Federação Internacional de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fédération Internationale de Football Association
World Map FIFA.svg

Mapa dos membros da FIFA de acordo com suas confederações
Lema "For the Game. For the World. (Pelo jogo. Pelo mundo.)"
Fundação 21 de maio de 1904 (110 anos)
Tipo Desportiva
Sede Zurique, Suíça
Membros 209 federações nacionais
Línguas oficiais alemão, árabe, espanhol, francês, inglês e Português
Presidente Suíça Joseph Blatter
Organização França Jérôme Valcke (secretário geral)
Uruguai Eugenio Figueredo (vice-presidente sênior)
Sítio oficial Site oficial

Federação Internacional de Futebol Associado (do francês: Fédération Internationale de Football Association), mais conhecida pelo acrônimo FIFA, é a instituição internacional que dirige as associações de futsal, futebol de areia (português brasileiro) ou futebol de praia (português europeu) e futebol associado, o esporte coletivo mais popular do mundo. Filiada ao Comitê Olímpico Internacional, a FIFA foi fundada em Paris em 21 de maio de 1904 e tem sua sede em Zurique, na Suíça.

Ao todo, possui 209 países e/ou territórios associados.[1] Com esse número, é a instituição internacional que possui a segunda maior quantidade de associados, inclusive mais associados do que a Organização das Nações Unidas e o Comitê Olímpico Internacional, que possuem, respectivamente, 193 e 205 membros cada. A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) possui 212 membros.

O seu atual presidente é o suíço Joseph Blatter e o seu atual secretário executivo é o francês Jérôme Valcke.[2]

Denominação[editar | editar código-fonte]

A referência ao Football Association decorre ao fato de na época de sua fundação existirem duas vertentes do futebol, uma controlada pela Football Association (ao qual a FIFA tornou-se a federação internacional) e outra controlada pela Rugby Football Union (posteriormente pela International Rugby Football Board) que viria a ser o rugby.

Regras do jogo[editar | editar código-fonte]

As regras[a] do futebol que governam o jogo não são apenas de responsabilidade da FIFA. Existe um comité chamado International Football Association Board (IFAB) que discute e pondera as regras do futebol. No comitê, a FIFA é representada por quatro dirigentes (metade do comité). A outra metade do comitê é composta por representantes de Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

Confederações[editar | editar código-fonte]

Mapa representando todos os membros afiliados à FIFA

Em conjunto com a FIFA, trabalham seis confederações continentais, que organizam competições na sua área de atuação, seguindo as especificações da FIFA.

     CONMEBOL (América do Sul)
     CONCACAF (América do Norte, América Central e Caribe)
A Guiana e o Suriname fazem parte da CONCACAF, apesar de estarem na América do Sul
     UEFA (Europa)
     AFC (Ásia)
A Austrália faz parte da AFC desde 2006
     CAF (África)
     OFC (Oceania)

A FIFA reconhece um total de 209 federações nacionais masculinas e 129 federações femininas. A FIFA possui mais membros do que a [Organização das Nações Unidas]], sendo que ela reconhece 23 territórios não reconhecidos pelas Nações Unidas, como a Palestina.[3] Apenas oito nações soberanas não pertencem à FIFA: Mônaco, Vaticano, Micronésia, Ilhas Marshall, Kiribati, Tuvalu, Palau e Nauru.

Competições[editar | editar código-fonte]

Sede da FIFA, em Zurique, Suíça.

A FIFA organiza várias competições e, apesar de todas serem reconhecidas pela entidade, só algumas fazem parte do calendário oficial.

Categorias Competições
Futebol Masculino
Copa do Mundo FIFA
Copa das Confederações FIFA
Copa do Mundo de Clubes da FIFA
Campeonato Mundial de Futebol Sub-20
Campeonato Mundial de Futebol Sub-17
Futebol Feminino
Copa do Mundo de Futebol Feminino
Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-20
Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-17
Futsal
Copa do Mundo de Futsal da FIFA
Copa Intercontinental de Futsal
Futebol de areia
Copa do Mundo de Futebol de Areia
Mundialito de Clubes de Futebol de Areia

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 2004, a entidade, em comemoração ao seu centenário, organizou um jogo entre Brasil e França, os dois países mais bem sucedidos nas suas competições na última década. Além deste jogo, a entidade também promoveu a elaboração de uma lista com os 100 maiores jogadores da história da entidade, chamada FIFA 100.[4]

Em 2010, a FIFA anunciou a unificação do prêmio para melhor jogador de futebol do mundo com o Ballon d'Or, cedido pela revista francesa France Football. O novo prêmio foi chamado FIFA Ballon d'Or.[5] Além da unificação, a FIFA e a revista anunciaram a criação do prêmio de melhor treinador do mundo.[6]

Hino da FIFA[editar | editar código-fonte]

Desde a Copa do Mundo de 1994, assim como a Liga dos Campeões da UEFA, a FIFA adotou um hino criado pelo compositor alemão Franz Lambert. Ele foi recentemente rearranjado e produzido por Rob May e Simon Hill. O hino é tocado no início de uma partida e torneio oficial da FIFA, assim como em amistosos internacionais.

Desde 2007, a FIFA tem pedido, a seus parceiros de transmissão televisiva, tocar pequenos trechos do hino no começo e fim dos eventos transmitidos por ela e também nos comerciais de tais eventos, para ajudar a promover seus patrocinadores.

Organização[editar | editar código-fonte]

O Congresso da FIFA, órgão mais importante da entidade, é realizado, normalmente, a cada dois anos. Desde 1998, extraordinariamente, o encontro tem ocorrido a cada ano.[7]

Abaixo do Congresso estão os dois órgãos executivos:

  • Comitê Executivo - responsável por tomar as decisões sobre todos os casos não previstos na responsabilidade do Congresso da FIFA e nem reservados para outros órgãos pela lei ou pelo estatuto da entidade. É composto pelo presidente, pelo secretário executivo, por um vice-presidente sênior, por sete vice-presidentes e mais 16 membros[8]
  • Comitê de Emergência[9]

O secretário geral é auxiliado por mais de 25 comitês permanentes, órgãos jurídicos, o Comitê Disciplinar e o Comitê de Recurso:[10]

  • Comitês permanentes
    • Audit and Compliance Committee
    • Comitê de Arbitragem
    • Comitê de Beach Soccer
    • Comitê de Clubes
    • Comitê de Desenvolvimento
    • Comitê de Estádios e Segurança
    • Comitê de Fair Play e Responsabilidade Social
    • Comitê de Federações
    • Comitê de Futebol
    • Comitê de Futebol Feminino e da Copa do Mundo Feminina da FIFA
    • Comitê de Futsal
    • Comitê de Mídia
    • Comitê de Status de Jogadores
    • Comitê Estratégico
    • Comitê Financeiro
    • Comitê Jurídico
    • Comitê Médico
    • Comitê Organizador da Copa das Confederações da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo de Clubes da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo Feminina Sub-17 da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo Sub-17 da FIFA
    • Comitê Organizador da Copa do Mundo Sub-20 da FIFA
    • Comitê Organizador dos Torneios Olímpicos de Futebol
    • Conselho Consultivo de Marketing e Televisão
    • Escritório da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014
  • Órgãos Jurídicos
    • Comitê de Ética
    • Comitê de Recurso
    • Comitê Disciplinar

Há, também, outros órgãos para auxílio no desempenho de suas atividades:[11]

  • Centro de Pesquisa e Avaliação Médica da FIFA
  • Dispute Resolution Chamber
  • Formadores do Projeto "Goal"
  • Task Force against Racism and Discrimination

Ranking da FIFA[editar | editar código-fonte]

O Ranking Mundial da FIFA (oficialmente Ranking Mundial FIFA/Coca-Cola) é um sistema que classifica as 210 Seleções Nacionais de Futebol Masculino associadas à organização. É utilizado desde agosto de 1993 e já passou por diversas reformulações. A mais recente, após a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Ano Presidente
1904 – 1906 França Robert Guérin
1906 – 1918 Inglaterra Daniel Burley Woolfall
1921 – 1954 França Jules Rimet
1954 – 1955 Bélgica Rodolphe Seeldrayers
1955 – 1961 Inglaterra Arthur Drewry
1961 – 1974 Inglaterra Stanley Rous
1974 – 1998 Brasil João Havelange
1998 – atual Suíça Joseph Blatter

Alegações de corrupção e interferência legislativa[editar | editar código-fonte]

Translation Latin Alphabet.svg
Esta secção está a ser traduzida de en:FIFA#Allegations_of_corruption_and_legislative_interference (desde julho de 2012). Ajude e colabore com a tradução.

Em maio de 2006, o repórter investigativo britânico Andrew Jennings, autor do livro entitulado Foul! The Secret World of FIFA: Bribes, Vote-Rigging and Ticket Scandals (Falta! O Mundo Secreto da FIFA: propinas, fraude eleitoral e escândalos com ingressos, numa tradução livre do título em inglês), causou controvérsia dentro do universo futebolístico ao detalhar um escândalo internacional, que, alegadamente, envolvia a venda de contratos na sequência do colapso do parceiro encarregado dos negócios de marketing da FIFA, a ISL, revelando ainda como alguns altos funcionários do futebol foram forçados a reembolsar as propinas que haviam recebido no passado. O livro também alegava que a luta de Sepp Blatter pelo controle continuado da FIFA envolvia fraudes eleitorais.

Pouco após o lançamento de Foul!, um exposé televisivo produzido para o noticiário Panorama da BBC, do qual Jennings e um produtor da mesma rede televisiva, Roger Corke, participaram, foi ao ar. Durante a transmissão, de aproximadamente uma hora de duração, em 11 de junho de 2006, Jennings e o os outros participantes do Panorama concluíram que a polícia suíça estava investigando a atuação de Sepp Blatter em um acordo secreto para a devolução de mais de um milhão de libras esterlinas em propinas que haviam sido recebidas por altos funcionários do futebol.

Todos os depoimentos exibidos durante o exposé televisivo foram dados por indivíduos cujas vozes, a aparência, ou ambos, apresentavam-se distorcidos, com uma exceção: Mel Brennan. Antigo conferencista da Universidade de Towson, localizada nos Estados Unidos da América, Mel Brennan, foi, entre 2001 e 2003, Diretor para Projetos Especiais da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (CONCACAF), parceiro do projeto e-FIFA e também delegado da Copa do Mundo de 2002. Mel Brennan tornou-se o primeiro insider do alto escalão do mundo do futebol a ir a público com alegações substanciais de ganância, corrupção, má-administração e malfeitorias cometidas tanto pela direção da FIFA como pela da CONCACAF. Durante a transmissão, Brennan – o afro-americano de mais alto gabarito da história da governância futebolístca – juntou-se a Jennings, a Lisana Liburd, de Trinidad e Tobago e a muitos outros na exposição de alegações sobre a alocação inapropriadada de dinheiro dentro da CONCACAF, traçando conexões entre atividades ostensivamente criminosas da CONCACAF com outros comportamentos similares dentro da FIFA. Desde então, e sob a luz de recentes alegações de propina e corrupção contra a FIFA em 2010,[12] tanto Jennings quanto Brennan permanecem altamente críticos à FIFA, com Brennan pedindo abertamente às entidades e as pessoas que suportam o futebol mundo afora que considerem uma alternativa à FIFA.[13]

Em maio de 2010, após dois funcionários da FIFA pagarem cinco milhões e meio de francos suíços em reparações, a Procuradoria de Zug, na Suíça, arquivou um processo por peculato e por falsidade ideológica contra ambos e contra a Federação Internacional de Futebol.[14] Na época, 5 jornalistas solicitaram vistas aos documentos do processo, mas os dois funcionários da FIFA entraram na justiça, numa tentativa de impedi-los.[14] A disputa judicial pelo sigilo dos documentos foi levada até a última instância do judiciário suíço, que acabou decidindo a favor dos jornalistas.[14] Os documentos,[15] que vieram à tona em 11 de julho de 2012,[16] mostram que os funcionários usaram a FIFA em benefício próprio por muitos anos,[17] revelando ainda detalhes sobre os subornos que a empresa de marketing da FIFA, a ISL, recebeu e pagou a diversos funcionários ao redor do mundo, entre eles os brasileiros Ricardo Teixeira e João Havelange.[18] Os documentos detalham diversas transferências de propinas para as contas dos envolvidos. Em algumas delas, o volume transferido é de 1 milhão de dólares.[17]

Membros[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Federações (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  2. Organograma da FIFA (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  3. Palestina (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  4. Pele's list of the greatest (em inglês) BBC (4 de março de 2004). Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  5. Fifa unifica prêmio de melhor do mundo com revista francesa Portal Terra (5 de julho de 2010). Página visitada em 6 de julho de 2010.
  6. Após unificação, Fifa anuncia prêmio para o melhor treinador ESPN (5 de julho de 2010). Página visitada em 6 de dezembro de 2010.
  7. Congresso (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  8. Órgãos Executivos da FIFA (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  9. Comitê de Emergência (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  10. Comitês permanentes (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  11. Outros órgãos da FIFA (em português) FIFA.com. Página visitada em 28 de agosto de 2013.
  12. Ziegler, Martyn (18 de novembro de 2010). Fifa suspend six officials (em inglês) The Independent. Página visitada em 18 de novembro de 2010.
  13. BBC iPlayer – World Football: 20/11/2010 (Áudio) (em inglês) BBC (20 de novembro de 2010). Página visitada em 9 de julho de 2011.
  14. a b c Knopf, Simon (11 de julho de 2012). Fünf Journalisten gewinnen gegen die Fifa (em alemão) Basler Zeitung on-line. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  15. Einstellungsverfügung vom 11. Mai 2010 (PDF) (em alemão) Staatsanwaltschaft Kanton Zug (11 de maio de 2010).
  16. Föhn, Markus (17 de julho de 2012). «Das ist Ablasshandel» (em alemão) Beobachter Online. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  17. a b Chade, Jamil (12 de julho 2012). Justiça mostra suborno milionário O Estado de S.Paulo. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  18. Tanda, Jean François (11 de julho de 2012). Millionenzahlungen an Fifa-Funktionäre (em alemão) Beobachter Online. Página visitada em 17 de julho de 2012.

Nota[editar | editar código-fonte]

a. ^ Para verificar as regras actuais, veja aqui

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Federação Internacional de Futebol