Exu (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Exu
"Terra do rei do baião"
Bandeira de Exu
Brasão de Exu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 8 de setembro
Fundação 1907
Gentílico exuense
Prefeito(a) Welison Jean Moreira Saraiva (Léo Saraiva) (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Exu
Localização de Exu em Pernambuco
Exu está localizado em: Brasil
Exu
Localização de Exu no Brasil
07° 30' 43" S 39° 43' 26" O07° 30' 43" S 39° 43' 26" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Araripina IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes oeste: Bodocó; sul: Granito; leste: Moreilândia; norte: Crato (Ceará)
Distância até a capital 630 km
Características geográficas
Área 1 473,958 km² [2]
População 32 001 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 21,71 hab./km²
Altitude 523 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,576 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 168 103 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 5 323 76 IBGE/2011[5]
Página oficial

Exu é um município brasileiro do estado de Pernambuco. Administrativamente, o município é composto pelo distrito sede e pelos povoados de Tabocas, Timorante, Viração e Zé Gomes.

História[editar | editar código-fonte]

A região onde se situa o município era primitivamente habitada pelos índios Ançus, do tronco dos Cariris. A região foi ocupada por fazendas de gado no início do século XVIII, tendo à frente Leonel de Alencar Rego e posteriormente seu filho Joaquim Pereira de Alencar. Após a ocupação, missões jesuíticas viveram na região, onde construíram a capela de Bom Jesus dos Aflitos. Em 1734, foi criada a freguesia do Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Exu. O município foi instalado em 7 de junho de 1885, passando a autônomo em 9 de julho de 1893, em face a lei n. 52, de 3 de agosto de 1892. O primeiro prefeito foi Manoel da Silva Parente. O município foi supresso em 1895 e restaurado 1907, com a denominação de Novo Exu. Pelo decreto-lei estadual n 235, de 9 de dezembro de 1938, o município de Novo Exu passou a denominar-se Exu.

Passou por uma grave crise no século XX devido a lutas políticas entre três famílias: Alencar, Sampaio e Saraiva, o que provocou o atraso da cidade em relação a outras da região, como Araripina, Ouricuri e Salgueiro. Procurou reconquistar o espaço novamente na Microrregião de Araripina com a cultura (sem sucesso), através de artistas como Luiz Gonzaga, oriundo de Exu.

A cidade está localizada no Polígono da Seca e abriga um museu em homenagem ao seu filho mais ilustre, Luiz Gonzaga.

Origens do nome[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE, há duas versões prováveis para o nome do município. A primeira é que seja uma corruptela de Ançu, uma tribo índigena que habitava o entorno. Outra, é que o nome tenha vindo da abelha enxu (inxu), muito comum na região à época. Há que se notar que dificilmente as origens do nome sejam no orixá homônimo, haja vista que à altura da fundação da vila, criada por colonos, apenas indígenas habitavam o local.

Deve-se considerar que devido a influência dos cristãos-novos (muito abundantes em Pernambuco naquela época) o nome da freguesia "Aflitos de Exu" pode aludir à aflição que os marranos sentiam por serem perseguidos pelo Tribunal do Santo Ofício que os perseguiu desde Espanha e Portugal até ao Brasil. Para fugir da Inquisição aqueles marranos buscaram se instalar cada vez mais no interior de Pernambuco. Ieshu (ou IEXU em português) é uma palavra hebraica (a lingua dos marranos pernambucanos) e significa Jesus.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º30'43" sul e a uma longitude 39º43'27" oeste, estando a uma altitude de 523 metros. Sua população em 2007 era de 30.569 habitantes.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é semiárido e quente, frio no inverno e quente no verão. O índice pluviométrico é 865 mm anuais de água.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Exu Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 30,6 29,7 28,8 28,2 27,6 27,4 27,6 28,8 30,3 31,3 31,5 31,2 29,4
Temperatura média (°C) 25,4 24,9 24,3 23,9 23,2 22,5 22,3 23 24,3 25,2 25,6 25,6 24,2
Temperatura mínima média (°C) 20,2 20,1 19,9 19,6 18,8 17,7 17,1 17,3 18,3 19,2 19,8 20,1 19
Precipitação (mm) 121 134 190 146 71 38 21 11 10 18 37 68 865
Fonte: Climate Data.[6]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Exu está inserido na maior parte na unidade geoambiental dos Maciços e Serras Baixas, com altitudes entre 300 e 800 metros. Ao norte, uma porção está inserida na unidade geoambiental das Chapadas Altas.

O relevo de Exu apresenta terrenos planos e acidentados, influenciado pela Chapada do Araripe, com terras altas, planas e descendo a serra, encontram-se terras baixas e terras férteis e várias nascentes no sopé da serra.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação é predominantemente de Floresta Caducifólia e Caatinga Hipoxerófila. O município também apresenta vegetação do cerrado no sopé da chapada, com espécies como: aroeira, braúna, sabiá, ameixa, pequi, sucupira e angico, amburana branca e vermelha, cedro, angico, eucalipto e a barriguda, quase extinta.

As principais espécies animais da região são o preá, tatupeba, gambá, sagüi, urubu, coruja, gavião, raposa, além de diversos tipos de aves e réptais.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Exu situa-se na bacia hidrográfica do rio Brígida. Seus principais tributários são os riachos da Brígida, da Carnaúba ou Carrancudo, da Queimada Grande, Tabuleiro, Cantarino, do Ouro, da Califórnia, da Maniçoba, de José Gomes, da Estrada, dos Paus Grandes, das Tabocas, do Mocambo, São Joaquim e do Tigre, todos de regime intermitente. Conta ainda com as lagoas da Caraíba, de Dentro, da Cascavel, do Caracol, Grande e das Marrecas.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 09 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  6. Você deve especificar arquivourl= e arquivodata=ao
    usar a Predefinição:Citar web. Parâmetros disponíveis:

    {{citar web
    |url =             |ano =
    |titulo =          |mes =
    |acessodata =      |formato =
    |acessodiames =    |obra =
    |acessomesdia =    |publicado =
    |acessoano =       |paginas =
    |autor =           |lingua =
    |ultimo =          |doi =
    |primeiro =        |arquivourl =
    |autorlink =       |arquivodata =
    |coautores =       |citacao =
    |data =
    }}
    
    Clima: Exu Climate Data. Visitado em 25 de outubro de 2014. Cópia.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.