Federação Internacional de Xadrez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fidelogo.png
A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo

A Federação Internacional de Xadrez (FIDE) (em francês, Fédération Internationale des Échecs ou, em inglês, World Chess Federation) foi fundada em 20 de Julho de 1924, Paris. Tendo Alexander Rueb como um de seus fundadores sendo eleito o seu primeiro presidente (1924~1949), sendo atualmente presidido por H. E.Kirsan Ilyumzhinov, desde 1995 (Presidente da Kalmykia, República autónoma da Rússia).

A FIDE é reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) como a responsável pela organização do Xadrez e dos campeonatos internacionais em níveis continentais. Em 1999, a FIDE foi reconhecida pelo COI como uma Federação esportiva internacional

Atualmente a FIDE não se volta somente ao xadrez profissional de alto nível, também investe no xadrez escolar, fazendo deste esporte intelectual uma fonte de educação.

História[editar | editar código-fonte]

A partir do torneio de São Petersburgo (1914), cresceram as iniciativas para a criação de uma entidade reguladora para o esporte, que culminou com a criação da FIDE em 1924. O primeiro evento organizado pela entidade foram as Olimpíadas de Xadrez, vencida pela equipe húngara, e o Campeonato Mundial Feminino de Xadrez vencido por Vera Menchik, realizados em Londres (1927).

Os congressos da FIDE de 1925 e 1926 já manifestavam o interesse de já organizar também o primeiro mundial masculino, porém o fundo de premiação de $10.000 dólares exigido por José Raúl Capablanca (campeão mundial de Lasker em 1921) foi considerado impraticável pela entidade que decidiu criar um título em paralelo de "Campeão da FIDE" em 1928. Onde Efim Bogoljubow venceu a disputa contra Max Euwe (5º jogador a ganhar o título de Campeão do Mundo), entretanto este título foi praticamente esquecido após a derrota de Bogoljubow no mundial de 1929 contra Alexander Alekhine, então campeão mundial após ter derrotado Capablanca no ano de 1927. Alekhine concordava em disputar o título sob organização da FIDE, exceto contra Capablanca onde exigia as mesmas condições da partida realizada em 1927.

Após a Segunda Guerra Mundial, a FIDE reiniciou suas atividades com a organização do mundial de 1946. Entretanto Alexander Alekhine faleceu antes da competição deixando o título de campeão vago.

Após a morte do então campeão mundial Alekhine (em 1946), a FIDE passa a organizar também a competição masculina num sistema de torneios zonais, interzonais e de candidatos que sofreram algumas alterações mais ainda são realizados na atualidade.

Então sem um campeão, no congresso de 1947 foram decididos os participantes de um torneio que apontaria o novo campeão mundial, pela primeira vez contando com o apoio da recém filiada federação soviética, a FIDE indicou os seguintes jogadores: Paul Keres, Reuben Fine, Mikhail Botvinnik, Samuel Reshevsky, Vasily Smyslov e Max Euwe para a disputa de um torneio a ser realizado no ano seguinte.

Mikhail Botvinnik venceu o torneio, dando início a uma era de domínio soviético de campeões mundiais que seguiu com Vasily Smyslov, Mikhail Tal, Tigran Petrosian, Boris Spassky, Anatoly Karpov e Garry Kasparov até a década de 1990. Este domínio foi apenas interrompido entre 1972 e 1975 quando o prodígio estadunidense Bobby Fischer se tornou campeão mundial ao derrotar Boris Spassky no ano 1972. Logo após Fischer se tornar campeão, abandonou o xadrez profissional não enfrentando o desafiante Anatoly Karpov no ano de 1975.

No mundial feminino, o domínio soviético de campeãs também foi duradouro. Após a morte de Vera Menchik em 1944, a FIDE organizou um mundial em 1950, vencido por Lyudmila Rudenko. Seguidas por suas compatriotas russas Elizaveta Bykova, Olga Rubtsova, Nona Gaprindashvili e Maia Chiburdanidze que foram as campeãs seguintes num domínio que durou até 1990.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre enxadrismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.