Fatos Nano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fatos Thanas Nano
Fatos Thanas Nano
Primeiro ministro da  Albânia
Período de governo 22 de fevereiro - 5 de junho de 1991
Antecessor(a) Adil Çarçani
Sucessor(a) Ylli Bufi
Primeiro ministro da  Albânia
Período de governo 24 de julho de 1997 -2 de outubro de 1998
Antecessor(a) Bashkim Fino
Sucessor(a) Pandeli Majko
Primeiro ministro da  Albânia
Período de governo 31 de julho de 200211 de setembro de 2005
Antecessor(a) Pandeli Majko
Sucessor(a) Sali Berisha
Vida
Nascimento 16 de Setembro de 1952 (62 anos)
Tirana, Albânia
Dados pessoais
Primeira-dama Xhoana Nano
Partido Partia Socialiste e Shqipërisë
Profissão economista e político

Fatos Thanas Nano (n. 1952) economista e político, é um membro do parlamento da Albânia, representando a região de Sarandë. Foi também primeiro-ministro de seu país em três ocasiões: fevereiro-junho de 1991, 1997-1998 e 2002-2005.

Formação[editar | editar código-fonte]

Nano tem graduação em economia política e também um PhD em Economia pela Universidade de Tirana.

Atuação política[editar | editar código-fonte]

Após a queda da ditadura comunista em 1991, ele foi nomeado primeiro-ministro no governo de transição, cujo propósito era organizar as primeiras eleições democráticas no país. Poucos meses depois, após diversos protestos populares e greves, ele renunciou. Ainda em 1991, ele foi eleito líder do recém criado Partido Socialista da Albânia, sucessor do Partido do Trabalho da Albânia (comunista). Em março de 1992 o Partido Democrático da Albânia ganhou as eleições. Fatos Nano foi preso em 1993 e considerado culpado de roubo.

Em 1994, esquemas de “pirâmides” financeiras surgiram na Albânia. Seu colapso em 1997 causou uma revolta popular armada, e o presidente Sali Berisha foi forçado a renunciar.[1] [2] Nano foi inocentado e libertado. No mesmo ano, após a vitória do Partido Socialista da Albânia nas eleições, Nano foi novamente indicado primeiro-ministro, pelo presidente eleito Rexhep Meidani. No ano seguinte, teve que renunciar após uma tentativa de golpe de estado realizada por seguidores radicais do Partido Democrático da Albânia. Este golpe foi tentado durante o funeral de um líder da oposição, Azem Hajdari. O Partido Socialista continuou a governar o país, e ganhou as eleições de 2001.

Nano se tornou novamente primeiro-ministro em 31 de julho de 2002, indicado pelo presidente Alfred Moisiu. A 3 de julho de 2005 o Partido Socialista perdeu as eleições e a maioria parlamentar. O Partido Democrático ganhou a maioria e Sali Berisha foi indicado primeiro-ministro do novo governo. Em 1 de setembro de 2005 Nano renunciou à presidência do Partido Socialista.

Nano disputou um turno de votação para a presidência no parlamento em 8 de julho de 2007, parte da eleição para substituir Moisiu. Entretanto, a maioria dos membros da coalizão de oposição liderada pelo Partido Socialista não o apoiaram, preferindo boicotar a eleição. Nano recebeu somente três votos, enquanto Bamir Topi, do Partido Democrático, recebeu 75 votos. Mesmo assim, Topi não recebeu votos suficientes para se eleger.[3] [4] O segundo turno das eleições ocorreu a 10 de julho. O parlamento novamente não conseguiu eleger um presidente, tendo Nano recebido 9 votos e Topi 74. Caso persistisse a dificuldade de eleger um presidente teriam que ser convocadas novas eleições parlamentares,[5] entretanto a 20 de julho Topi conseguiu maioria para se eleger.[6]

Novo partido[editar | editar código-fonte]

No final de agosto, Nano dava sinais de que iria buscar outro partido após ter deixado o PS albanês.[7] Ele anunciou a fundação do Movimento pela Solidariedade a 19 de setembro daquele ano.[8]

Referências

  1. "Albania under the shadow of the pyramids", Carlos Elbirt (Transition Newsletter), 1997.
  2. " Anarchy of thugs menaces Albania", Jane Perlez (The New York Times), 2 de março 1997.
  3. "Albanian parliament set to vote for new president", Associated Press (International Herald Tribune), 8 de julho de 2007.
  4. "Albania edges toward elections after presidential vote fails", Associated Press (International Herald Tribune), 9 de julho de 2007.
  5. "Standoff in Parliamentary Ballot to Pick New Albanian President", birn.eu.com, 11 de julho de 2007.
  6. "Albania's new president Bamir Topi sworn in", Associated Press (International Herald Tribune), 24 de julho de 2007.
  7. "Albania's ex-PM aiming a political comeback", dtt-net.com, 30 de agosto de 2007
  8. "Albania's Ex-PM Nano Sets up New Group", birn.eu.com, 20 de setembro de 2007.
Precedido por
Adil Çarçani
Primeiro ministro da Albânia
fevereiro a junho - 1991
Sucedido por
Ylli Bufi
Precedido por
Bashkim Fino
Primeiro ministro da Albânia
1997-1998
Sucedido por
Pandeli Majko
Precedido por
Pandeli Majko
Primeiro ministro da Albânia
2002-2005
Sucedido por
Sali Berisha