Face da Morte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Janeiro de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Face da Morte
Informação geral
Nome completo Face da Morte
Origem Hortolândia, São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Rap
Hip hop
Período em atividade 1995 - atualmente
Gravadora(s) Sky Blue Music
RDS (Face Da Morte Produções)
Afiliação(ões) Realidade Cruel, GOG
Integrantes Aliado G
Mano ED
DJ Viola
Ex-integrantes DJ Binho
MC David

Face da Morte é um grupo de rap e hip hop brasileiro criado em 1995, na cidade de Hortolândia, interior de São Paulo. [1]

O grupo é formado por três integrantes: Aliado G (vocal), Mano ED (vocal) e Viola (DJ), onde o último é responsável por toda a parte musical dos shows, com mixagens, colagens e screcths ao vivo.

História[editar | editar código-fonte]

O grupo foi formado em 1995 a partir da desistência de outros grupos, todos com grande bagagem no movimento Hip Hop. Graças ao seu sucesso, hoje o grupo faz 12 Shows por mês, por todo o interior de SP e Capital, inclusive representando o rap em eventos como as Conexões da 105,1 FM que reúnem os maiores nomes do cenário musical, com públicos de 8.000 pessoas em média. A vendagem expressiva dos dois primeiros álbuns, chamou a atenção de gravadoras e distribuidoras, foi quando o selo Face da Morte Produções assinou distribuição com a RDS. Hoje os CD’s são encontrados em todo o Brasil e alguns países do Mercosul, Europa e Ásia.

Em 1995 foi lançado o 1º álbum do grupo Face da Morte com o título Meu Respeito Eu Não Enrolo Numa Seda, onde se destacaram as músicas Carruagem da Morte e Quatro Manos, que se revezaram por 60 dias em 1º lugar na parada do programa MISTER RAP (rede CBS) projetando o grupo no cenário do Rap Nacional e alcançando a marca de 15.000 cópias só no ano de 1996.[carece de fontes?]

A solidificação do grupo se concretizou em 1998 quando foi lançado o álbum Quadrilha da Morte onde se destacaram as faixas: O Crime, A Carta e o hit A Vingança que se manteve por 200 dias entre as 10 mais da 105,1 FM (Rádio de SP). O álbum contou ainda com a regravação de Carruagem da Morte e uma versão de Quatro Manos. O sucesso nas FMs se traduziu em vendagem que ultrapassou a marca de 30.000 cópias (Totalmente Independente). O terceiro trabalho do grupo lançado em 1999, intitulado O Crime do Raciocínio veio altamente crítico, abordando a mídia, política, polícia, e crise social em geral. Foi lançado em Dezembro de 1999 e ultrapassou a marca das 45.000 cópias já no primeiro mês[carece de fontes?], alcançando com isso, a posição de CD mais vendido do Rap Nacional no 1º trimestre de 2000. Tem como destaque as músicas: Televisão (Conta com a participação de GOG), Tático Cinza (Conta com a participação de Douglas do Realidade Cruel) e o grande sucesso, que arrebentou nas rádios, Bomba H.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
1995 Meu Respeito Eu Não Enrolo Numa Seda
1998 Quadrilha da Morte
1999 O Crime do Raciocínio
2001 Manifesto Popular Brasileiro
2002 Face da Morte Ao Vivo
2004 Feito no Brasil
2007 Face da Morte 12 Anos

Referências

  1. Jornal Todo Dia. Rappers de Hortolândia detonam na Capital. Visitado em 07/03/2013.