Fédon de Élis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fédon de Élis (em grego: Φαίδων, gen.: Φαίδωνος; século IV a.C.) foi um filósofo grego. Fédon era nativo de Élis, tendo sido capturado em guerra e vendido como escravo. Veio posteriormente a entrar em contacto com Sócrates em Atenas, tendo este o libertado da escravatura. Ele esteve presente na morte de Sócrates, tendo Platão nomeado um dos seus diálogos de Fédon.

Mais tarde, regressou a Élis, fundando uma escola filosófica, a Escola de Élis. Quase nada é sabido acerca das suas doutrinas; a sua escola foi posteriormente transferida para Erétria por um dos seus estudantes, Menedemo, onde se formou a Escola de Erétria.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido nos últimos anos do século V a.C., Fédon era nativo de Élia, pertencente à classe alta. Foi feito prisioneiro na sua juventude, tendo passado para a posse de um comerciante de escravos ateniense; era também de considerável beleza física,1 tendo sido compelido para a prostituição2 A ocasião onde se tornou escravo foi sem dúvida durante a guerra entre Esparta e Élis, em 402-1 a.C., na qual os espartanos tiveram companhia dos atenienses em 401 a.C.3 4

Referências

  1. Platão, Fédon, 89a-b
  2. Diógenes Laércio, ii. 105; Suda, Fédon; Aulo Gélio, ii. 18.
  3. Xenofonte, Helénicas. iii.2.21-31; Diodoro, xiv.17.4-12, 34
  4. Debra Nails, (2002), The people of Plato: a prosopography of Plato and other Socratics, página 231. Hackett Publishing
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.