Extinção do Ordoviciano-Siluriano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extinction intensity.svg Cambriano Ordoviciano Siluriano Devoniano Carbonífero Permiano Triássico Jurássico Cretáceo Paleogeno Neogeno
Intensidade das extinções marinhas durante o Fanerozoico
%
Millions of years ago
O–S
Extinction intensity.svg Cambriano Ordoviciano Siluriano Devoniano Carbonífero Permiano Triássico Jurássico Cretáceo Paleogeno Neogeno
O gráfico azul mostra a percentagem aparente (não o número absoluto) de gêneros de animais marinhos que foram extintos durante cada um dos intervalos temporais. Não representa todas as espécies marinhas, apenas aquelas que são facilmente fossilizadas. As marcações dos "cinco grandes" eventos de extinção são ligações clicáveis​​, ver evento de extinção para mais detalhes. (fonte e informações da imagem)

Extinção do Ordoviciano–Siluriano, ou simplesmente extinção do Ordoviciano, foi o segundo maior evento de extinção em massa na história da Terra em termos de porcentagem de gêneros extintos. O evento de extinção ocorreu entre cerca de 450 Ma a 440 Ma (milhões de anos atrás), período que separa o Ordoviciano do Siluriano, e compreendeu dois eventos de extinção, separados por um milhão de anos.[1] Esta foi a segunda maior extinção da vida marinha, ficando apenas abaixo da extinção do Permiano. Na época, toda a vida conhecida estava confinada nos mares e oceanos.[2] Mais de 60% dos invertebrados marinhos foram extintos,[3] [4] incluindo dois terços de todas as famílias de braquiópodes e briozoários.[2] A causa imediata de extinção parece ter sido o movimento de Gondwana para a região polar sul. Isso levou a um arrefecimento global, glaciação e consequente queda do nível do mar. A queda do nível do mar interrompeu ou eliminou habitats ao longo das plataformas continentais.[1] [5] A evidência para a glaciação foi encontrada em depósitos no deserto do Saara. A combinação da redução do nível do mar e da glaciação impulsionaram o esfriamento são provavelmente os agentes de condução para a extinção em massa do Ordoviciano.[5]

Referências

  1. a b Sole, R. V., and Newman, M., 2002. "Extinctions and Biodiversity in the Fossil Record - Volume Two, The earth system: biological and ecological dimensions of global environment change" pp. 297-391, Encyclopedia of Global Environmental Change John Wilely & Sons.
  2. a b extinction.
  3. NASA - Explosions in Space May Have Initiated Ancient Extinction on Earth Nasa.gov (2007-11-30). Página visitada em 2010-06-02.
  4. SHEEHAN, P.M.. (2001). "The Late Ordovician mass extinction". Annual Review of Earth and Planetary Sciences 29 (1): 331-364. DOI:10.1146/annurev.earth.29.1.331.
  5. a b Causes of the Ordovician Extinction.