Finnegans Wake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Finnegans Wake é o último romance de James Joyce, publicado em 1939, e um dos grandes marcos da literatura experimental por ser escrito em uma linguagem composta pela fusão de outras palavras, em inglês e outras línguas, buscando uma multiplicidade de significados. Sua tradução para qualquer língua é complicadíssima, e qualquer tentativa é um ato de ousadia desde a primeira palavra do romance.

No Brasil recebeu o título Finnicius Revém proposto pelos irmãos Campos, depois referendado por Donaldo Schüler.

Linhas iniciais[editar | editar código-fonte]

Original (James Joyce) Português (Augusto de Campos) Português (Donaldo Schüler)
riverrun, past Eve and Adam's, from swerve of shore to bend of bay, brings us by a commodius vicus of recirculation back to Howth Castle and Environs. riocorrente, depois de Eva e Adão, do desvio da praia à dobra da baía, devolve-nos por um commodius vicus de recirculação de volta a Howth Castle Ecercanias. rolarrioanna e passa por Nossenhora d"Ohmem’s, roçando a praia, beirando ABahia, reconduz-nos por cominhos recorrentes de Vico ao de Howth Castelo Earredores.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Campos, Augusto de; Campos, Haroldo de. (2001) Panaroma do Finnegans Wake. São Paulo: Editora Perspectiva. ISBN 85-273-0207-5.
  • Joyce, James. (1999) Finnegans Wake/Finnicius Revém. Tradução de Donaldo Schüler, 1o volume. Porto Alegre: Ateliê Editorial. ISBN 85-85851-97-X.
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.