Exoterismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Exoterismo, do grego εξωτερική (éksôtérikí) - de fora, exterior), significa algo que está disponível de forma pública, sem limitações, ou universal. Muitas sociedades secretas dividem-se em duas secções: a exotérica ou "face pública" e a esotérica ou "oculta" (que se encontra atrás de portas). Assim encontramos diversas organizações como as fraternidades ou irmandades, tais como a Maçonaria, as quais estão acessíveis aos iniciados num determinado nível mas que possuem níveis cada vez mais elevados de iniciação para a progressão ou evolução de cada um dos membros. O termo exoterismo, utilizado sobretudo na forma de adjetivo (exotérico) surge pela primeira vez nos diálogos de Aristóteles - "Ética a Eudemo" - para indicar o que é público, por oposição ao que é iniciático (oculto). Designa igualmente as cerimónias públicas nas suas manifestações religiosas e ritualísticas.

Esotérico versus exotérico[editar | editar código-fonte]

Existem duas espécies de conhecimento: esotérico e exotérico. O termo "esotérico" (antônimo de "exotérico", apesar de ter a mesma pronúncia) se refere ao ensinamento que era reservado aos discípulos completamente instruídos nas escolas filosóficas da Grécia antiga. Por extensão, esotérico se refere a todo ensinamento ministrado a círculo restrito e fechado de ouvintes. Em filosofia, diz-se dos ensinamentos ligados ao ocultismo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Wouter J. Hanegraaff (editor), Dictionary of Gnosis and Western Esotericism, Leida / Boston: Brill, 2005, 2 v., 1228 p.
  • Pierre A. Riffard, Dicionário do esoterismo (1983), Lisboa: Editorial Teorema, 1994, 405 p.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]