara, se classificando para à fase final da competição. É campeão da mesma ao bater o Esporte Clube Dourados, de Cordovil na finalíssima.

Em 1976, é vice-campeão Juvenil da série Francisco Xavier Imóveis, ao perder para o Colégio Futebol Clube. Advém um período de recesso de conquistas que tem fim em 1982 quando o Everest vence a fase classificatória de Juniores. Em 1990, é campeão da Taça Eficiência.

Estádio Ademar Bebiano

Em 1991, o Everest finalmente se profissionaliza e passa a disputar o Campeonato Estadual da Terceira Divisão de Profissionais, promovido pela FFERJ.Sob o comando do ex- árbitro de futebol José Marçal Filho (1991 à 1994, na primeira experiência o clube é quarto colocado ao final de dois turnos de disputa ao ficar atrás dos promovidos Esporte Clube Barreira e Porto Real Country Club, além da Bayer Esporte Clube. Fica, contudo, à frente de Opção Futebol Clube, Grêmio Olímpico Mangaratiba, Portela Atlético Clube, Nilópolis Futebol Clube, Bela Vista Futebol Clube e Associação Atlética Colúmbia.

Em 1992, disputa novamente a Terceira Divisão do Rio de Janeiro. Ao final de dois turnos fica apenas na quinta colocação, atrás dos promovidos Esporte Clube Anchieta e São Paulo Futebol Clube, e de Itapeba Atlético Clube e Grêmio Esportivo Km 49. Fica, no entanto, à frente de Bela Vista Futebol Clube, Sport Club União, Associação Atlética Colúmbia e Nilópolis Futebol Clube.

Em 1993, fica em quarto lugar na primeira fase, atrás somente de Esporte Clube Lucas, Atlético Clube Apollo e Esporte Clube Italva. Na decisão da quarta vaga para o quadrangular final, o Everest empata em 2 a 2 com o Esporte Clube Cachoeirense, vencendo por 4 a 1 nos pênaltis. No quadrangular final fica em último lugar, ao ser superado pelos promovidos Atlético Clube Apollo e Esporte Clube Lucas, além do terceiro colocado Esporte Clube Italva.

César Novis, o presidente, ladeado por Mosquito e Coronel Ivaldo Cardoso, membros da diretoria do Everest AC

Em 1994, é convidado a integrar a Segunda Divisão, que era um módulo abaixo da Intermediária e dois abaixo da Primeira Divisão, a chamada elite do futebol do Rio de Janeiro. 28 equipes participam do campeonato em três chaves regionalizadas. O Everest faz boa campanha na chave "A" ao ficar em segundo lugar, atrás somente do Heliópolis Atlético Clube, e à frente de Associação Atlética Colúmbia, Esporte Clube Lucas, Barra da Tijuca Futebol Clube, União Esportiva Coelho da Rocha, Céres Futebol Clube, Colégio Futebol Clube, Nilópolis Futebol Clube e Esporte Clube Nova Cidade. Classificando-se para a fase final, um hexagonal, o Everest fica em último lugar, atrás dos promovidos Goytacaz Futebol Clube e do Nova Iguaçu Futebol Clube, além de Rubro Social Esporte Clube, América Futebol Clube-TR e Heliópolis Atlético Clube. Na final, o Nova Iguaçu bateu o Goytacaz por 3 a 2 nos pênaltis, após empate sem gols no tempo normal.

Em 1995, é convidado a integrar o Grupo "D" do Módulo Intermediário, ficando em décimo lugar, último colocado, no certame que promoveria Barra Futebol Clube e América Futebol Clube-TR.

Ex-atletas do Everest AC

Em 1996, joga a Divisão Intermediária. No primeiro turno é sexto colocado. No segundo é penúltimo, não conseguindo se classificar para a final, disputada entre Tio Sam Esporte Clube e Real Esporte Clube.

Advém então um período de licenciamento de três anos que perdura até 1999 quando o clube volta à disputa fazendo a sua melhor campanha no profissionalismo, dessa vez no Campeonato Estadual da Terceira Divisão, sob o comando do técnico Mário Marques. Classifica-se em primeiro em sua chave juntamente com a União Esportiva Coelho da Rocha e Associação Atlética Colúmbia. Os eliminados foram Sport Club União e São João de Meriti Futebol Clube. Na segunda fase, em sua chave, é o primeiro novamente ao superar os eliminados Tupy Sport Club, Centro Esportivo Arraial do Cabo e União Esportiva Coelho da Rocha. Na grande final, o clube é superado pelo Angra dos Reis Esporte Clube, sagrando-se vice-campeão da Terceira Divisão.

Em 2000, integra novamente a Segunda Divisão do Rio de Janeiro. Fica em último em sua chave ao ser superado pelos classificados Nova Iguaçu Futebol Clube, Esporte Clube Barreira e Mesquita Futebol Clube, além do eliminado Rubro Social Esporte Clube. Na segunda fase é eliminado ao ser superado pelos classificados Angra dos Reis Esporte Clube e Rubro Social Esporte Clube e pelos igualmente eliminados Cosmos Social Clube e Campo Grande Atlético Clube. O Everest, no entanto, fica à frente de Duquecaxiense Futebol Clube e Tamoio Futebol Clube.

Detalhe da sede do Everest AC

Em 2001, disputa o Módulo Extra, correspondente à Segunda Divisão. Ao fim da primeira fase, fica em último lugar na sua chave ao ser superado pelos classificados Esporte Clube Nova Cidade, Céres Futebol Clube e Barra da Tijuca Futebol Clube.

Em 2002, o Everest se licenciou das competições. Em 2003, permanece inativo.

Volta em 2004 quando disputa a Terceira Divisão. Fica em terceiro na sua chave ao ser superado pelos classificados União Central Futebol Clube e Atlético Rio Futebol Clube, superando os também eliminados Nilópolis Futebol Clube e Clube da Paz.

Kleverson Marcos, filho do ex-zagueiro Pedrinho do Everest

Em 2005, se licencia das competições de caráter profissional.

Retorna em 2006 quando disputa a Terceira Divisão de Profissionais. Participando da chave "F", é eliminado da primeira fase da competição ao ficar em terceiro (penúltimo) da chave, ao ser superado pelos classificados Japeri Esporte Clube e Condor Atlético Clube, superando o último colocado, o Semeando Cidadania Futebol Clube.

Em 2007, disputa apenas o Torneio Otávio Pinto Guimarães de Juniores, não conseguindo se classificar para a segunda fase, à qual se habilitam Botafogo de Futebol e Regatas e Sendas Pão de Açúcar Esporte Clube. Na categoria profissional se ausenta, requerendo licença.

Desde então não disputa mais competições de âmbito profissional podendo retornar em 2011. Revelou diversos craques para o futebol brasileiro como o ponta-direita Rogério (ex-Botafogo), Vermelho, Mário Marques e tantos outros.

Em 2014, em sua volta ao profissionalismo, o time disputa com xito o Torneio Amistoso, promovido pela FFERJ e se sagra vice apos empatar em 1 a 1 no tempo normal, em Petropolis contra o Imperial Futebol Clube. Como no jogo de ida o placar fora identico, a partida foi para os penaltis com o resultado de 3 a 1 para o adversario. O Everest eliminara o EC Itatiaia e o Paraiba do Sul Futebol Clube.

As cores de seu uniforme são o amarelo e o azul. Atualmente se encontra licenciado das competições de âmbito profissional. Seu estádio é o Ademar Bebiano, com capacidade para mil pessoas. O clube não tem relação com o Sport Club Everest, que disputou o Campeonato Carioca nos anos 20.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • VIANA, Eduardo. Implantação do futebol Profissional no Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Cátedra, s/d.