Félix Lope de Vega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lope de Vega
Lope de Vega
Nascimento 25 de novembro de 1562
Madrid,  Espanha
Morte 27 de agosto de 1635 (72 anos)
Madrid,  Espanha
Nacionalidade Espanha Espanhol
Ocupação Escritor
Dramaturgo
Religioso
Poeta
Magnum opus La Arcadia (1598)
Amarílis (1632)

Félix Lope de Vega y Carpio (Madrid, 25 de Novembro de 1562 – Madrid, 27 de Agosto de 1635) foi um dramaturgo, autor de peças teatrais e poeta espanhol.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fundador da comédia espanhola e um dos mais prolíficos autores da literatura universal, Lope de Vega tem origens numa família modesta. Era um menino prodígio: com cinco anos já lia em castelhano e latim, com dez anos já fazia traduções do latim para o espanhol, e com doze anos escreveu sua primeira peça de teatro. Com 14 anos, começou a estudar com os jesuítas e entrou depois para o serviço do bispo D. Jerônimo Manrique, que lhe proporcionou sólida formação e levou-o consigo a Alcalá de Henares, estudou na Universidade de Salamanca (1580-1582), serviu na Invencível Armada (1588), enviada contra a Inglaterra e sobrevivendo à derrota começou a escrever as suas famosas deramas (1588). Foi secretário do Duque de Alba (1590) e mudou-se para Toledo e depois para Alba de Tormes.

Após escrever sua primeira obra de sucesso, o romance "La Arcadia (1598), voltou a Madrid decidido a entregar-se à literatura, e foi ainda secretário do Duque de Sessa (1605). Já autor consagrado, estabeleceu-se definitivamente em Madrid, mas com a morte da então esposa Juana e de um de seus filhos, sofreu uma forte crise espiritual que o levou a se tornar religioso (1610). Ordenou-se (1614) e foi nomeado oficial da Inquisição. Também famoso pelos vários casamentos, inúmeras aventuras amorosas extra-conjugais e escandalosos romances, que pareciam ampliar sua inspiração, entre eles Marta de Navares, a Amarílis de seus versos, que conheceu em 1616 e com quem manteve um amor sacrílego que escandalizou Madrid. A morte dela (1632), seguida de uma série de desgraças pessoais, mergulhou o poeta em profunda depressão, que se prolongou até sua morte.

Sua produção literária compõe-se de 426 comédias e 42 autos, além de milhares de poesias líricas, cartas, romances, poemas épicos e burlescos, livros religiosos e históricos, entre eles os extensos poemas como La Dragontea (1598) e La Gatomaquia (1634), os poemas curtos Rimas (1604), Rimas sacras (1614), Romancero Espiritual (1619) e a célebre écloga Amarilis (1633) - uma homenagem à amada morta. Ainda são destaques por sua originalidade, os épicos Jerusalén conquistada (1609), o Pastores de Belém (1612) e o romance dramático La Dorotea (1632).

Seus contemporâneos o chamaram de "Monstro da Natureza" por ter escrito mais de 1.500 peças de teatro. Entre elas destacam-se as inspiradas em histórias e lendas espanholas: O melhor juiz, o Rei; Peribánez e o Comendador de Ocaña; Fuenteovejuna; O cavaleiro de Olmedo. As históricas: O castigo sem vingança; Contra o valor não há infortúnio. As mitológicas: O pelego de ouro, Vênus. As comédias de costume: O aço de Madri; A dama boba.[1]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Em 1606, Lope de Vega publica sua obra "Arte Nuevo de Hacer Comedias" e aponta alguns princípios básicos da produção teatral de sua época (teatro barroco espanhol)::[1] [2]

  • Divisão da obra em três atos: apresentação da trama; desenvolvimento; e desenlace.
  • Ruptura da unidade de ação: varias linhas de enredo correm paralelas.
  • Mistura do trágico com o cômico.[3]
  • Ruptura das unidades clássicas de tempo e lugar.
  • Composição em versos.[4]

Referências

  1. a b Help - "Sistema de consulta interativa - Estadão", p. 119. Editora Klick. São Paulo (1995).
  2. O teatro barroco espanhol, por meio da incorporação de elementos populares (música e dança) e da inspiração em várias fontes (tradição popular e clássica, história, mitologia, históri sagrada) efetuou uma ruptura radical com o Classicismo.
  3. Em geral, o elemento cômico ficava com a criadagem.
  4. As peças apresentavam diferentes métricas e estrofes, de acordo com as situações.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Félix Lope de Vega
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.