Fire Emblem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.

Fire Emblem (em japonês: ファイアーエムブレム, Faia Emuburemu) é uma série de videogame de estratégia/RPG, sendo conhecido como o primeiro desse género. Foi desenvolvido pela Intelligent Systems (em especial por Shouzou Kaga) e publicado pela Nintendo.

Em 2006, a série já possuia nove jogos, dos quais apenas os últimos três foram lançados fora do Japão; o primeiro foi Fire Emblem: Rekka no Ken, lançado em 2003. O último título lançado foi um remake do primeiro jogo da série para Nintendo DS, Fire Emblem: Shadow Dragon.

Todos os jogos da série eram exclusivos para o Japão até 2003, quando o sétimo jogo da série foi lançado internacionalmente com o título de Fire Emblem, em grande parte devido à popularidade dos personagens de Fire Emblem Marth e Roy em Super Smash Bros. Melee. Todos os jogos de Fire Emblem produzidos desde então também foram lançados internacionalmente, com exceção de Fire Emblem: Shin Monshō no Nazo: Hikari to Kage no Eiyū para Nintendo DS.

Modo de jogo[editar | editar código-fonte]

Básico[editar | editar código-fonte]

Fire Emblem é uma série de jogos de estratégia por turnos nos quais o jogador controla seus personagens por um mapa com o objetivo de derrotar os inimigos para cumprir com a missão do capítulo: tomar um castelo, sobreviver ao ataque inimigo, acabar com todos os inimigos do mapa ou derrotar um chefe. A saga também contém aspectos de RPG tradicionais; assim sendo, o jogador pode usar seu dinheiro para comprar armas e objetos especiais das lojas, visitar povos, ter conversações com PNJ ou personagens antagonistas, assim como trocar objetos entre personagens e adquirir pontos de experiência em cada luta para aumentar o nível e as características de cada unidade.

O sistema de combate está baseado no triângulo de armas no qual cada tipo de arma tem vantagem sobre umas e desvantagem frente a outras, método baseado no jogo de pedra-papel-tesoura. Desde Fire Emblem: Seisen no Keifu, o triangulo de armas é o seguinte: a lança derrota a espada, esta derrota o machado, que por sua vez derrota a lança. Estas armas só podem usar-se para atacar unidades adjacentes. Mesmo que há algumas armas especiais, como as hand axes ou javelins que podem mirar em unidades mais distantes. O arco não se ajusta a este triângulo, este arma produz um dano mortal às unidades voadoras, mas em compensação, o arqueiro é muito vulnerável aos ataques diretos. O arco só pode ser usado para atacar a distância, não é válido para atacar a inimigos próximos.

A saga Fire Emblem também se caracteriza pelo uso da magia. Com os feitiços ocorre algo similar às armas: existe o triângulo de magia, que às vezes varia de um jogo a outro. Este triângulo de magia para alguns jogos é: feitiços de Luz vencem os Escuridão, os Escuros vencem aos de Anima ou Alma (elementais), e os de Anima (ou Alma) vencem aos de Luz. Em outros jogos: Fogo vence Vento, Vento vence Trovão e este vence Fogo. Os feitiços podem alcançar unidades a distância e a inimigos próximos indistintamente. Assim como o arco podem ser usados cajados para curar e executar magias especiais, que não se relacionam ao triangulo de magias.

As armas e feitiços em Fire Emblem têm um número determinado de usos, depois dos quais, o arma ou feitiço se rompe e desaparece. Existem alguns jogos da saga que não seguem esta regra, e seus usos podem ser infinitos. De todas as formas, isto é algo evitável, já que em alguns jogos o jogador tem a opção de reparar qualquer arma em troca de certa quantia de dinheiro. Isto não é necessário para as armas típicas, pois podem encontrar-se em abundância no campo de batalha nos corpos dos inimigos abatidos, mas é muito útil para armas especiais, das que só existe um exemplar e não é possível obter mais no jogo. Também podem trocar-se as armas velhas por novas no ferreiro local. As armas podem ser de ferro, aço e prata, algumas chegando à ter algum tipo de feitiço. Quanto maior seja a qualidade da arma, mais pontos de vida arrancará do inimigo, porém menor vida util.

Unidades[editar | editar código-fonte]

Jogos como Advance Wars e outros jogos de táticas RPG como são Final Fantasy Tactics, o gerador de personagens não existe. No seu lugar dentro de Fire Emblem se utilizam diferentes classes e personagens, cada uma pertencente a diferentes habilidades classes de personagens tendo estes passado e personalidade. O tamanho das estatísticas do personagem ao início é pequeno no início de cada partida, mas quando se progride durante o jogo este avança nas suas habilidades, outras unidades também podem unir-se à causa do personagem principal se é necessário através dos eventos da trama e as ações que se tomem.

Usando as unidades nas batalhas se dão ao personagem pontos de experiência; o nível do personagem chegará ao seguinte nível com chegar nos 100 pontos de exp. Nivelar aos demais personagens não principais se pode fazer usándolos, ou dándoles experiência, no entanto ao terminar com um inimigo que seja chefe do nível, dependerá se a personagem tem um nível avançado ou baixo, já que se este tem maior nível na sua classe terá menos pontuação e se pelo contrário este não tem tanto nível de classe terá mais pontos de experiência que o anterior.

Assim quando o nível de um personagem sobe, podem ter a habilidade de mudar do nível de classe que têm, muitas vezes a isto se lhe conhece como «promoção», dependendo das regras de cada jogo da franquia, as personagens podem ser «promovidos» pelo seu nível de experiência, ou através de um objeto em particular que forçasse a promoção da unidade. As personagens podem avançar de promoção e estatísticas com habilidades especiais que o jogador pode dar-lhes, estas só podem ser dadas aos personagens de maior nível. Por exemplo, Oscar, um cavaleiro de lança em Fire Emblem: Path of Radiance, mudará de nível automaticamente ao chegar ao nível 21, volviéndose paladino de nível 1. Se lhe dão pontos extra pela sua nova posição, e pode movimentar-se dois turnos -ao atacar e ao terminar o ataque-, e pode levar já seja espadas, tochas ou arcos junto com o arma adicional que tinha, neste caso, lança.

Relações[editar | editar código-fonte]

Romance e amizade são temas essenciais através das séries de Fire Emblem. Começando pela sexta entrega, Fuin no Tsurugi, esta característica se começou junto com o modo de jogo, este mesmo se basa no para ter conversações de suporte.

Nos títulos para GBA, estas conversações podem aparecer tendo as duplas juntas ao terminar seus turnos e mantê-los um junto ao outro. Depois que um número considerável de níveis no jogo, o jogador tem a opção de conversação de suporte entre os dois personagens.

Path of Radiance simplificou esta opção somente tendo aos personagens durante as batallas juntos e não necessariamente adjacentes um ao outro. Cada vez que os dois personagens têm uma conversação, a afinidade que tem um pelo outro aumentará, dando-lhes estatísticas de apoio e ativando um bônus de apoio cada vez que estão perto no campo de batalha. Se dois personagens têm uma relação romântica, uma forte amizade, ou outro tipo de conexão, estes chegam em ter três níveis de suporte, e o resultado destas conversações afetará o final do jogo. Dependendo dos personagens, tais resultados podem terminar em um casamento, uma profunda amizade, ou uma continuação de sua relação.

Morte[editar | editar código-fonte]

As personagens/unidades de Fire Emblem aos que se lhes acabam os pontos de vida e morrem, não podem voltar a usar-se no que fica de jogo. A partida continua de maneira normal, porque mesmo que a unidade não estará disponível para o combate, e se é necessário para a trama, a personagem aparecerá nas cenas de diálogo que enlaçam os capítulos. Esta regra também afeta aos PNJ e às unidades inimigas. Para evitar a baixa definitiva do personagem, a única opção do jogador é voltar a começar o capítulo. Esta regra vai além quando trata-se de um personagem principal, já que se morre, a partida termina e o jogador é obrigado a reiniciar o capítulo desde o princípio.

Existem várias exceções em jogos como Fire Emblem: Monsho no Nazo (Mystery of the EmblemFE3), Fire Emblem: Seisen no Keifu (Genealogy of holy warFE4), Fire Emblem: Rekka no Ken (Blazing sword, Fire emblem 1 na Europa→FE7) e Fire Emblem: Path of Radiance, nos quais as personagens caídos podem voltar a usar-se em algum ponto do jogo. Além disso, em alguns jogos também é possível ressuscitar unidades usando certos feitiços, papiros ou bastões, mesmo que costumam ser elementos bastante raros e limitados. Esta exceção não é aplicável aos personagens principais.

Lista de jogos[editar | editar código-fonte]

  1. Fire Emblem: Ankoku Ryu to Hikari no Tsurugi, lançado em 1990 para a Famicom;
  2. Fire Emblem Gaiden, lançado em 1992 para a Famicom;
  3. Fire Emblem: Monsho no Nazo, lançado em 1994 para a Super Famicom;
  4. Fire Emblem: Seisen no Keifu, lançado em 1996 para a Super Famicom;
  5. Fire Emblem: Thracia 776, lançado em 1999 para a Super Famicom;
  6. Fire Emblem: Fuin no Tsurugi, lançado em 2002 para o Game Boy Advance;
  7. Fire Emblem; Nome em japonês: "Fire Emblem: Rekka no Ken", lançado em 2004 para o Gameboy Advance;
  8. Fire Emblem: The Sacred Stones; Nome em japonês: "Fire Emblem: Seima no Koseki", lançado em 2004 no Japão, 2005 nos EUA para o Game Boy Advance;
  9. Fire Emblem: Path of Radiance; Nome em japonês: "Fire Emblem: Soen no Kiseki", lançado em 2005 para a GameCube;
  10. Fire Emblem: Radiant Dawn; Nome em japonês: "Fire Emblem: Akatsuki no Megami", que foi lançado em 2008 para a consola Wii;
  11. Fire Emblem: Shadow Dragon; Nome em japonês: "Fire Emblem: Shin Ankokuryuu to Hikari no Ken", lançado em 2008 para o Nintendo DS;
  12. "Fire Emblem: New Mystery of the Emblem ~Heroes of Light and Shadow~'."; Nome em japonês:""Fire Emblem: Shin Monshō no Nazo ~Hikari to Kage no Eiyū~"" lançado em 2010 para Nintendo DS (nunca lançado nos EUA, porém, traduzido por fãs);
  13. Fire Emblem: Awakening, lançado em 2013 para o Nintendo 3DS.

Anime e Mangá[editar | editar código-fonte]

  • Em 1995, foi lançado um anime OVA baseado nos primeiros três actos do primeiro jogo.
  • O jogo Fire Emblem Thracia 776 foi lançado em mangá.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Site oficial de Fire Emblem (em inglês)