Fernando Trueba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fernando Rodríguez Trueba (Madrid, 18 de janeiro de 1955) é um diretor de cinema espanhol que ganhou o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro pelo filme "Belle Époque" em 1993.

Iniciou sua carreira como crítico cinematográfico do jornal "El Pais", seu filme de estreia foi Opera Prima em 1980; em 1985 alcançou o sucesso com a comédia "Sé infiel y no mires con quién" com Carmen Maura e Ana Belém. Em 1988 foi o presidente da Academia de Artes Cinematográficas da Espanha e mais tarde foi o autor do livro "Diccionário de Cine". Seu filme de 2002 "Belle Époque" além do Oscar, ganhou nove prêmios Goya na Espanha.

Em 2003 a convite do músico Carlinhos Brown conheceu Salvador e apaixonou-se pelo trabalho feito pelo músico na favela do Candeal, assim voltou em 2004 quando produziu e dirigiu o documentário "O Milagre do Candeal", segundo ele, "a história de uma favela onde as crianças vão armadas com instrumentos musicais em vez de fuzis".

Possui ainda um projeto de documentário sobre o desaparecimento de Francisco Tenório Júnior o Tenório Jr., músico brasileiro vítima da repressão militar na Argentina em 1976.

Em 2010 dirigiu o longa-metragem de animação Chico e Rita que também venceu o Goya e foi indicado para o OSCAR e diversos outros prêmios internacionais.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Filme
2012 O Artista e sua Modelo
2010 Chico & Rita
2009 El baile de la victoria
2004 El milagro de Candeal
2002 El embrujo de Shanghai
2000 Calle 54
1998 La niña de tus ojos
1994 Two Much
1992 Belle Époque
1989 El sueño del mono loco
1986 El año de las luces
1985 Sé infiel y no mires con quién
1983 Sal gorda
1982 Mientras el cuerpo aguante
1980 Ópera prima

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.