Fabrício de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fabrício
Fabrício
Informações pessoais
Nome completo Fabrício de Souza
Data de nasc. 5 de julho de 1982 (32 anos)
Local de nasc. Imbituba (SC),  Brasil
Altura 1,78 m
Destro
Informações profissionais
Clube atual Brasil Vasco da Gama
Número 25
Posição Volante
Clubes de juventude
2000–2001 Brasil União São João
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
2001–2005
2006–2007
2008–2011
2012–2014
2014–
Brasil Corinthians
Japão Jubilo Iwata
Brasil Cruzeiro
Brasil São Paulo
Brasil Vasco da Gama (emp.)
227 000(20)
066 000(11)
153 0000(8)
035 0000(0)
027 0000(2)
Seleção nacional
2003 Brasil Brasil 003 0000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 23 de agosto de 2014.

Fabrício de Souza (Imbituba, 5 de julho de 1982) é um futebolista brasileiro que joga como volante. Atualmente defende o Vasco da Gama, emprestado pelo São Paulo.É um volante que se destaca desde sua aparição, pois, além de um jogador de marcação, possui passe diferenciado e melhora a saída de bola nos times por onde passa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira como jogador profissional no ano de 2000 no União São João.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Em 2001 foi transferido para o Corinthians, clube no qual se destacou a ponto de ser convocado para disputar amistosos com a seleção brasileira. Durante sua melhor fase, conquistando logo depois seu primeiro titulo o Torneio Rio-São Paulo - 2002, no mesmo ano também ganha a Copa do Brasil, depois de se contundir gravemente no joelho, o que o afastou dos gramados por muito tempo, a diretoria do clube paulista resolveu negociá-lo com o Jubilo Iwata, do Japão.

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Em 2008, Fabrício foi emprestado pelo clube japonês ao Cruzeiro EC, que, em 2009, fechou a compra do jogador e assinou contrato por 3 anos.Fez muito sucesso durante sua passagem pelo clube celeste, devido ao seu ótimo passe, habilidade de armação, visão de jogo, versatilidade e marcação cerrada.[1] Logo no seu primeiro ano no time celeste conquista o Campeonato Mineiro de 2008 ganhando 5 x 0 na final contra o Atlético, fato repetido no ano seguinte. Ficou marcado pela sua raça dentro de campo e conquistou o carinho da torcida cruzeirense que passou a chama-lo de "guerreiro". No final de 2011 após não renovar contrato com o Cruzeiro, Fabrício assina um contrato de 3 anos com o São Paulo.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Depois de três temporadas no Cruzeiro EC, assina com o São Paulo por três anos. O jogador foi apresentado junto com um 'pacote' de atletas, considerados pelo presidente são-paulino Juvenal Juvêncio os melhores reforços para o ano de 2012. No São Paulo, Fabrício ainda não conseguiu ter uma sequência de jogos, devido a contusões. Com a chegada de Paulo Henrique Ganso no São Paulo o volante perdeu o número 8 de sua camisa, que foi repassado ao recém-chegado Maestro, e passou a utilizar o número 25 na temporada 2013.

Em 10 de maio de 2013, após as eliminações são-paulinas na Libertadores e no Campeonato Paulista, Fabrício, junto com outros seis companheiros, acabou afastado pelo presidente Juvenal Juvêncio.[2] No entanto, após a saída de Ney Franco e a chegada de Paulo Autuori no comando do São Paulo, Fabrício foi reintegrado ao elenco.[3]

Em 28 de julho de 2013, o ex-cruzeirense reestreou como titular no Tricolor paulista no empate por 0 a 0 diante do rival Corinthians, jogo que interrompeu a sequência de onze derrotas consecutivas do clube. Apesar do bom desempenho, Fabrício, por questões físicas, acabou substituído por Maicon.[4]

No dia seguinte à partida, antes do embarque são-paulino para a Europa, onde disputará torneios de pré-temporada, Fabrício falou sobre o ex-treinador do clube Ney Franco. Para o volante: "É claro que ficou a mágoa. Do mesmo jeito que ele não gosta de mim, eu não gosto dele. Não cometi nenhuma indisciplina. Apenas reclamei a ele que precisava jogar mais para ganhar ritmo de jogo. Isso é normal no futebol. É preciso ter liberdade para se expressar. Quando ocorreu o fato (reclamação de uma substituição em uma partida do São Paulo), nós conversamos no vestiário e ele disse que não haveria nenhum problema. E todos viram o que aconteceu depois."[5]

Depois de dois anos no clube e de apenas 35 partidas nesse período, Fabrício deve pedir, antes do final de 2013, sua rescisão de contrato com o Tricolor. Apesar de muito querido pelo elenco, ele "queria jogar [...] e, quando chegou, tinha muitos planos que não se concretizaram, seja pelas lesões que sofreu ou por outras questões que não vem ao caso", como afirmou seu empresário, Reinaldo Pitta, deixando claro que os motivos que levaram o atleta a romper seu vínculo, de mais um ano, com o clube baseiam-se em questões físicas e técnicas.[6]

Apesar dos rumores, Fabrício se manteve no clube para 2014, mas pouco aproveitado por Muricy Ramalho. No começo de março, em tom de desabafo, o volante disse as seguintes palavras: "Quer que eu faça o que pro cara gostar de mim?". Mesmo assim, o camisa 25 diz que vai cumprir seu contrato até o final - que se encerra em dezembro - e que ainda pretende jogar futebol por mais três anos.[7]

Histórico de Lesões no São Paulo[editar | editar código-fonte]

Data Lesão
Janeiro de 2012 (pré-temporada) Tendinite no tornozelo esquerdo.
22 de fevereiro de 2012 Contratura muscular na panturrilha direita. Em sua estreia pelo São Paulo, Fabrício jogou apenas 22 minutos contra o Bragantino.
8 de abril de 2012 Estiramento na panturrilha direita. Jogou apenas 14 minutos diante do Mogi Mirim. Na partida anterior jogou 45 minutos contra o Ituano.
17 de junho de 2012 Rompimento do ligamento do joelho esquerdo. Em sua quarta partida, após duas semanas de aprimoramento físico, contra o Atlético Mineiro, jogou apenas 21 minutos. Num lance isolado, Fabricio pisou em falso e torceu o joelho. Abalado, deixou o gramado chorando.

Vasco

Depois de ser afastado pela segunda vez dentro de 1 ano no São Paulo, foi emprestado até o fim do seu contrato ao Vasco para a disputa da série B do Brasileirão, a pedido do técnico Adilson Batista, com quem trabalhou no Cruzeiro. No Vasco readquiriu sua melhor forma, porém ainda não conseguiu repetir as boas atuações e tem sido bastante contestado pela torcida.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 17 de Novembro de 2013
Clube Temporada Campeonato
Nacional
Copa
Nacional
Competição
Internacional¹
Campeonato Estadual Outros
Torneios²
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
São Paulo
2012
1
0
0
0
0
0
4
0
0
0
4
0
2013
15
0
0
0
4
0
9
0
3
0
31
0
2014
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
Total 15 0 0 0 4 0 13 0 3 0 35 0
Total na Carreira 16 0 0 0 4 0 13 0 3 0 35 0

¹Em competições continentais, incluindo jogos e gols da Copa Libertadores e Copa Sul-Americana.
²Em outros, incluindo jogos e gols pela Copa Audi e Eusébio Cup.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Corinthians
Cruzeiro
São Paulo

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.