Filareto Bracâmio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Filareto Bracâmio (Փիլարտոս Վարաժնունի, Pilartos Varajnuni em arménio; Philaretus Brachamius em latim), foi um general célebre no Império Bizantino, com ascendência arménia. Filareto aparece nos selos com o título de taxiarca (comandante de uma unidade de infantaria), assim como protoespatário e topoterita (comandante adjunto) dos tagmas da Capadócia, e em seguida como magistro e duque, e finalmente como curopalata e duque.

Deteve um alto comando no exército de Romano IV Diógenes. Depois da Batalha de Manziquerta (1071), comandou a guarnição da fortaleza de Romanópolis. Sendo o único comandante bizantino sobrevivente no Sudeste, estabeleceu um reino semi-independente no território entre a Cilícia e Edessa. O núcleo do seu exército era composto por 8000 "Francos" (Normandos) comandados por Raimbaudo. Em 1078, no início do reinado de Nicéforo III Botaniates, tornou-se duque de Antioquia, abrangendo Edessa. Diversos selos atestam a sua qualidade de grande doméstico e de protocuropalata, em seguida de sebasto e até mesmo de protosebasto. Em Dezembro de 1084 perdeu Antioquia, conquistada por Solimão I. Em 1087 Edessa caiu nas mãos de Malik Shah, e Filareto refugiou-se na fortaleza de Germanícia. No entanto, algumas fontes indicam que terá falecido em 1086. Foi o último doméstico das escolas da Anatólia. Os seus filhos entregaram Germanícia aos cruzados durante a Primeira Cruzada em 1098.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Crónicas de Mateus de Edessa, tradução para inglês de A. Dostourian, "Armenia and the Crusades, 10th to 12th Centuries. The Chronicle of Matthew of Edessa" (Lanham, MD-London, 1993)
  • Gravett, Christopher, e Nicolle, David. The Normans: Warrior Knights and their Castles. Osprey Publishing: Oxford, 2006.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]