Farofa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Farofa

Farofa (do quimbundo falofa) é farinha de mandioca ou farinha de milho escaldadas ou torradas, geralmente passadas na gordura ou na manteiga, às quais podem ser acrescentados inúmeros outros ingredientes, tais como: miúdos, milho, bacon torrado, linguiça frita, ovos, salsa, cebola, banana, couve, salame, entre outros.[1]

É um prato bastante popular no Brasil, tendo sua origem registrada no período colonial. Serve de acompanhamento a assados de carne, ave ou peixe. Por ser um alimento de baixo custo e fácil de preparar, é muito comum entre os trabalhadores.

No Nordeste, principalmente na Bahia, usa-se, como gordura, o azeite de dendê, que dá coloração e sabor característicos à farofa. É frequente, nos assados de aves, recheá-las com uma farofa feita com os miúdos da ave.

Com a farofa de mandioca, faz-se a popular "galinha com farofa". Consiste em cozinhar, em panela, uma galinha, bem temperada e cortada em pedaços, até ficar pouco úmida mas com gordura. Acrescenta-se a farofa de mandioca bem torrada e mistura-se. A baixa umidade faz com que o preparado se conserve sem refrigeração. É receita utilizada como farnel de viagem e em piqueniques.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 759.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AGUIAR, Pinto de - Mandioca - Pão do Brasil - Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. (Coleção Retratos Brasileiros; v. 166). 1982.
  • [1]
Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.