Exxon Valdez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Exxon Valdez (1989).

Exxon Valdez (atualmente chamado Dong Fang Ocean e anteriormente conhecido também como Exxon Mediterranean, SeaRiver Mediterranean, S/R Mediterranean e Mediterranean) foi um navio petroleiro que ganhou notoriedade em 24 de março de 1989, quando 50.000 a 150.000 m³ (aproximadamente 257.000 barris) do petróleo que transportava foram lançadas ao mar, na costa do Alasca, depois de o navio encalhar na Enseada do Príncipe Guilherme (Prince William Sound). Em conseqüência, houve um grande desastre ambiental. Centenas de milhares de animais morreram nos meses seguintes. De acordo com as estimativas, morreram 250.000 pássaros marinhos, 2.800 lontras marinhas, 250 águias e 22 orcas, além da perda de bilhões de ovos de salmão. Foi o segundo maior derramamento de petróleo da história dos Estados Unidos. Na época, o navio pertencia à ExxonMobil.[1]

Em 2002, a União Europeia proibiu a utilização de navios petroleiros de casco simples e o “Valdez”, renomeado “Mediterranean”, foi enviado para as águas da Ásia.

Em 2007, o Valdez foi convertido num transportador de minérios e renomeado como “Dong Fang Ocean”.

Em 2011, com o nome de “Oriental Nicety,” o navio foi vendido a uma companhia de demolições indiana, as Priya Blue Industries. A mesma empresa que em 2006 tinha atraído má fama após terem afundado um navio que continha amianto.

Em 2012 o “Oriental Nicety” foi desmantelado na Índia.[2]

Limpeza da costa, durante a maré negra provocada pelo Exxon Valdez.

Referências

  1. Frequently Asked Questions About the Spill Exxon Valdez Oil Spill Trustee Council. Visitado em 21-09-2008.
  2. Exxon Valdez, o navio maldito vai finalmente desaparecer.