Farol de Colombo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Farol de Colombo
Faro colon.jpg
Informação geral
País República Dominicana
Data da construção 1931 a 1992 (com interrupções)
Projectado por Joseph Lea Gleave
Artefactos tumba de Cristóvão Colombo
Estatuto Monumento
Localização

O Farol de Colombo (em espanhol Faro a Colón) é um monumento localizado em Santo Domingo Este, na República Dominicana. No interior da estrutura encontra-se a tumba com os supostos restos mortais do navegador Cristóvão Colombo (1451-1506).

História[editar | editar código-fonte]

Em 1914, William E. Pullman, um empregado americano da alfândega instalado em Santo Domingo, começou a promover a construção de um farol monumental que celebrara o chegada de Cristóvão Colombo à Ilha de São Domingos (Hispaniola), ideia que refletia uma proposta feita no século XIX pelo historiador dominicano Antonio del Monte y Tejada.[1] Essa ideia materializou-se quando a União Panamericana (UPA), antecessora da OEA, coordenou a realização de um concurso internacional de arquitetura entre 1928 e 1930. Os jurados foram Raymond Hood, Eliel Saarinen, Horacio Acosta y Lara e Frank Lloyd Wright, que tiveram de escolher o ganhador entre 455 propostas.[1]

O desenho vencedor, anunciado em 1931, foi o de um jovem estudante britânico de arquitetura, Joseph Lea Gleave.[1] [2] A reação da imprensa ao anúncio não foi entusiasta, devido ao desconhecimento acerca do jovem arquiteto.[1]

A construção foi muito lenta devido a que a maioria dos países americanos não enviaram os fundos prometidos,[1] causando a interrupção dos trabalhos na década de 1940.[2] As obras foram reiniciadas mais tarde, financiadas integralmente pela República Dominicana e em tempo para a inauguração em 1992 como parte da celebração pelos 500 anos do Descobrimento da América.[1] Nesse ano a tumba de Cristóvão Colombo, localizada até então na Catedral de Santo Domingo, foi transferida ao monumento.[2]

Referências

  1. a b c d e f Robert González El concurso del Faro de Colón: Un reencuentro con el monumento olvidado de la arquitectura panamericana ARQ (Santiago) n.67 Santiago dic. 2007 (em espanhol)
  2. a b c José Enrique Delmonte Soñé. El Faro a Colón y el desarrollo urbano in La arquitectura dominicana contemporánea 1978-2008. Pág. 381. (em espanhol)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.