Fernando III da Germânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fernando III
Sacro Imperador Romano-Germânico
Frans Luycx 002.jpg
Fernando III
Governo
Reinado 1619- 1637
Antecessor Fernando II
Sucessor Leopoldo I
Dinastia Habsburgo
Títulos Rei da Boêmia, Rei da Hungria
Vida
Nascimento 13 de julho de 1608
Graz
Morte 2 de abril de 1657 (48 anos)
Viena

Fernando III da Germânia (Graz, 13 de julho de 1608Viena, 2 de abril de 1657) foi arquiduque austríaco da Casa dos Habsburgo e de 15 de fevereiro de 1637 até a sua morte em 1657, Sacro Imperador Romano-Germânico.

Vida[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Fernando III foi o terceiro filho de Fernando II e Maria Ana da Baviera. Educado pelos jesuítas em Ingolstadt, foi bom músico, letrado notável. Johann Jakob von Dhaun, cavaleiro da Ordem dos Hospitalários, exerceu também grande influência na educação do príncipe.

Arquiduque da Áustria, em dezembro de 1625 foi corado, em 8 de dezembro de 1626, Rei da Hungria e Croácia e em 21 de novembro de 1627, Rei da Boêmia. Depois disso, ele requereu o comando supremo das tropas imperiais e a participação nas campanhas de Albrecht von Wallenstein, unindo-se aos inimigos de Wallenstein e contribuindo para a sua destituição.

Comandante-em-chefe[editar | editar código-fonte]

Depois da morte de Wallenstein ele se tornou, em 2 de maio de 1634, comandante-em-chefe e com o apoio dos generais Matthias Gallas e Octavio Piccolomini, tomou Donauwörth e Ratisbona, venceu em setembro de 1634 a Batalha de Nördlingen e expulsou os suecos do sul da Alemanha. Devido às suas conquistas ele adquiriu também influência política. Líder do partido pacifista da corte, ele ajudou a negociar a Paz de Praga com os Estados protestantes, especialmente com a Saxônia em 1635. Mais tarde seguiu as estratégias de guerra de seu irmão, o Arquiduque Leopoldo Guilherme.

Imperador[editar | editar código-fonte]

Em 30 de dezembro de 1636 ele se tornou Rei dos Romanos, em 15 de fevereiro de 1637, depois da morte de seu pai, Sacro Imperador Romano-Germânico. Herdando a situação criada pela Guerra dos Trinta Anos, ele buscou incansavelmente estabelecer negociações de paz, que foram iniciadas em 1644, mas só foram concluídas em 1648 com a Paz de Vestfália (Tratado de Münster com a França e Tratado de Osnabrück com a Suécia). A firme recusa de Fernando em permitir a liberdade de culto em seus territórios e a retomada da expulsão dos rebeldes (Contrarreforma), contribuíram enormemente para o atraso da conquista dos acordos de paz.

Depois de Fernando ter conseguido que a Reichstag em Ratisbona elegesse seu filho, Fernando IV, Rei dos Romanos, em 1653, apesar deste morrer antes dele em 9 de julho de 1654 e de ter estabelecido uma aliança com os poloneses contra os suecos, ele morreu em 2 de abril de 1657.

A personalidade[editar | editar código-fonte]

Fernando tinha uma grande e imponente personalidade, igualmente religioso, porém menos fanático e nacionalista que seu pai, ao mesmo tempo um protetor das artes e das ciências, bom músico e compositor. Wolfgang Ebner publicou em 1648, em Praga, uma de suas árias com 36 variações; uma canção para quatro vozes, Melothesia Caesarea, a primeira parte de sua música sacra Masurgie, e uma simples canção para coral sobre o salmo Miserere foram publicados no jornal de Leipzig Allgemeinen musikalischen Zeitung, em 1826.

Família[editar | editar código-fonte]

Em 20 de fevereiro de 1631 Fernando III casou com sua prima, a infanta Maria Ana da Espanha (Madri, 18 de agosto de 1606Linz, 13 de maio de 1646), filha mais nova de Filipe III e de Margarida da Áustria (1584-1611), Rainha e Regente da Espanha (1665-75). Tiveram seis filhos:

Enviuvando Fernando III casou, em 1648, com sua prima Maria Leopoldina (Innsbruck, 6 de abril de 1632 – Viena, 7 de julho de 1649), Arquiduquesa da Áustria. Ela era a filha mais nova do arquiduque Leopoldo V da Áustria, conde do Tirol e de Cláudia de Médici. Deste casamento tiveram um único filho:

Em 1651, Fernando III casou com Leonor Gonzaga de Mântua (Mântua, 18 de novembro de 1630 – Viena, 6 de dezembro de 1686). Ela era filha de Carlos II Gonzaga, Duque de Rethel. Eles foram pais de quatro filhos:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por:
Fernando II
Sacro Imperador Romano-Germânico
Também Rei dos Germanos

16371657
Sucedido por:
Leopoldo I
Rei da Croácia e Eslovênia
16371657


Precedido por:
Fernando II
Rei da Boêmia
16271646
Sucedido por:
Fernando IV
Rei da Hungria
16371647