Extrativismo na Europa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde junho de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na atividade extrativa, os produtos mais importantes do continente europeu são: petróleo, carvão, ferro e manganês. O petróleo é explorado no continente e no oceano. Além da Rússia (parte européia) e do Azerbaijão, outra região rica em petróleo é o Mar do Norte, onde a exploração é controlada pelo Reino Unido e Noruega. No entanto, em razão do elevado consumo, a maior parte dos países europeus é grande importadora desse produto. O carvão é extraído em maior quantidade na Ucrânia, no Reino Unido, na Alemanha e na Polônia. A descoberta de sua utilidade como fonte energética e como componente para a produção de aço permitiu, no século XVIII, o desenvolvimento da atividade industrial. O ferro é explorado principalmente na parte européia da Rússia (grande produtor mundial), na França e na Suécia. O manganês tem como principais produtores a Rússia e a Ucrânia, além da Romênia e da Hungria. Na Estônia há importantes reservas de xisto betuminoso, bastante aproveitado para geração de energia após ser transformado em óleo de xisto. Em virtude do elevedo grau de industrialização e das características geológicas do território, os países europeus são dependentes de uma série de minerais essenciais à atividade industrial. A maior parte dos países importa minerais metálicos (ferro, manganês, bauxita e estanho), necessários às atividades metalúrgicas e siderúrgicas e, consequentemente, a uma série de mercadorias de bens de consumo duráveis, máquinas e equipamentos industriais.


Mapa do Mar do Norte, grande produtor de petróleo da Europa.


Mapa político da Europa.