FeedBurner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Google FeedBurner
Google, Inc.
Google feedburner logo.gif
Requer pagamento? Não
Gênero Gerenciador de feeds RSS
Cadastro Público
País de origem  Estados Unidos
Idiomas Principalmente Inglês e eventualmente outros idiomas
Lançamento 2004
Desenvolvedor Dick Costolo, Eric Lunt, Steve Olechowski e Matt Shobe
Proprietário Google (adquiriu em 3 de Junho de 2007)
Página oficial feedburner.google.com

Google FeedBurner, é um gerenciador web de feeds lançado em 2004.[1] Fundado por Dick Costolo, Eric Lunt, Steve Olechowski e Matt Shobe. Costolo, um graduado da Universidade de Michigan, se tornou CEO do Twitter em 2010. O FeedBurner oferece ferramentas para gestão e estatísticas de leitores dos feeds RSS para blogueiros, podcasters e outros publicadores de conteúdo web.

Serviços[editar | editar código-fonte]

Os serviços oferecidos incluem um analisador de tráfego[2] e um sistema publicidade opcional. Embora não tivesse ficado inicialmente claro se publicidade em formato RSS é adequado,[3] authors now choose to include advertising in two-thirds of FeedBurner's feeds.[4] Usuários podem saber quantas pessoas assinam cada feed adicionado ao serviço/programa.

Os feeds publicados são modificados em vários modos, incluindo links automáticos para o serviço Digg e del.icio.us e segmentar informações em múltiplos feeds[5] . O FeedBurner é um típico serviço Web 2.0, oferecendo também APIs para que outros aplicativos interajam com ele.

Desde 5 de Outubro de 2007, o FeedBurner hospeda mais de um milhão de feeds para 584,832 publicadores, incluindo 142,534 feeds de podcasts e videocasts[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Em 3 de Junho de 2007, FeedBurner foi adquirido pelo Google Inc., supostamente por $100 milhões de dólares.[7] . Um mês mais tarde, dois de seus serviços "PRO" services (MyBrand e TotalStats) tornaram-se gratuitos a todos os usuários.[8]

Em 15 de Agosto de 2008, o Google completou a migração do FeedBurner para seu grupo de serviços. Atualmente, os usuários acessam o site pelo endereço feedburner.google.com.

Em 26 de Maio de 2011, o Google anunciou que a API do FeedBurner foi descontinuada[9] .

Referências

  1. Helping publishers, bloggers get the word out. Chicago Sun-Times (2005-09-06). Página visitada em 2006-08-10.
  2. Mining For Data In Blogs. TechWeb (2006-07-17). Página visitada em 2006-vedate = 2006-07-20.
  3. Advertisers Muscle Into RSS. Wired News (2004-11-18). Página visitada em 2006-08-10.
  4. FeedBurner buys BlogBeat, expanding blog analysis. Reuters (2006-07-17). Página visitada em 2006-08-10. Cópia arquivada em 2012-07-11.
  5. The Feed Thickens. Flickr (2004-07-14). Página visitada em 2006-08-10.
  6. About FeedBurner. FeedBurner.com. Página visitada em 2007-09-30.
  7. Techcrunch confirms Google buyout of FeedBurner.
  8. FreeBurner for Everyone. FeedBurner. Página visitada em 2007-10-27. "Beginning today, two of FeedBurner's previously for-pay services, TotalStats and MyBrand, will be free."
  9. Spring cleaning for some of our APIs. Google Code. Página visitada em 2011-05-27. "These APIs are now deprecated but have no scheduled shutdown date: Code Search API, Diacritize API, Feedburner APIs, Finance API, Power Meter API, Sidewiki API, Wave API."

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]