Filosofia ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O termo filosofia ocidental teve sua origem da filosofia grega antiga.

Filosofia ocidental é o pensamento filosófico e obra do mundo ocidental. Historicamente, o termo foi inventado recentemente para se referir ao pensamento filosófico da civilização ocidental, começando com a filosofia grega, na Grécia Antiga, e, eventualmente, cobrindo uma grande área do globo. A própria palavra filosofia teve origem na Grécia Antiga: philosophia (φιλοσοφία), literalmente "o amor à sabedoria" (φιλεῖν — philein "amar" e σοφία - sophia, "sabedoria").[1] [2]

Origens[editar | editar código-fonte]

O escopo da filosofia no antigo entendimento, e os escritos (pelo menos alguns) dos filósofos antigos, foram todos os esforços intelectuais. Isso incluiu os problemas da filosofia como são entendidos hoje, mas também incluía muitas outras disciplinas, como matemática pura e ciências naturais como a física, astronomia e biologia (Aristóteles, por exemplo, escreveu sobre todos esses tópicos.) O termo "filosofia ocidental" é, por vezes, inútil e vago, já que a definição envolve uma grande variedade de tradições distintas, grupos políticos, grupos religiosos e escritores individuais ao longo de milhares de anos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Maria Carolina Cristianini (01 de junho de 2005). Filosofia ocidental: idéias na busca da verdade (em português). Editora Abril. Guia do Estudante. Página visitada em 26 de julho de 2013.
  2. Filosofia (em português). R7. Brasil Escola. Página visitada em 26 de julho de 2013.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Kenny, Anthony. A New History of Western Philosophy (Oxford University Press; 2011) 1,058 páginas
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.