Fiji

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde setembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Matanitu ko Viti
फ़िजी गणराज्य
Republic of Fiji

República de Fiji
Bandeira de Fiji
Brasão de Fiji
Bandeira Brasão das Armas
Lema: Rerevaka na Kalou ka Doka na Tui
("Tema a Deus e Honre a Rainha")
Hino nacional: God Bless Fiji
Gentílico: fijiano

Localização da Fiji

Capital Suva [1]
17°11'S 178°55′O
Cidade mais populosa Suva
Língua oficial Inglês e Fijiano
Governo Governo nomeado por militares
República Parlamentarista
 - Presidente da República e do Grande Conselho de Chefes Epeli Nailatikau
 - Primeiro-ministro Frank Bainimarama
Independência Do Reino Unido 
 - Proclamada 10 de outubro de 1970 
 - Reconhecida 10 de outubro de 1970 
Área  
 - Total 18.274 km² 
População  
 - Estimativa de 2007 905.354 hab. (153.º)
 - Densidade 148 hab./km² 
PIB (base PPC) Estimativa de 2005
 - Total US$ 5,447 bilhões USD (149.º)
 - Per capita US$ 6.375 USD (93.º)
IDH (2013) 0,724 (88.º) – elevado[2]
Moeda Dólar Fijiano (FJD)
Fuso horário (UTC+12)
Clima tropical marinho
Org. internacionais ONU
Cód. Internet .fj
Cód. telef. +679
Website governamental www.fiji.gov.fj

Mapa da Fiji

A República de Fiji ou das Fiji, por vezes escrito Fidji (fijiano: Matanitu ko Viti; inglês: Republic of Fiji; hindi fijiano: फ़िजी गणराज्य Fijī Gaṇarājya), anteriormente conhecida como República das Ilhas Fiji, é um país insular da Oceania que faz fronteira marítima com Tuvalu e com o território francês de Wallis e Futuna a norte, com Tonga a leste, e com o território francês da Nova Caledónia, com Vanuatu e com as Ilhas Salomão a oeste. A sul, a terra mais próxima corresponde às ilhas neozelandesas de Kermadec, mas estão bastante afastadas.

História[editar | editar código-fonte]

Colonização[editar | editar código-fonte]

Evidências arqueológicas mostram que os primeiros colonos de Fiji chegaram navegando das Ilhas Santa Cruz (politicamente são parte das Salomão, mas seu ecossistema de florestas úmidas é o mesmo de Vanuatu) nas primeiras migrações do povo ancestral conhecido como Lápita (Os descendentes diretos desse povo hoje são os melanésios) para o crescente, berço da cultura polinésia, Fiji-Tonga-Samoa em 1500 a.C.

Os primeiros habitantes de Fiji chegaram das Santa Cruz muito tempo antes de as ilhas serem descobertas por exploradores europeus. As ilhas Vanua Levu e Viti Levu, as principais do arquipélago de Fiji, foram descobertas em 6 de fevereiro de 1643 pelo navegador holandês Abel Tasman. As outras ilhotas que compõem o arquipélago foram descobertas no século seguinte pelo explorador inglês James Cook. Os europeus só estabeleceram o primeiro posto de colonização em 1804

Independência[editar | editar código-fonte]

As ilhas ficaram sob controle do Reino Unido em 1874, com o estatuto de colônia. Em 1970 foi dada independência ao país. O governo democrático foi interrompido por dois golpes militares em 1987, provocados por uma percepção por parte das restantes comunidades de que o governo era dominado pela comunidade indo-fijiana (indiana). Em virtude desses golpes militares, o arquipélago é expulso da Comunidade Britânica.

Política[editar | editar código-fonte]

Uma constituição proclamada em 1990 garantiu o controle do país pela população fijiana, mas deu origem a grande emigração de indianos. A perda de população levou a dificuldades econômicas, mas garantiu que os melanésios se tornassem majoritários no país. Em 1992 ocorrem eleições que são vencidas pelo Partido Político Fijiano.

Uma revisão realizada em 1997 tornou a constituição de Fiji mais equitativa. Realizaram-se eleições livres e pacíficas em 1999, que resultaram num governo liderado por um indo-fijiano. Um ano mais tarde, o governo foi deposto por um golpe de estado liderado por George Speight, um nacionalista fijiano de linha dura. A democracia foi restaurada em finais de 2000 e Laisenia Qarase, que liderara um governo interino desde o golpe, foi eleito primeiro-ministro.

Para um país do seu tamanho, Fiji tem forças armadas excepcionalmente eficientes, e tem sido um contribuinte importante em missões de manutenção de paz das Nações Unidas em vários pontos do globo.

Em dezembro de 2006, o general Frank Bainimarama deu um golpe de estado e depôs o governo do primeiro-ministro Laisenia Qarase. O ex-presidente da Associação de Médicos de Fiji Jona Senilagakali será o primeiro-ministro transitório até a formação de um governo interino. Austrália e Nova Zelândia protestaram contra o golpe, o governo neozelandês anunciou sanções contra Fiji. Em 1º de Setembro de 2009, Fiji foi expulsa da Comunidade das Nações.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O Arquipélago de Fiji está dividido em quatro divisões administrativas, que por sua vez estão subdivididas em 14 províncias. Cada divisão é chefiada por um Comissário, indicado pelo governo de Fiji. As divisões são basicamente agrupamentos de províncias e possuem poucas funções administrativas. Cada província possui um Câmara Provincial que podem, dentro de suas províncias, criar leis e impostos, sujeitos a aprovação do governo de Fiji.

O governo de Fiji também é responsável pela nomeação do Roko Tui, chefe executivo da Câmara Provincial.

A ilha de Rotuma, ao norte do arquipélago, tem status de dependência, ela está incluída na Divisão Oeste para fins estatísticos (censo, por exemplo), porém, administrativamente ela possui autonomia interna com sua própria câmara e poderes para legislar sobre a maioria dos assuntos locais.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Kadavu e o Recife do Grande Astrolábio.

O arquipélago de Fiji consiste de 322 ilhas, um terço das quais são desabitadas. As duas ilhas mais importantes são Viti Levu e Vanua Levu. É em Viti Levu que se situa a capital, Suva, e onde vivem quase três quartos da população. As ilhas são montanhosas, com picos que se erguem aos 1.324 m no Monte Vitória ou Tomanici na língua fijiana, na área central da ilha Viti Levu, e cobertas por florestas tropicais. Outras cidades importantes são Labasa, Lautoka, Nadi e Savusavu.

Economia[editar | editar código-fonte]

Com solos férteis que permitem o cultivo da cana-de-açúcar, este é o principal produto de exportação, além do coco e gengibre.

A economia de Fiji é uma das mais desenvolvidas do Oceano Pacífico. A exportação de açúcar, as remessas de dinheiro feitas por fijianos residentes no exterior, e o turismo (de 300 a 400 mil turistas por ano visitam o país) são as principais fontes de receitas do país. Entretanto, após o golpe de estado de dezembro de 2006, o tem enfrentado dificuldades: o movimento turístico caiu, e espera-se uma redução de 6% dos empregos neste setor como consequência desta queda.

O açúcar fijiano tem como destino principal a União Europeia, porém esta exportação será afetada após a decisão da UE de cortar os subsídios. Em 2007 a ajuda econômica da UE ao país foi suspensa, enquanto o governo que assumiu o poder após o golpe de estado não estabelecer um cronograma para novas eleições.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população de Fiji é composta em sua maioria por fijianos (54,3%) e indianos (38,1%). Atualmente, 52% dos habitantes vivem nos centros urbanos (projeção 2007).

O crescimento demográfico em Fiji é de 0,98% ao ano (2000-2005). A taxa de fecundidade é de 2,72 filhos por mulher (2006). A mortalidade infantil é de 20 crianças por 1.000 crianças nascidas, segundo estimativas de 2007.

Dados de 2007 revelam que apenas 5,6% da população de Fiji é analfabeta.

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Religião[editar | editar código-fonte]

Segundo dados de 2005, 57% dos fijianos são cristãos, composto por 45% de protestantes no total da população. Cerca de 34% praticam o hinduísmo e ainda verifica-se que 7% da população é islâmica.

Os líderes tribais dessas ilhas costumavam praticar atos de canibalismo como forma de ritual; as pessoas que eram comidas eram consideradas especiais na comunidade, e talheres próprios eram utilizados nesta cerimônia, que não podiam ser utilizados para comer outros "alimentos".

Línguas[editar | editar código-fonte]

Nas ilhas Fiji são falados três idiomas, que são as línguas oficiais do país: o fijiano, idioma dos habitantes nativos das ilhas, o inglês, devido à colonização britânica no século XIX, e uma variante do hindi chamada de hindi fijiano ou hindustani fijiano[carece de fontes?], trazida por imigrantes indianos.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A melodia do hino nacional deste país é a mesma do hino 212 da Harpa Cristã, Os Guerreiros Se Preparam (Dwelling In Beulah Land).
  • O filme Anaconda 2 se passou na ilha de Fiji.

Referências

  1. "Mapa".
  2. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Visitado em 2 de agosto de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Fiji
Bandeira de Fiji Fiji
Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens