FIFA Ballon d'Or de 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de FIFA Bola de Ouro 2010)
Ir para: navegação, pesquisa
Bola de Ouro da FIFA de 2010
Descrição Premiação máxima do futebol mundial.
Apresentação Pedro Pinto (CNN)
Carol Manana (SAB Sports)
Local Kongresshaus, Zurique
Suíça

FIFA Ballon d'Or de 2010 foi a vigésima edição da premiação máxima do futebol mundial outorgada pela FIFA, e a primeira com tal denominação. Foi realizada em 10 de janeiro de 2011 no Kongresshaus em Zurique, na Suíça.[1]

A cerimônia[editar | editar código-fonte]

Os encarregados de conduzir o evento, que começou pontualmente às 18 horas e 30 minutos (hora local) foram os jornalistas esportivos Pedro Pinto, da CNN Internacional, e Carol Manana, da SAB Sports.

O evento se iniciou com a apresentação dos malabaristas Jeremy Lynch e William Wingroove que, com uma disputa de acrobacias com bola, arrancaram os primeiros aplausos do público. A seguir, o presidente da FIFA, Joseph Blatter, deu as boas-vindas aos presentes com um breve discurso e chamou ao palco o diretor-geral da revista France Football, François Morinière, para que ele apresentasse o vídeo com os melhores momentos do futebol em 2010.

Premiações[editar | editar código-fonte]

     Vencedor(a)

Futebolista[editar | editar código-fonte]

Masculino[editar | editar código-fonte]

O último prêmio do evento foi entregue por François Morinière e Joseph Blatter.[1]

Nome Nacionalidade Clube
Andrés Iniesta  Espanha Barcelona
Lionel Messi  Argentina Barcelona
Xavi  Espanha Barcelona
Cquote1.svg Não esperava ganhar hoje. Já estava feliz por estar aqui com meus companheiros, e ganhar de novo faz deste um dia muito especial. Quero dividir o prêmio com meus companheiros, minha família e com todos os barcelonistas e argentinos. Cquote2.svg
Messi ao receber seu troféu.[1]

Feminino[editar | editar código-fonte]

A ex-futebolista dos Estados Unidos Julie Foudy e o presidente Blatter foram os encarregados de entregar o prêmio.[1]

Nome Nacionalidade Clube
Birgit Prinz  Alemanha Frankfurt
Fatmire Bajramaj  Alemanha Turbine Potsdam
Marta  Brasil Gold Pride e Santos
Cquote1.svg Alguém me disse hoje que, se eu ganhasse, teria que chorar, porque senão a emoção não seria a mesma. E, pois, aqui estou eu de novo, chorando. Parece até ser bom demais para ser verdade. Só posso pedir a Deus que me dê saúde para seguir tendo essas oportunidades. Cquote2.svg
Marta ao receber o prêmio.[1]

Treinador[editar | editar código-fonte]

Masculino[editar | editar código-fonte]

O prêmio foi entregue pela treinadora Silvia Neid da Seleção Alemã Feminina.[1]

Nome Nacionalidade Clube/Seleção
José Mourinho  Portugal Internazionale e Real Madrid
Josep Guardiola  Espanha Barcelona
Vicente del Bosque  Espanha Seleção Espanhola
Cquote1.svg Quero cumprimentar os dois grandes treinadores que estão aqui, Vicente Del Bosque e Pep Guardiola, e agradecer a todos os que me ajudaram neste caminho. Trabalhei muito para chegar aqui, mas não cheguei sozinho. Tive a ajuda de meus jogadores, muitos dos quais estão aqui hoje. Cquote2.svg
José Mourinho ao receber o prêmio.[1]

Feminino[editar | editar código-fonte]

O prêmio foi entregue pelo treinador da Seleção Espanhola, Vicente del Bosque.[1]

Nome Nacionalidade Clube/Seleção
Maren Meinert  Alemanha Seleção Alemã Sub-20
Pia Sundhage  Suécia Seleção dos Estados Unidos
Silvia Neid  Alemanha Seleção Alemã

Equipe ideal (FIFA/FIFPro World XI)[editar | editar código-fonte]

O futebolista dos Países Baixos Marco van Basten revelou os 11 nomes que compuseram a equipe ideal:[2]

Posição Futebolista País Clube
Goleiro Iker Casillas  Espanha Espanha Real Madrid
Zagueiro Lúcio  Brasil Itália Internazionale
Zagueiro Gerard Piqué  Espanha Espanha Barcelona
Lateral-direito Maicon  Brasil Itália Internazionale
Lateral-esquerdo Carles Puyol  Espanha Espanha Barcelona
Meia Wesley Sneijder  Países Baixos Itália Internazionale
Meia Xavi  Espanha Espanha Barcelona
Meia Andrés Iniesta  Espanha Espanha Barcelona
Atacante Lionel Messi  Argentina Espanha Barcelona
Atacante David Villa  Espanha Espanha Valencia
Espanha Barcelona
Atacante Cristiano Ronaldo  Portugal Espanha Real Madrid

Fair Play[editar | editar código-fonte]

O ex-futebolista sul-africano Lucas Radebe entregou o prêmio concedido a Seleção Haitiana Feminina (sub-17) pela coragem demonstrada em participar das eliminatórias da CONCACAF para a Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-17 de 2010. Quando o violento terremoto devastou o país, o grupo treinava no Estádio Nacional, na capital Porto Príncipe, a apenas 25 quilômetros do epicentro do abalo.[3]

Todas as atletas se salvaram. Porém, o treinador Jean-Yves Labaze - considerado quase um "pai" para a maioria do elenco - acabou atingido pelos escombros do desabamento da sede da Federação Haitiana, onde participava de uma reunião.[3]

Porém, as garotas reuniram todas as suas forças, já que algumas delas perderam parentes e amigos, e mantiveram os treinamentos. A República Dominicana e o Panamá receberam as atletas em suas instalações para permitir que elas mantivessem seus treinamentos.[3]

Cquote1.svg Sem o futebol, não sobraria nada. (...) Obrigado à FIFA por este prêmio. Gostaria de compartilhar esta honra com todos os jovens do Haiti, especialmente aqueles que ainda estão sofrendo. O Haiti vai melhorar. Cquote2.svg
A capitã Hayana Jean François ao receber o prêmio representando a Seleção.[3]

Prêmio Presidencial[editar | editar código-fonte]

O prêmio foi entregue pelo presidente Blatter ao arcebispo sul-africano Desmond Tutu, vencedor do Nobel da Paz e membro da delegação que representou a África do Sul em Zurique por ocasião da escolha da sede da Copa do Mundo FIFA de 2010.[4]

Cquote1.svg Sabíamos que ganhar a disputa para ser sede da Copa do Mundo era algo que não estava relacionado apenas ao futebol, mas também a uma oportunidade para o continente africano conquistar o seu espaço no cenário mundial. Quando começamos o trabalho, enfrentamos muitas dúvidas e ceticismo, e muitas pessoas disseram que os africanos não estariam prontos, mas provamos que elas estavam erradas e que os africanos são capazes de realizar grandes eventos. Cquote2.svg
Tutu no seu discurso ao receber o prêmio.[4]

Prêmio Puskás[editar | editar código-fonte]

O vencedor foi o turco Hamit Altintop pelo gol de voleio marcado pela Seleção da Turquia contra a Seleção do Cazaquistão. Para a surpresa de todos, inclusive do vencedor, o troféu foi entregue pelo próprio goleiro Andrei Sidelnikov, que sofrera o gol. Foi um momento de descontração e divertimento.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i Messi e Marta, heróis de uma noite histórica (em português) FIFA.com (10 de janeiro de 2011). Página visitada em 10 de janeiro de 2011.
  2. FIFA/FIFPro World XI (em português) FIFA.com. Página visitada em 10 de janeiro de 2011.
  3. a b c d Prêmio FIFA Fair Play (em português) FIFA.com. Página visitada em 10 de janeiro de 2011.
  4. a b Prêmio Presidencial da FIFA (em português) FIFA.com. Página visitada em 10 de janeiro de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]