Fernando Seara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fernando Jorge Loureiro de Roboredo Seara ComIH (Viseu, 1 de abril de 1956) é um advogado e político português.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Estudou no Colégio Militar, no Liceu Nacional de Viseu e na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi aluno no Colégio Universitário Pio XII, em Lisboa. Advogado de carreira, é sócio da firma Correia, Seara, Caldas & Associados. Anteriormente coordenou o Departamento Jurídico da Associação Nacional de Empreiteiros e Obras Públicas e dirigiu o Departamento Jurídico da Sociedade Mota & Companhia (actual Mota-Engil).

Foi professor assistente do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa e professor auxiliar convidado dos Departamentos de Direito da Universidade Internacional e da Universidade Lusíada de Lisboa.

Foi chefe de gabinete do ministro da Educação, presidente do Conselho Superior do Desporto, membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social e presidente do Conselho de Opinião da Radiotelevisão Portuguesa.

Seara é presença habitual em programas televisivos sobre futebol, sendo adepto conhecido do Benfica. Foi comentador desportivo nos programas Jogo Falado, na RTP, e Prolongamento, na TVI24, onde permanece. Em 2010 ponderou candidatar-se a presidente da Federação Portuguesa de Futebol.[1]

Fernando Seara é o comentador desportivo mais bem pago da TVI, tem um vencimento mensal bruto de 6250 euros.[2]

Foi militante destacado do Centro Democrático Social, chegando a secretário-geral na liderança de Adriano Moreira. Quando este abandonou o CDS, Fernando Seara saiu também, acabando por aderir ao PSD, que o elegeu deputado à Assembleia da República, em 1995, e presidente da Câmara Municipal de Sintra, em 2002.[3]

A 30 de Janeiro de 2006 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[4]

Foi candidato, pela coligação PSD/CDS-PP/MPT, à Presidência da Câmara Municipal de Lisboa, eleições autárquicas de 2013. Em Março de 2013, o Tribunal Cível de Lisboa, depois de uma acção apresentada pelo movimento cívico Revolução Branca decidiu que Fernando Seara não pode candidatar-se nas eleições autárquicas deste ano. O movimento apresentou oito acções populares para impedir candidaturas de autarcas que já cumpriram três mandatos num município e agora querem candidar-se noutro concelho. A decisão do Tribunal Cível é passível de recurso.[5] Após decisão do Tribunal Constitucional no sentido duma interpretação restritiva da Lei da Limitação de Mandatos, manteve-se na corrida, tendo sido derrotado por António Costa nas Eleições Autárquicas de 29 de Setembro de 2013, tendo sido, todavia, eleito Vereador.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Fernando Seara é filho de Maximiano Ribeiro Seara (Viseu, Cavernães, 19 de Fevereiro de 1919 - 14 de Junho de 2012), advogado, e de sua mulher Maria Arminda de Loureiro de Reboredo. Tem um filho, do seu primeiro casamento com Inês Martins, de seu nome Alexandre Fernando Martins Roboredo Seara (Lisboa, 10 de Abril de 1984). Foi casado com a jornalista Judite de Sousa.[6]

Referências

  1. Fernando Seara admite candidatar-se a presidente da FPF Semanário Expresso. Página visitada em 18 de dezembro de 2010.
  2. TVI p. 6. Vidas.xl.pt.
  3. Fernando Seara In Infopédia. Porto: Porto Editora, 2003-2010. Infopédia. Página visitada em 18 de dezembro de 2010.
  4. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Página visitada em 12 de setembro de 2013. "Resultado da busca de "Fernando Jorge Loureiro de Reboredo Seara"."
  5. Tribunal impede Fernando Seara de ser candidato às eleições autárquicas Jornal Público.
  6. Judite de Sousa e Fernando Seara: Casal em harmonia… até nas cores In Caras. Revista Caras. Página visitada em 18 de dezembro de 2010.