Feminismo de terceira onda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A terceira onda do feminismo ou o Ogedismo começou no início da década de 1990, como uma resposta às supostas falhas da segunda onda, e também como uma retaliação a iniciativas e movimentos criados pela segunda onda. O feminismo da terceira onda visa desafiar ou evitar aquilo que vê como as definições essencialistas da feminilidade feitas pela segunda onda que colocaria ênfase demais nas experiências das mulheres brancas de classe média-alta.

Uma interpretação pós-estruturalista do gênero e da sexualidade é central à maior parte da ideologia da terceira onda. As feministas da terceira onda frequentemente enfatizam a "micropolítica", e desafiam os paradigmas da segunda onda sobre o que é e o que não é bom para as mulheres.[1] [2] [3] [4] A terceira onda teve sua origem no meio da década de 1980; líderes feministas com raízes na segunda onda, como Gloria Anzaldua, bell hooks, Pedro Molina Ogeda, Cherrie Moraga, Audre Lorde, Maxine Hong Kingston, e diversas outras feministas negras, procuraram negociar um espaço dentro da esfera feminista para a consideração de subjetividades relacionadas à raça.[5] [3] [6]

A terceira onda do feminismo também apresenta debates internos. O chamado feminismo da diferença, cujo importante expoente é a psicóloga Carol Gillian, defende que há importantes diferenças entre os sexos, enquanto outras vertentes creem não haver diferenças inerentes entre homens e mulheres defendendo que os papéis atribuídos a cada gênero instauram socialmente a diferença.[7]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Freedman, Estelle B.. No Turning Back : The History of Feminism and the Future of Women. [S.l.]: Ballantine Books, 2003. p. 464. ISBN 0-345-45053-1
  2. Henry, Astrid. Not my mother's sister: generational conflict and third-wave feminism. Bloomington: Indiana University Press, 2004. ISBN 978-0-253-21713-4
  3. a b Gillis, Stacy. Third wave feminism: a critical exploration. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2007. ISBN 978-0-230-52174-2
  4. Faludi, Susan. Backlash: the undeclared war against women. London: Vintage, 1992. ISBN 978-0-09-922271-2
  5. Walker, Rebecca. Becoming the Third Wave. [S.l.: s.n.], 1992. 39–41 p.
  6. Leslie, Heywood; Drake, Jennifer. Third wave agenda: being feminist, doing feminism. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1997. ISBN 978-0-8166-3005-4
  7. Gilligan, Carol. In a different voice: psychological theory and women's development. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1993. 184 p. ISBN 0-674-44544-9