Fialho de Almeida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fialho de Almeida
Fialho de Almeida por António Carneiro
Nacionalidade Reino de Portugal Portuguesa
Data de nascimento 7 de Maio de 1857
Local de nascimento Vila de Frades
Data de falecimento 4 de Março de 1911 (53 anos)
Local de falecimento Cuba
Ocupação jornalista e escritor
Movimento pós-romantismo

José Valentim Fialho de Almeida, mais conhecido apenas como Fialho de Almeida (Vila de Frades, 7 de Maio de 1857Cuba, 4 de Março de 1911), foi um jornalista e escritor pós-romântico português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vida pessoal e formação[editar | editar código-fonte]

Fialho de Almeida nasceu em Vila de Frades no dia 7 de Maio de 1857, filho de um mestre-escola.[1]

Realizou os estudos secundários num colégio de Lisboa, entre 1866 e 1871; empregou-se numa farmácia, e formou-se em Medicina, entre 1878 e 1885. Em 1893 voltou à sua terra natal, aonde desposou uma senhora abastada, que faleceu logo no ano seguinte.[1]

Fialho de Almeida faleceu a 4 de Março de 1911, na localidade de Cuba[1] , aonde foi sepultado.[2]

Carreira profissional e artística[editar | editar código-fonte]

No entanto, não seguiu a carreira profissional, tendo-se dedicado ao jornalismo e à literatura.[1] Tornou-se lavrador em Cuba, mas continuou a publicar artigos para jornais, e a escrever vários contos e crónicas.[1]

Entre as suas obras mais notáveis, encontram-se os cadernos periódicos Os Gatos, redigidos entre 1889 e 1894, que seguiram a mesma linha crítica d' As Farpas, de Ramalho Ortigão.[1]

A sua carreira literária foi pautada por um estilo muito irregular, baseado no naturalismo; inspirou-se, principalmente, nas sensações reais, mórbidas e grosseiras, com temas repartidos entre os cenários urbanos e campestres.[1]

O seu estilo adoptou, nos finais do Século XIX, um espírito mais decadente, em concordância com os ideais em voga nessa época.[1]

Fialho de Almeida colaborou em diversas publicações periódicas, nomeadamente nos jornais humorísticos Pontos nos ii (1885-1891)[3] e A comedia portugueza (fundado em 1888)[4] , e também nas revistas O Pantheon (1880-1881),[5] Ribaltas e gambiarras (1881),[6] Branco e Negro (1885-1891),[7] Brasil-Portugal (1899-1914),[8] e Serões (1901-1911).[9]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

A Câmara Municipal de Lagos aprovou, em 18 de Fevereiro de 1987, a atribuição do seu nome a uma rua da Freguesia de Santa Maria.[1] Por sua vez, a autarquia de Cuba deu o seu nome a um centro cultural[10] e a um concurso literário, e, em Agosto de 2011, já tinha adquirido a sua antiga habitação naquela localidade, para a futura instalação de uma Casa Museu.[2]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Contos (1881)[1]
  • A cidade do Vício (1882)[1]
  • Os Gatos (1889-1894)[1]
  • Lisboa Galante (1890)[1]
  • O País das Uvas (1893)[1]
  • Galiza (1905)
  • Saibam Quantos... (1912) Cartas e artigos políticos
  • Aves Migradoras (1914) (eBook)

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n Ferro, 2002:38
  2. a b Fialho de Almeida. Câmara Municipal de Cuba (12 de Agosto de 2011). Página visitada em 20 de Novembro de 2011.
  3. Rita Correia (08-03-2007). Ficha histórica: Pontos nos ii (1885-1891). (pdf) pp. 3. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014. "Como "Irkan" a partir de 1890."
  4. Rita Correia (24-06-2011). Ficha histórica: A comedia portugueza : chronica semanal de costumes, casos, politica, artes e lettras (1888-1902). (pdf) pp. 3 e 5. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014. "Como "Irkan"."
  5. M. Helena Roldão (25-05-2013). Ficha histórica: O pantheon: revista de sciencias e lettras (1880-1881). (pdf) pp. 4. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014. "Como "Fialho d’ Almeida""
  6. Pedro Teixeira Mesquita (26 de Março de 2013). Ficha histórica: Ribaltas e gambiarras (1881). (pdf) pp. 3. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014.
  7. Rita Correia (01-02-2012). Ficha histórica: Branco e Negro : semanario illustrado (1896-1898). (pdf) pp. 1 e 9. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014.
  8. Rita Correia (29-04-2009). Ficha histórica: Brasil-Portugal : revista quinzenal illustrada (1899-1914). (pdf) pp. 1. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 20 de Abril de 2014. "Como "Fialho d’Almeida"."
  9. Rita Correia (24-04-2012). Ficha histórica: Serões: revista semanal ilustrada (1901-1911). (pdf) pp. 10. Hemeroteca Municipal de Lisboa. Página visitada em 22 de Abril de 2014.
  10. Reabertura do Centro Cultural Fialho de Almeida. Câmara Municipal de Cuba (18 de Novembro de 2011). Página visitada em 20 de Novembro de 2011.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FERRO, Silvestre Marchão. Vultos na Toponímia de Lagos. Lagos: Câmara Municipal de Lagos, 2002. 358 pp. ISBN 972-8773-00-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.