Fernando Gaitán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de es:Fernando Gaitán (desde setembro de 2011). Ajude e colabore com a tradução.
Fernando Gaitán
Nome completo Fernando Gaitán Salom
Nascimento 9 de novembro de 1960 (53 anos)
Bogotá,  Colômbia
Progenitores Mãe: María Teresa Salom
Pai: Julio Enrique Gaitán
Ocupação Roteirista e produtor de telenovelas e séries de televisão
Principais trabalhos Yo soy Betty, la fea
Prêmios Prêmio India Catalina
TP de Oro

Fernando Gaitán Salom (Bogotá, Colômbia - 9 de novembro de 1960) é um roteirista e produtor de telenovelas e séries de televisão colombiano.

Produziu algumas telenovelas mais famosas da televisão colombiana, entre elas Yo soy Betty, la fea, considerada pelo Livro dos Recordes como a telenovela mais bem sucedida da história, por ser transmitida em mais de 100 países, e ser dublada em mais de 15 idiomas e 22 adaptações.[1] [2] [3] [4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fernando Gaitán Salom nasceu em 9 de novembro de 1960 em Bogotá, na Colômbia. É filho de Julio Enrique Gaitán e María Teresa Salom.[5] Gaitán era uma criança solitária e que gostava de observar o comportamento das pessoas[6] [7]

Em 1976, Gaitán conhece Esperanza González, que futuramente se tornaria a sua esposa.[6] Ele fez sua primeira comunhão no Colégio Washington e se formou na escola de ensino médio León Greiff em 1979.[7] [8] Neste mesmo ano, Gaitán começou a sua carreira como roteirista no jornal El Tiempo, que acabou por fazer parte da equipe de unidade investigativa.[8]

Aos 22 anos se introduziu ao mundo da televisão, escrevendo roteiros para game shows[8] e a partir daí, começa a escrever telenovelas, como Azúcar, mas não foi realmente reconhecido até escrever em 1994 a telenovela Café, con aroma de mujer, novela que o lançou para a fama, tendo várias adaptações no México.[9] [10]

Em 1998, Gaitán teve o maior erro de sua carreira com Carolina Barrantes.[6] Apesar disto, logo se recuperou e em 1999 foi mundialmente reconhecido pela telenovela Yo soy Betty, la fea, adaptada em vários países do mundo.[1]

Em 2006 Gaitán estreia na RCN, com uma telenovela intitulada Hasta que la plata nos separe, que fez um grande sucesso [11] e várias adaptações em alguns países.[12]

Fernando Gaitán foi nomeado vice-presidente de produções da RCN em 2009 e [11] [13] atualmente está trabalhando em uma nova telenovela, chamada Profesión: bruja.[14] [15] , versão mexicana de A Corazón Abierto para a TV Azteca.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Autor[editar | editar código-fonte]

Produtor executivo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b ‘Yo soy Betty la fea’ entra al libro de los Guinnes Records. colombia.com (12 de fevereiro de 2010).
  2. La fea en Guinness Records (em inglês). novebox.com (12 de fevereiro de 2010).
  3. La fea, en los Guinness Records. eldiario.com (13 de fevereiro de 2010).
  4. Yo soy Betty la fea entra a los Guinness Record. quedice.org (13 de fevereiro de 2010).
  5. El nobel de las telenovelas. ElPais (17 de abril de 2010).
  6. a b c Fernando Gaitán Salom. ColArte (17 de abril de 2010).
  7. a b Fernando Gaitán Salom (em inglês). novebox/Telepedia. Página visitada em 16 de abril de 2010.
  8. a b c Quien es Fernando Gaitán. JetSet. Página visitada em 16 de abril de 2010.
  9. Cuando seas mía (em inglês). novebox.com. Página visitada em 16 de abril.
  10. Destilando amor – Televisa (2007). todotnv.com. Página visitada em 16 de abril.
  11. a b Mas vistos en la televisión colombiana. mail.canalcaracol. Página visitada em 15 de abril. "Ver primer link en excel, "0 Audiencias - parrillas - Mauricio Rodriguez.xls", pestaña "Gráfica años""
  12. ‘Hasta que el dinero nos separe’, la novela de Gaitán en versión mexicana. estereofonica.com (19 de junho de 2009). Página visitada em 16 de abril.
  13. Luz Adriana Velasco (11 de abril de 2010). El trabajo creativo y estratégico de Fernando Gaitán. ElTiempo. Página visitada em 12 de abril.
  14. a b Regresa Fernando Gaitán. Quevio.com.
  15. a b El regreso de Fernando Gaitán. Lafiscalia.com.

Ver também[editar | editar código-fonte]