Festival Internacional da Canção de Viña del Mar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Festival Internacional da Canção de Viña del Mar é um festival musical organizado anualmente durante o mês de fevereiro na cidade de Viña del Mar, Chile. O Festival de Viña del Mar ou Festival de Viña é organizado desde 1960 e é o festival musical mais importante da América Hispânica e um dos mais importantes da América Latina.

O evento, que se realiza no anfiteatro da Quinta Vergara, com uma capacidade que supera os 15.000 espectadores, é transmitido desde 2007 pelo Canal 13 da Universidade Católica do Chile e Televisão Nacional do Chile a todo o país e pela TV Chile ao resto do mundo, sendo este um dos eventos mais importantes do verão. Apesar da concorrência internacional as canções populares são a fonte do evento, os artistas convidados são o destaque do Festival relegando a primeira importância em termos de mídia.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeros anos[editar | editar código-fonte]

Sua origem foi bastante modesta. Graças a iniciativa do diretor do Departamento de Turismo e Relações Públicas da Municipalidade de Viña del Mar, Carlos Ansaldo, em 1960 um grupo de músicos foi convocado para entreter uma exposição de alunos da Escola de Belas Artes nos Jardins da Quinta Vergara. O êxito desta primeira versão permitiu que em 1964 se construiu um modesto anfiteatro ao ar livre, cujo cenário de madeira estava cercado por uma "concha acústica" que ajudava a projetar o som até o público, a proteger aos artistas das frias noites viñamarinas e que se transformou en um ícone do festival. O público se sentaba nas cadeiras de madeira sobre o piso de terra e muitos espectadores estavam nas colinas adjacentes à Quinta e sobre as copas das árvores próximas, dando um claro ar provinciano ao evento.

Com o passar do tempo, o Festival foi se transformando no evento de verão mais importante do Chile.

Transmissão televisiva e internacionalização[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1970, o Festival começou a massificar-se, especialmente desde 1972, quando se outorgaram o direitos de transmissão à Televisão Nacional do Chile. Durante estes mesmos anos, a tensão política do momento se fez presente. Em 1971, os representantes da União Soviética foram aplaudidos por seu apoio a Unidade Popular, porém no ano seguinte, a sul africana Miriam Makeba foi vaiada pelo público de direita ao dedicar seu tema Pata-Pata ao Presidente Salvador Allende. A inicios de 1973, a situação se tornou caótica pelo choque entre Quilapayún, representante da Nueva Canción Chilena, e Los Huasos Quincheros na categoria folclórica, na que também participava uma canção escrita por Pablo Neruda.

Após o Golpe de Estado de 11 de setembro de 1973, em 1974 foi suspendida a realização da categoria folclórica, porém o evento começou a ganhar um protagonismo crescente. Esse mesmo ano, o evento foi transmitido pela primeira vez internacionalmente: Argentina, Espanha, Peru, República Dominicana, África do Sul, Venezuela e os países associados a Eurovisão receberam pela primeira vez o evento em que o regime militar tratava de mostrar uma festa no país como forma de combater as críticas desse regime.[1]

Em 1978 foi o primeiro programa televisivo no Chile que se transmitiu o sinal em cores, o que deu o passo definitivo a internacionalização, pois uma estação européia o transmitiu para Espanha e outros países europeus. Desde 1993 se licita por 3 anos a transmissão íntegra do Festival a Megavisión em co-produção com TELEVISA do México, (en 1996 foi renovada por 3 anos mais) e desde o ano de 1999 ao Canal 13 da Universidade Católica do Chile, contrato que durou até o ano de 2006.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Festival Internacional da Canção de Viña del Mar