Filme radiográfico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O filme radiográfico compreende quatro componentes básicos:

  1. Uma base plástica, feita de acetato de celulose claro e transparente que atua como um suporte para a emulsão, mas não influi na imagem final.
  2. Uma fina camada de adesivo que fixa a emulsão na base.
  3. A emulsão em ambos os lados da base está composta de cristas de halogenado de prata (geralmente brometo) envoltos em uma matriz de gelatina. Os fótons de raios X sensibilizam os cristais de halogenados de prata que são por eles atingidos; estes cristais sensibilizados serão posteriormente reduzidos à prata negra metálica visível no processamento.
  4. Uma camada protetora de gelatina transparente para proteger a emulsão de acidentes mecânicos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Princípios de Radiologia Odontológica; Eric Whaites; 3º edição; ArtMed; 2002.
   Os filmes radiográficos atuais possuem base de poletileno teratalato (poliéster), pois, o arcaico acetato celulósico enrolava muito. Uma alternativa na época, foi utilizar base fabricada de nitrato celulósico, porém, por ser inflamável, trazia risco de incêndios.
   Em 1929 um incêndio em uma clínica em Cleveland, fez com que os filmes com base de nitrato celulósico caíssem totalmente em desuso. Em 1933 a Dupont lança um filme feito de poletileno teratalato e esse passa a ser usado até os dias de hoje.