Fernando da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fernando
Príncipe-herdeiro da Dinamarca
Arveprins Ferdinand.jpg
Fernando
Governo
Consorte Carolina da Dinamarca
Vida
Nascimento 22 de Novembro de 1792
Copenhaga, Dinamarca
Morte 29 de Junho de 1863 (70 anos)
Copenhaga, Dinamarca
Pai Frederico da Dinamarca
Mãe Sofia Frederica de Mecklemburgo-Schwerin

Fernando da Dinamarca (22 de novembro de 1792 - 29 de junho de 1863) foi um membro da família real dinamarquesa, neto do rei Frederico V. Foi príncipe-hereditário da Dinamarca de 1848 até à sua morte. Se tivesse vivido mais cinco meses tinha-se tornado rei.

Família[editar | editar código-fonte]

Fernando era o filho mais novo do príncipe-herdeiro Frederico da Dinamarca e da duquesa Sofia Frederica de Mecklemburgo-Schwerin. Era irmão mais novo do rei Cristiano VIII da Dinamarca. Os seus avós paternos eram o rei Frederico V da Dinamarca e a duquesa Juliana Maria de Brunswick-Wolfenbüttel. Os seus avós maternos eram o duque Luís de Mecklemburgo-Schwerin e a duquesa Carlota Sofia de Saxe-Coburgo-Saalfeld.[1]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Cristiano VII, tio de Fernando, tinha sido declarado louco, por isso o seu pai foi regente do país após a queda de Johann Friedrich Struensee em 1772. Contudo, após um golpe de estado em 1784, quando o filho do rei, o príncipe-real Frederico, passou a ser regente, o pai de Fernando perdeu toda a influência que tinha na corte. Apesar de tudo, o príncipe-real não tinha descendentes masculinos, pelo que Fernando e o seu irmão Cristiano eram os descendentes masculinos mais próximos do trono.

Quando o Palácio de Christiansborg foi destruído por um incêndio em 1794, o jovem príncipe e a sua família mudaram-se para o Palácio de Amalienborg onde Fernando cresceu, passando os seus verões no Palácio de Sorgenfri.

Casamento[editar | editar código-fonte]

O príncipe Fernando casou-se no Palácio de Frederiksberg no dia 1 de agosto de 1829 com a sua prima em segundo-grau, a princesa Carolina da Dinamarca, filha mais velha do príncipe Frederico que tinha retirado o pai de Fernando da regência em 1784. Quando Frederico VI morreu em 1839, Carolina não o pode suceder devido à lei sálica, tendo este passado para o seu parente masculino mais próximo, o irmão mais velho de Fernando, o príncipe Cristiano Frederico.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

O número de membros masculinos da família real dinamarquesa era tão pequeno que nas décadas que se seguiram Fernando continuou a ser o príncipe mais próximo do trono. Quando o seu irmão Cristiano morreu em 1848, um Fernando envelhecido tornou-se herdeiro presuntivo do trono da Dinamarca.

Fernando morreu sem ter filhos, uma das razões pela qual o ramo principal da família real dinamarquesa se extinguiu, levando ao rebentar da Segunda Guerra de Schleswig. Esperava-se que Fernando fosse o primeiro a romper com a contínua linha de reis chamados Cristiano e Frederico desde o século XVI.

Referências

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Fernando da Dinamarca