Exército Vermelho Japonês

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O Exército Vermelho Japonês (日本赤軍, Nihon Sekigun?) é um grupo comunista que surgiu em meados de 1969. Os universitários japoneses agrupados na poderosa Zengakuren, a Federação de Estudantes, protestavam contra as universidades privadas a quais acusavam de "preparar mão de obra para servir os monopólios", além de serem más formadoras e excessivamente caras. No crescente movimento de protesto conviviam formações diversas como a Liga Marxista Leninista, de tendência maoísta; a Federação Trotskista; e as Juventudes Comunistas. Os partidos políticos se mostravam incapazes de solucionar os problemas do povo e a apatia das pessoas se refletia em que mais de 30% dos eleitores não íam às urnas quando tinham que eleger representantes. Cansados das eternas discussões e dispostos a "passar à ação", uns 400 universitários de origem pequeno-burguesa se desligaram da Federação Trotskista e formaram o Exército Vermelho.

Em 31 de março de 1970, nove deles abordaram um avião da linha aérea japonesa e o desviaram para a Coreia do Norte. Os pilotos tentaram enganá-los aterrizando a aeronave na capital da Coreia do Sul, Seul, mas a manobra não deu certo e chegaram finalmente a Pyongyang, onde se comprovou que as pistolas e bombas que exibiam eram de mentira. Só as katanas e as facas eram reais. Perseguidos internacionalmente, lhes ofereceram refúgio nas escolas de guerrilha popular que a Frente Popular de Libertação da Palestina mantinham no Oriente Médio, onde Abú Hija os treinou. Posteriormente, outros jovens japoneses captados principalmente em Tóquio também chegaram ao local.

Ao longo dos anos, o Exército Vermelho foi autor de diversas ações de grande repercussão internacional. Dentre elas há vários desvios de aviões e ataques a embaixadas Ocidentais. Em 4 de agosto de 1975, uma dezena de seus militantes ocuparam o consulado dos Estados Unidos em Kuala Lumpur, exigindo a libertação de sete companheiros detidos no Japão, cinco dos quais saíram do cárcere e em 1986 atacaram com rockets as embaixadas dos Estados Unidos e Canadá em Jacarta, Indonésia. Em 1987 atacaram do mesmo modo as embaixadas dos Estados Unidos e Grã-Bretanha em Roma. Em 1990 atacaram com rockets de fabricação artesanal os palácios imperiais em Tóquio e Kyoto.

Atualmente o grupo continua ativo, contando com fortes redes de apoio e financiamento. Ultimamente, vários membros do Exército Vermelho têm sido presos no Peru.