Fatah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fatah
فتح
Líder Mahmoud Abbas, Yasser Arafat
Fundação 1959
Sede Ramallah
Ideologia Nacionalismo,
Secularismo,
Socialismo
Afiliação internacional Internacional Socialista (observador)
Conselho Legislativo da Palestina
45 / 132
Espectro político Centro-esquerda
Cores Amarelo
Site www.fateh.ps

Fatah ou Al-Fatah (em árabe: فتح; acrônimo reverso do nome حركة التحرير الوطني الفلسطيني, transl. Harakat al-Tahrir al-Watani al-Filastini, literalmente: "Movimento de Libertação Nacional da Palestina"), é uma organização política e militar, fundada em 1959 pelo engenheiro Yasser Arafat e Khalil al-Wazir (Abu Jihad), e outros membros da diáspora palestina, como Salah Khalaf e Khaled Yashruti. É a maior facção da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), uma confederação multipartidária. Pode ser definido como um partido de centro-esquerda no contexto da política palestina. É essencialmente nacionalista e Laico. O partido é menos radical que o Hamas e atualmente prega a reconciliação entre palestinos e israelenses. Esta é uma das principais razões de sua aceitação internacional.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome completo do partido em árabe é حركة التحرير الوطني الفلسطيني (transl. ḥarakat al-taḥrīr al-waṭanī al-filasṭīnī, significando literalmente "Movimento de Libertação Nacional da Palestina". Fataḥ é o acrônimo reverso desta expressão, significando "começo", "conquista" ou "vitória". حتف, Ḥataf, o acrônimo na sequência não reversa, significa "morte" e não é utilizado pelos membros do partido. A palavra Fatah é utilizada no discurso religioso para significar a expansão islâmica nos primeiros séculos de História do islamismo - como em Fath al-Sham ou "começo do Levante" - e, assim sendo, possui uma conotação positiva entre os muçulmanos.

Facções[editar | editar código-fonte]

  • Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa: grupos autônomos criados durante a Segunda Intifada para reforçar os militantes da organização em relação ao rival Hamas. Conduziu os ataques contra Israel a partir de 1993 e ganhou adesão rápida com o avento da Intifada. As Brigadas são organizadas localmente e sofrem de pouca coesão e disciplina interna, muitas vezes ignorando cessar-fogos e outras iniciativas da liderança central do Fatah. Elas realizaram atentados contra civis israelenses, apesar da condenação pública da liderança do Fatah. As Brigadas, ao contrário do Fatah como um todo, são classificadas como uma organização terrorista pelos Estados Unidos.

Disputa com o Hamas[editar | editar código-fonte]

Na eleição parlamentar de 25 de janeiro de 2006, o partido perdeu a maioria no parlamento palestino para o Hamas e assumiu a posição de maior partido de oposição. Após o conflito entre o Fatah e o Hamas na Faixa de Gaza, que levou o último a controlar a área, Abbas nomeou Salam Fayyad, do pequeno partido Terceira Via, como o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina, enquanto que Ismail Haniyeh, eleito em 2006, se mantém como primeiro-ministro de Gaza.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.