Fa Yeung Nin Wa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fa yeung nin wa)
Ir para: navegação, pesquisa
Fa Yeung Nin Wa
花樣年華
Disponível Para Amar (PT)
Amor À Flor Da Pele (BR)
 Hong Kong
2000 • cor • 98 min 
Direção Wong Kar-wai
Roteiro Wong Kar-wai
Elenco Tony Leung
Maggie Cheung
Género Drama
Romance
Idioma Cantonês
Cinematografia Christopher Doyle
Mark Lee Ping Bin
Edição William Chang
Página no IMDb (em inglês)

Fa Yeung Nin Wa (花樣年華, Huāyàng niánhuá em mandarim; Amor À Flor da Pele (título no Brasil) ou Disponível Para Amar (título em Portugal)) é um filme honconguês, dirigido e escrito por Wong Kar-Wai e lançado em 2000. É o segundo de uma trilogia não-oficial, que começou com Dias Selvagens e finalizou em 2046.[1]

Sétimo longa-metragem de Kar-Wai, é estrelado por Tony Leung Chiu-Wai, Maggie Cheung e Lai Chin. Seu título em língua original, Fa Yeung Nin Wa, significa algo como Anos Como Flores, e baseado em uma canção de Zhou Xuan. Já o título internacional em inglês foi dado depois da pós-produção do filme, quando o cineasta estava em Cannes para do festival de cinema francês. Inicialmente, ele propôs Secrets aos organizadores do festival, que não gostaram do nome. O título In the Mood for Love lhe ocorreu quando estava escutando uma versão da canção I'm in the Mood for Love cantada por Bryan Ferry.[2]

O filme recebeu diversos prêmios, entre os quais o de Melhor Ator (Tony Leung Chiu-wai) e Grande Prêmio Técnico (Fotografia e Direção de Arte) no Festival de Cinema de Cannes de 2000, Melhor Filme do Festival de Cinema de Montreal de 2000 o César de Melhor Filme Estrangeiro em 2001.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Ambientado na Hong Kong do começo da década de 1960, o filme traz a relação entre o senhor Chow (Tony Leung), editor-chefe de um jornal local e a secretária Su Li-zhen (Maggie Cheung Man-yuk), que desconfiam que estão sendo traídos pelos seus respectivos cônjuges.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Amor À Flor Da Pele teve uma longa gestação. Depois de receber o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cinema de Cannes pelo filme Happy Together - Felizes Juntos (de 1997), Wong Kar-Wai estava ansioso para trabalhar pela primeira vez na China Continental, onde ele havia nascido. Insatisfeito com o resultado final do seu épico wuxia Cinzas do Passado (1994), decidiu lidar com um tema mais urbano e ligado ao século XX para seu próximo filme. Sua primeira ideia era de rodar um musical romântico em Pequim, chamado Summer in Beijing.[3] Apesar de nenhum script foi finalizado, ele e o cinegrafista Christopher Doyle chegaram a realizar uma pequena quantidade de filmagens não autorizadas na Praça da Paz Celestial e outras áreas da capital chinesa. O cineasta também começou a trabalhar em um argumento simples, apenas uma base a fim de assegurar o financiamento do filme, mas que deixasse em aberto mudanças durante as filmagens. No entanto, como o governo da China exige analisar o roteiro antes do início da produção, o que se choca com os métodos espontâneos de Kar Wai, que prefere iniciar a filmagem sem um roteiro definitivo e improvisar ao longo do trabalho, o projeto acabou impedido.[3]

Apesar da impossibilidade de concretizar Summer in Beijing, Wong Kar Wai havia chegado a pensar em três episódios para o filme, algo parecido com o seu conceito original de Amores Expressos (de 1994), em que a terceira história acabou desmembrada em um outro filme, Anjos Caídos (de 1995). O coração do seu próximo filme seria justamente uma dessas histórias, chamada A Story of Food (Uma História Sobre Comida) e que seria estrelada por Maggie Cheung e Tony Leung, a cerca de uma mulher e um homem que compartilhavam macarrão e segredos.[2] Era também uma oportunidade para retomar Dias Selvagens (de 1991), algo já planejado na época, mas que não pôde ser concretizado por seu fraco retorno de bilheteria.

Sem poder trabalhar em Pequim, Wong Kar Wai readaptou a história para um filme ambientado em Hong Kong da década de 1960. Como a cidade havia passado por muitas mudanças ao longo de três décadas, algumas filmagens também ocorreram em Macau, Bangkok, Cingapura e até nas ruínas históricas do templo Angkor Wat no Camboja, para dar um clima mais realista.[2]

Como todos os trabalhos anteriores de Wong Kar-Wai, Amor À Flor Da Pele foi filmado em película, não digitalmente. O filme teve 15 meses de filmagens, sendo que os últimos meses de produção e pós-produção foram confusos, notadamente pela pressa de entregar o filme em tempo para ser inscrito no Festival de Cannes de 2000. O diretor de fotografia Christopher Doyle, que colaborava pela sexta vez com Wong Kar-wai, teve de sair do filme quando a produção foi além da programada inicialmente e foi substituído por Mark Lee Ping Bin, conhecido por seu trabalho com o cineasta taiwanês Hou Hsiao-Hsien. Enquanto o diretor continuou mais e mais filmagens com o elenco e a equipe, ele trabalhava intensivamente para editar as enormes quantidades de imagens que já havia registrado nas filmagens de 1999.[3] Inúmeras cenas desprezadas na mesa de edição acabaram reaproveitadas para o longa-metragem seguinte de Kar Wai, 2046 (de 2004).

No início de 2000, com a data limite para a inscrição em Cannes se aproximando, Wong foi contatado pelo diretor do festival, que o encorajou a concluir rapidamente um corte final. O título em cantonês e mandarim estava pronto e era baseado em uma canção Zhou Xuan, mas o título internacional mostrou-se mais complexo. Após descartar de Summer In Beijing e A Story of Food, Wong sugeriu provisoriamente Secrets, mas os organizadores de Cannes rejeitaram o título, por não fazer jus ao filme que Wong Kar Wai estava se preparando e também por ter sido usado em outros filmes, e sugeriram um novo nome. Finalmente, o título veio quando ouvia uma álbum de coletâneas recente de Bryan Ferry e Roxy Music, chamado Slave To Love: The Very Best Of The Ballads, que continha a faixa "I'm In the Mood for Love".[2] Títulos em inglês de filmes anteriores de Wong Kar Wai tinham vindo de canções pop, então ele encontrou este título particularmente apropriado.

Wong afirma que foi muito influenciado pelo filme Um Corpo Que Cai, de Alfred Hitchcock, comparando o personagem interpretado por Tony Leung com o de James Stewart.[4] Amor À Flor Da Pele é considerado uma influência de Sofia Coppola para seu filme Encontros e Desencontros.[5]

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Bruno Yutaka Saito (13 de setembro de 2009). No universo onírico de Kar-wai (em português) Folha de S.Paulo. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  2. a b c d Luiz Renato Gazzola (Junho 2008). Amor à Flor do Vinho (em português) 113 pp. UFMG. Página visitada em 22 de fevereiro, 2014.
  3. a b c Para Wong Kar-wai, chineses não dizem "eu te amo" (em português) O Estado de S.Paulo (06 de março de 2001). Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  4. Chute, David. "Unforgettable", 15 fevereiro de 2001.
  5. Walter Salles (25 de outubro de 2003). Encontros, desencontros e o mapa da Tate (em português) Folha de S.Paulo. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  6. a b Festival de Cannes: In the Mood for Love festival-cannes.com.. Página visitada em 121 de fevereiro, 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]