Fernando Ramos da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

[1]

Fernando Ramos da Silva
Nome completo Fernando Ramos da Silva camelo
Outros nomes Fernando Ramos
Nascimento 29 de Novembro de 1967
São Paulo, SP
Morte 25 de agosto de 1987 (19 anos)
São Paulo, SP
Ocupação Ator
Cônjuge Cida Venâncio
Outros prêmios
Festival de Havana
Sete prêmios no Festival de Gramado
IMDb: (inglês)

Fernando Ramos da Silva (São Paulo, 29 de novembro de 1967 — São Paulo, 25 de agosto de 1987) foi um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Menino de rua, tornou-se ator ao ser escolhido para viver o personagem Pixote no filme Pixote, a Lei do Mais Fraco, de 1981, dirigido por Hector Babenco. O garoto foi considerado uma revelação e o filme foi muito premiado no Brasil e exterior. Tentou continuar a carreira no Rio de Janeiro, participando da telenovela global O Amor É Nosso, em 1981. Posteriormente, Fernando nunca mais se destacou, fazendo apenas pequenas participações nos filmes Eles não Usam Black-tie, também em 1981, e Gabriela, Cravo e Canela, de 1983.

Tempos depois do filme, Fernando voltou à Diadema (região do ABCD paulista), sempre na esperança de reconquistar o posto de ator, mas acabou retornando à sua antiga vida, em um ambiente de total miséria e precariedade. Decidido a tentar novamente a carreira de ator, se dirigiu ao Rio de Janeiro, sendo escolhido para interpretar um personagem em uma novela da Rede Globo, com a ajuda de José Louzeiro. Porém, Fernando foi demitido em pouco tempo, por não conseguir decorar os textos, já que era semi-alfabetizado.

Novamente morando em uma favela em Diadema, se envolveu com a criminalidade. Parte disso se deve à influência dos irmãos. Foi preso outras duas vezes, uma por assalto e outra por porte ilegal de arma. Disse em uma entrevista que muitas vezes fora perseguido por policiais porque eles não distinguiam a imagem do personagem e a do ator [2]

Logo após um outro suposto assalto, aos 19 anos, Fernando foi assassinado por policiais da Rota em 1987. Os homens que foram assaltados em Diadema disseram, posteriormente, que Pixote não se enquadrava no perfil do verdadeiro ladrão. [1]. O jornalista Caco Barcellos entrevistou três mulheres que viram Fernando Ramos da Silva ser alvejado por homens da Rota. Nenhuma delas confirmou a versão oficial de troca de tiros e tampouco viram o rapaz armado. As três fontes disseram ter ouvido dos policiais "Dessa vez você não escapa, Pixote!"

A dona da casa na qual Fernando foi alvejado confirma a seguinte narrativa: ele se escondeu no porão da casa dela, três policiais da Rota o encontraram e o tiraram debaixo de uma mesa. Ele pediu "por favor não me mate, tenho uma filha para criar." Morreu com oito tiros. Os assassinos, após uma longa disputa judicial, ainda se encontram em liberdade.

Sua esposa, Cida Venâncio, escreveu o livro Pixote Nunca Mais, o qual foi o inspirador do filme Quem Matou Pixote?, de José Joffily, que conta a curta trajetória de Fernando Ramos da Silva como ator e como pessoa. No filme, Fernando foi vivido pelo ator Cassiano Carneiro.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]